É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







7 de mai de 2010

DIA DAS MÃES

Todos os anos, no Dia das Mães, eu comprava um presentinho pra ela, a minha Mami. Almoçávamos juntas, passávamos o dia todo sentadas lado a lado conversando.
Há um ano, nessa data, já sabíamos que, provavelmente, aquele seria o último Dia das Mães que comemoraríamos pertinho uma da outra. Os sinais de uma doença grave eram evidentes, os médicos não mais davam esperança.
Resolvi preparar um almoço especial, pedi que ela escolhesse um prato. Escolheu um peixe que preparei no forno. Fiz, mas eu sei que foi temperado com lágrimas que, às escondidas, escapavam dos meus olhos.
Mami foi embora pro Céu em novembro de 2009, há cinco meses.
O único pedido que me fez foi pra eu viver e celebrar a vida todos os dias.
Quando a saudade bate forte eu abro as gavetas dela, pego caixinhas com miudezas, remexo suas cestinhas com linhas, lãs e botões coloridos.
Outro dia resolvi experimentar os óculos de grau que ela usava. Fui até o espelho e toquei minha imagem ali refletida com a ponta dos meus dedos. A semelhança física com ela me deixou atônita.
Entre fotos em preto-e-branco e receitas de doces e salgados, aplaco a tristeza infinita, a dor da ausência da minha querida companheira.
Este é o primeiro ano sem minha Mãe aqui na Terra. Decidi homenageá-la com a delicadeza da flor da neve: edelweiss.
Mami quando muito pequena deixou a Alemanha e foi morar na Áustria. Falava muito dos bosques, das montanhas e da neve. Apreciava as artes, especialmente a música clássica. Gostava das valsas de Strauss.
Acredito em vida eterna, outro ensinamento que recebi dessa brava guerreira que lutou pela vida até o fim. Creio que, agora, ela está em um lugar muito bonito, lendo este texto que é dela, mas que é de todas as mães. O amor que temos por nossos filhos transcende a vida terrena, assim como o meu amor por essa Mulher que aqui no mundo foi minha Mãe.
Deixo aqui imagens da Áustria e uma música que fala dessa flor da neve, um presente pra minha querida Mami onde estiver.
A todas as mães, parabéns pelo seu dia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!