É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







19 de set de 2011

SOMOS UM!


Enquanto almoço, deixo o notebook ligado. Irresistível, alimento o corpo e a alma ao mesmo tempo. Escrevo um bocadinho, isso alivia a segunda-feira, dá novo ânimo, devolve o meu sorriso. Derramo o olhar sobre meus e-mails. Lá, palavras de um irmão, nossas confidências.
Flávio com dor, o câncer dói, o coração se quebra em infinitas partículas de lembranças felizes da meninice, da inocência de um faz de conta amarelado pelo tempo. Empurro o prato de comida, perco o apetite. A fome é de felicidade. Vou à janela e observo o dia ensolarado. Sopra uma brisa friazinha. O céu está azul, lá estão os que me inspiram, os que sopram textos que escrevo. Será longe?
Fecho os olhos e volto ao quintal de nossa casa, viajo ao passado. O belo casarão cor-de-rosa em Moema. Oito, nove anos de idade. Meus irmãos ainda pequenos, as roupas penduradas no varal. O aroma de bolo extrapola a cozinha e nos alcança. O mesmo céu azul. Encontrei um esconderijo, ali estamos sãos e salvos. Seguro as mãozinhas do Flávio, acho que ele tem quatro anos de idade. Maninho, eu vou cuidar de você. Desperto. Atrasada, outro compromisso no trabalho. Releio o e-mail e o respondo apressadamente. Ele vai ficar bem, ele vai se curar. Temos o nosso quintal, as nossas lembranças, a casa cor-de-rosa. Somos um. Nós somos um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!