É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







9 de jun de 2011

FELIZ DIA DOS NAMORADOS!


Posso dividir minha vida em duas etapas: A.D e D.D. Isso significa: Antes de Divo e depois de Divo. Ou, pra ser mais justa, posso dizer que as etapas são A.A. e D.A.: antes do Álvaro e depois do Álvaro. Álvaro, esse o nome do meu “Divo Latívio”.
Antes de conhecê-lo, aos quarenta e nove anos de idade, a estrada que enfrentei foi de espinhos. Sozinha, buscando o meu par. Sempre acreditei no Amor. Não sou exatamente romântica, mas sonhava com alguém que fugisse à regra. Um homem incapaz de trair, mentir ou agredir. Coisas básicas pra que um relacionamento seja verdadeiro e valha a pena.
Realista, não esperava alguém perfeito, mas sim alguém cujos defeitos fossem compreendidos por mim. Não procurava um sapo que se transformasse em príncipe ao ser beijado, porém lá no fundo do meu coração pulsava a certeza de que assim seria, nos apaixonaríamos depressa e a decepção não aconteceria com as dificuldades normais de um relacionamento amoroso.
Altos e baixos acontecem. Namorar não é tão simples, assim como ser casado também não é simples. É preciso superar-se, abstrair a própria vontade, deixar de lado o egoísmo, a intolerância e aceitar a pessoa como ela é. Há a possibilidade de crescimento mútuo quando as coisas estão difíceis. Ajudar um ao outro, isso fortalece o relacionamento.
Sempre tive um modelo de Amor romântico a seguir. Admiro meu irmão e minha cunhada, um casal jovem, bonito. A alma daquele relacionamento é ela, a minha cunhada, Renata. Doce, ela é a meiguice com olhos amendoados. Forte, surpreendentemente forte! E ele, homem de sorte, experimenta há mais de vinte anos o sentido maior do casamento: Amor autêntico, respeito e compreensão.
Meu exemplo, tão contemporâneo! Um casal de irmãos. Ele está com câncer. É duro sim! Difícil pra todos nós, mas pra eles dois é indescritível essa dificuldade. E ela não o solta um instante. Cuida, mas com tanto carinho e tanta dedicação que, de novo, eis o meu exemplo. Aquela coisa do “amar e respeitar, na saúde e na doença”, está acontecendo pra valer e bem ao meu lado, em minha família. Quanto orgulho sinto deles dois!
Voltando à minha fase A.A., eu queria pra mim exatamente isso: um homem que fosse HOMEM. Que me acompanhasse, protegesse, respeitasse. Alguém que não se curvasse à extensa oferta de mulheres ao seu redor, que me elegesse pra ser sua companheira. Não pelos meus olhos claros, já com ruguinhas ao redor, mas pelo meu coração, pela minha alma e pelas minhas atitudes. E ele me reconheceu! Meu sapo se transformou em príncipe ao enfrentar ao meu lado momentos muito difíceis. Momentos dele, momentos meus e momentos nossos.
Nada mais é como foi um dia. Não há solidão em meu coração agora. Quando penso no dia de amanhã, meus pés saem do chão. Voltei a sonhar, a fazer planos, voltei a sorrir e até mesmo textos que escrevo ganharam o perfume da minha felicidade.
Neste dia dos namorados quero deixar a homenagem ao meu irmão, Flávio, e à sua linda Renata. Mais forte que a doença física, mais forte que qualquer dificuldade terrena, é o Amor que existe no coração deles dois.
Com eles aprendi que o passar do tempo não apaga a chama da paixão. O tempo é apenas uma ficção.
Que daqui a vinte anos, meu Álvaro e eu, nós dois com setenta anos, estejamos celebrando esta data como se ainda fosse a primeira. Não importa o estado civil que tivermos escolhido. Pra sempre, sempre, sempre, eu o amarei como meu maravilhoso namorado.
E você leitora, leitor, se estiver sozinha, sozinho, acredite que existe alguém destinado a ser seu par. Seja seletiva, seletivo. Não se conforme com menos do que Amor autêntico e recíproco. E você, que já tem seu par, seja forte, tempere a razão com a emoção. Agradeça aos Céus a pessoa que tem ao seu lado e celebre a data com muitos beijos e muito carinho.
Feliz Dia dos Namorados! Que todos sejamos um pouco Flávio e um pouco Renata, afinal o Amor é o sentido maior desta vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!