É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







9 de ago de 2010

HOJE SEMPRE É O NOSSO DIA!


Este texto é pra você que me perguntou sobre o que eu escreveria sobre o Dia dos Pais. A data foi comemorada ontem e o meu texto poderia ser intitulado “the day after”.
Sou de uma geração que é filha da “moçada” dos anos 60. Diz a letra de uma música que de 20 em 20 anos aparece uma coisa nova, mas é de 40 em 40 que as coisas se repetem. Eu sempre fui muito careta, estilo garota certinha, primeira aluna da classe, tímida. Um tipo de garota que combina perfeitamente bem com as minhas avós. Meu pai foi um homem muito bonito, charmoso, personalidade sedutora. Hoje eu acrescentaria um adjetivo muito moderno: baladeiro.
Qualquer pessoa sensível, que hoje não tem consigo o pai (o meu já foi embora pro andar de cima), sabe que essas datas especiais, se não forem comemoradas alegremente e em família, nos deixam na pior das fossas. Fiquei triste no Dia das Mães e no Natal. Olhar ao redor e não mais ver as pessoas que amamos, isso é doloroso.
Domingo eu me fechei no quarto. Não consegui escrever o texto, nem tive vontade de ligar o computador. Lembrei da infância, daquele homem que tocava piano, juntava amigos ao seu redor, dizia coisas engraçadas e tornou-se meu herói-vilão. A cada ausência do meu pai, eu sofria absurdamente. O pior sofrimento veio quando ele morreu, há alguns anos atrás.
Diva não tem mais idade pra ter filhos, o meu único filho poderá um dia me dar de presente um neto. Essa a esperança que acalento, mas dificilmente confesso. De novo ter momentos banais, porém felizes.
A você que também está órfão, especialmente você, Manuela, que recentemente viu seu pai, Abílio, ir embora pra um lugar que nos ensinam que é o Céu. Pra você que, feito eu, ontem sentiu tristeza e saudade, eu digo que eu gostaria de morar em uma casa tão grande que nela coubessem todas as pessoas que estavam chorando, ainda que em silêncio e com um forçado sorriso nos lábios.
Hoje é segunda-feira. Dia de secar as lágrimas e mergulhar de cabeça no trabalho. Quem partiu não voltará. Nós estamos aqui, temos ainda a vida pra tocar adiante. Com muita força, muita coragem, devemos viver com alegria no coração.
Seu filho não telefonou pra você? Faça você mesmo isso, ligue pra ele. Seu pai não te procurou? Calma, porque um dia ele o fará. O elo que une pais e filhos é muito forte, coisa de almas.
Quero acrescentar que hoje é Dia dos Pais, hoje é Dia das Mães, hoje é Dia dos Namorados, hoje é Natal! Não é uma data comercial, instituída pra acelerar as vendas no comércio, que torna um dia especial pra quem ama.
Este um texto que fala de mim, algo que costumo evitar fazer, mas serve pra você, especialmente pra você, que feito eu, sentiu o coração partir em milhões de pedacinhos no domingo que passou. É de caquinhos que se faz um belo mosaico. Corações que lembram vitrais, assim devem ser os nossos. Quebramos, choramos, mas transformamos essa tristeza e dor em algo belo.
Feliz Natal, Feliz Dia dos Namorados, Feliz Dia das Mães... Feliz Dia dos Pais! Hoje, amanhã e sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!