É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







15 de jul de 2010

VOO LIVRE


Sentei no gramado e observei o esforço imenso da borboleta. Até outro dia era uma lagarta, assisti a toda sua trajetória. O casulo ficou preso em um cantinho da parede, dias e dias. Agora, com as asinhas amassadas, um tanto úmidas, tentava sair pro mundo.
Uma hora? Duas? Não sei dizer. Um parto, assim pensei. Por fim, lá estava ela, com as asinhas secando ao sol. Fui o primeiro ser humano que avistou.
De cores amarela e preta, parecida com metade das borboletas que já vi, havia algo diferente naquele bichinho delicado: era minha, totalmente minha! Senti que eu era a madrinha daquele inseto frágil.
Começou, então, a fazer algo parecido com um alongamento, abria e fechava as asas. Voou em direção ao canteiro de bromelias. Em seguida ousou um novo voo, descansou na grade do portão. Antes de se despedir de mim, sobrevoou a roseira e partiu, para viver sua vida, livre, borboleteando por aí.

2 comentários:

Isis disse...

Que texto lindo ...
Acho que deveria ser assim todas as despedidas....
Beijos

Cláudia disse...

Diva Latívia não gosta de despedidas, mas aprecia a liberdade. Obrigada, Isis. Beijo.

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!