É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







29 de jun de 2010

MUDANÇA


Ela resolveu mudar de casa. Escolheu outro cantinho no mundo pra viver.
Abriu a porta do guarda-roupa e começou a dobrar camisetas, meias, casacos pesados de lã. Depois de muitas horas, havia juntado várias malas e até aqueles sacos de lixo de 100 litros, abarrotados de roupas e miudezas várias. Não imaginava que tivesse juntado tantas coisas ao longo de dois anos.
Encontrou a chave do quarto, há mais de um ano a procurava, estava dentro de uma caixinha de joias. Ficou estática em meio à exaustão. Tentou lembrar o dia em que sonhou mais alto, o momento em que prometeu que seria feliz. Chorou lágrimas sentidas, a sensação de fracasso a invadiu. Tanto esforço, tanto trabalho e lá estava ela: sozinha e se despedindo de mais um sonho. Malas, caixas, sacolas, papeis.
Mal podia caminhar naquele apartamento minúsculo. Abriu uma garrafa de vinho, sentou-se ao lado de uma caixa de papelão e recordou a última mudança que fez. Concluiu ser uma cigana, alguém itinerante, sem muitos laços, com o futuro cravado na palma de sua mão: solidão! Mudou de cenário e nada mais, a vida seguia um curso em círculos. Continuava sem ter com quem dividir a vida, os planos.
Mais velha, agora era experiente no transporte de malas e fardos diversos. Apagou as luzes quando saiu. Suspirou tentando esquecer que teria uma casa, mas lhe faltaria um lar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!