É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







11 de nov de 2010

AOS EX


São anos a fio dedicados à minha profissão: área jurídica, especializada em Direito de Família. No começo eu assistia ao drama alheio comovida, vez ou outra indignada com a falta de bom senso do ser humano. Famílias destruídas, gente que sofria, filhos envolvidos nas brigas dos pais. Lamentável isso.
Com o passar do tempo, passei a entender tudo isso sob o prisma de quem foi protagonista de um divórcio. Casa de ferreiro, espeto de pau. Velho ditado cheio de sabedoria popular. Todo o trâmite legal passava por mim feito capítulos de uma novela. Sofri. Muito! Passei a entender o que era aquilo sob a visão de quem está no olho de um furacão.
Não compreendo como que um casamento, depois de muitos anos, algumas décadas, pode terminar em confusão. Ninguém é obrigado a seguir a vida pra sempre ao lado de quem não ama, ou de quem não o ama. Porém, tem gente que prefere agarrar-se às pedras, aos tijolos, aos bens materiais. E é o que resta pra alguns, depois de tamanho desgaste, de tantos desapontamentos.
Ex-marido, ex-mulher. Ex. Quem merece ser ou ter um ex, uma ex? Ninguém se casa pensando em separação. Ser ex lembra algo finado, falecido. Cheira a podridão. Inerte, sem vida, morto! Somente restam as lembranças, algo que vai ficando amarelado pelo tempo. Um dia, a gente tenta lembrar o rosto da pessoa, se não correr e pegar uma foto de outrora, a memória não ajuda. A imagem daquele ser vai se diluindo pouco a pouco. Tudo vai se apagando, apagando... Menos a mágoa. Ah a mágoa! Sobrevivente e persistente, ela aponta um culpado sempre. Jamais somos nós os responsáveis, sempre o vilão é o EX par. E, pra ter certeza que aquele alguém não te esqueceu, ficam os recadinhos em lugares inusitados. Com amigos em comum ou no orkut, no facebook, na frase do MSN. Quem sabe ele leia? Quem sabe ela leia? Todo mundo lê, eis a questão.Não adianta imaginar que nada mais vai mudar, porque já mudou. Já era!
Já assisti aos divórcios, às separações sob todos os ângulos possíveis. De cabeça pra baixo e lado-a-lado. Agora, firme sobre meus pés e de cabeça erguida, aceito ser feliz novamente. Porém, resta entender quem está passando por tudo isso. Inevitável a lembrança de minha própria experiência . Tenho a sabedoria dos meus trinta anos de profissão, lidando com processos e dramas tristes de assistir.
Espero que você, se estiver passando por isso, seja forte. Não brigue por tolices, não caia nessa armadilha. O que passou, passou e, certamente, tudo isso vai levá-la(o) a um final muito mais feliz do que pode imaginar. Força e abaixe suas armas. Tijolos a gente compra tudo outra vez, não brigue por isso. Experiência própria: isso não vale a pena.
E, se tiver tido a sorte de ter encontrado um novo alguém, parabéns. Esse é o melhor presente que o destino poderia ter lhe oferecido. Pare de olhar pra trás, o minuto que passou não voltará. Quem é ex, não voltará também. E, como diz aquela musiquinha de Natal, o futuro já começou!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!