É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







10 de jul de 2011

PESADELO


A fera que em mim habita amanheceu inquieta, despertou-me antes do sol raiar. Afiou as garras, mostrou os dentes pontiagudos, rugiu. Fugiu de mim, libertou-se inesperadamente. Fingi não reparar, ocupei-me com afazeres banais. Lá estava o bicho, a observar meus passos, persistente. Meus pensamentos observados, meus gestos acompanhados por seus olhos amendoados, sem brilho, olhar opaco. A fera que adestrava diariamente escapou da jaula. Capturá-la requeria cautela e habilidades muitas. Isolamento, reflexão, estratégia. Angústia! Fitei longamente seus olhos, contendo meus piores instintos. Aproximei-me cuidadosamente, sem hesitar, sem retroceder meus passos. Estendi a mão lentamente em sua direção e chamei-a com o tom de voz firme, sem revelar qualquer temor. Passo a passo, mais e mais perto, contendo meu pior inimigo: o medo de mim. Senti o odor de seu hálito, o calor de seu corpo gigantesco. Afaguei-a, aproximei-me tanto que, praticamente, nos tornamos uma só. Trouxe-a de volta pra dentro de mim, no mais obscuro labirinto de minha consciência. Lugar seguro, inofensivo, trancafiada novamente. Despertei aliviada, enfim sã e salva, a fera adormecida, enjaulada novamente. Um pesadelo! Sonhei ter fugido de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!