É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







4 de nov de 2010

SURPREENDA-ME!



Eleger alguém para assumir o mais alto posto em nosso coração não é tarefa simples.
Tempo, calma, atitudes, detalhes. Tudo isso é somado lentamente e, feito semente, germina e se desenvolve. A paixão inicial se transforma, enraíza ou apodrece, depende...
Ir com sede ao pote induz a equívocos que sufocam e desgastam rapidamente o relacionamento. Cobranças absurdas, desconfiança, ciúme psicopata. Nada disso fortalece uma relação amorosa. Seriedade sim, comprometimento sim, mas asfixia jamais! Encontrar a dose certa. O que é cuidado e o que é excesso?
É preciso ter paciência. Eu mesma procuro dentro de mim essa qualidade que, confesso, está em falta no meu estoque. Conhecer alguém é algo que se faz diariamente e durante a vida toda. Minha avó dizia que é preciso que o casal, junto, coma um saco de sal pra que se conheça. Não sei quantos quilos pesa o tal do saco de sal, mas acredito que uma tonelada.
Surpresas. Surpreenda-me! Tão bom ser surpreendido. Surpresas agradáveis, claro. Descobrir que quebrou a cara, mas do jeito melhor possível. Que todas as dúvidas que existiam e causavam insegurança deram lugar a um plano de felicidade a dois. Surpresas. Quantas vezes tive surpresas terríveis? Pés no traseiro traiçoeiros, no momento que eu considerava o auge do relacionamento? Puxadas de tapete que deixaram lembranças sombrias. Isso traumatiza e dá-lhe sessões de terapia. Superação. Quantas vezes é preciso que o coração sangre? Não sei. O meu já foi atropelado e, bravamente, sobreviveu.
O que não mata, fortalece. É o que dizem. E cá estou divagando novamente. E cá estou às vésperas de completar seis meses de namoro. Quase um recorde. Quantos gramas de sal teremos comido juntos? Algo que cabe em uma pequena colher de chá. O suficiente pra saber que vale a pena esperar. E dá-lhe sal!

2 comentários:

'Glenda Barros disse...

hummmmmm Felicidades a Divaaaa!!!
Olha amiga, seis meses de namoro pra mim também é recorde! rs A coisa tá difícil e deve ser por algum exagero de minha parte, que eu ainda não descobri. O jeito tem sido ficar quieta em meu canto e esperar, minha vida tá precisando mesmo de um pouco de sal....dá-lhe saaaal...rsrs

beijo

Cláudia disse...

Glenda,

Não adianta nada ficar quieta no seu canto esperando. Tem que ficar tranquila, mas "sempre alerta". Esse recorde que comentei, na verdade já superei. Fui casada durante muitos anos, com o meu primeiro namorado. Hoje, divorciada, acho dificílimo um relacionamento durar mais do que alguns meses. Desta vez, na fase pós-divórcio, estou quase batendo o recorde. Por essa eu não esperava..rs
E dá-lhe sal...
Bj

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!