É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







2 de set de 2010

COPIANDO E COLANDO


Ela foi fazer as unhas no cabeleireiro quando viu ao seu lado a fulana que namorava seu ex. Sentou-se na cadeira ao lado, fingindo não vê-la. Seu coração pareceu querer sair pela boca, seus olhos ficaram turvos de ódio. Pensou no quanto aquela sujeitinha era cara-de-pau, afinal escolheu justamente o salão que ela freqüentava há anos.Tentou acalmar-se, mas chegou a sentir nojo de respirar o mesmo ar que sua sucessora.
Pra tentar descobrir mais a respeito, decidiu fazer hora e também arrumar os cabelos. Enquanto isso, a substituta pediu uma hidratação nas madeixas, depois fez uma escova. Incrível, os cabelos ficaram parecidos com os dela.
Percebeu então que ela estava usando um vestidinho floral muito parecido com os que costumava usar. Sandália rasteira de tirinha, colares de continhas coloridas e até passou um batonzinho cor de boca. Entendeu, então, que a tal estava imitando o seu layout. Concluiu que era um golpe baixo, provavelmente uma tática pra conquistar o seu ex-marido.
Saiu do salão antes da dita cuja terminar a tentativa de copiá-la no quesito formosura. Atravessou a rua falando sozinha: “coitada, quer se parecer comigo. Só conseguirá se morrer e reencarnar filha do meu pai com minha mãe”.
Uma semana depois, voltou ao cabeleireiro e mandou cortar os cabelos. Nunca mais usou franjinha e decidiu domar seus lindos cachos cor de fogo. Valeu tudo pra mudar o visual. Chegou a se desfazer de todos os seus vestidos esvoaçantes e doou os adereços de miçangas.
Outro dia encontrou o ex em uma agência bancária. Não estava de vestidinho estampado, nem usava mais o mesmo penteado. Ele não desgrudou o olhar. Resta agora saber quanto tempo vai demorar pra fulana, a atual, também cortar os cabelos e passar a vestir-se de um jeito moderninho.
Sábio aquele dizer: “nesta vida nada se cria, tudo se copia”. Haja falta de imaginação!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!