É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







26 de out de 2011

CASAMENTO: QUANDO UM QUER, MAS O OUTRO NÃO QUER


O que fazer quando ele não quer casar, quando ela não quer casar? Um namoro deveria rumar pra um compromisso sério, sem passos trôpegos, sem divergências estruturais. Inevitável que, diante dessa divergência de objetivos, aconteça uma cisão, um abalo no relacionamento.
Tenho escutado, feito um mantra em meus ouvidos, a seguinte afirmação: casamento não serve pra nada, pra quê casar? . Quanto mais escuto, mais penso no quanto é importante a comunhão de esforços, o mesmo ritmo, a mesma intenção, para que o relacionamento valha a pena, seja feliz, faça sentido.
Tem que ser bom para os dois. Sem brigas, sem mágoas, sem medos. Tudo claro, simples e conversado. Um não quer casar, o outro quer casar. O que fazer? Há duas alternativas, as mais evidentes: parar ou continuar. Um dos dois vai abrir mão de algo, sacrificar o que deseja pra si, em prol do casal. E quem ama se sacrifica em favor do par. Até que ponto isso é bom? Um casamento que começará assim, com um sacrifício da vontade, abrindo mão do que se quer pra si, poderá ser um casamento feliz?
Dessa falta de união de objetivos, surgem dúvidas que machucam muito aquele que escuta as negativas: será que sou amado? Será que sou amada? O risco, que é natural e sempre existe. Somente o passar do tempo, o enfrentamento das muitas dificuldades da vida, é que fortalecerão a relação. Casando, ou não casando, se vai dar certo ou não, será sabido depois de certo período. Muitos dias de sol, muitos dias de chuva, muita água sob a ponte. O resultado chegará depois de algum tempo.
Acho que a pergunta principal é: quem ama age assim? Quem ama pega trilhas paralelas no caminho da vida? Eu acho que não. Quem ama se transforma em pedra no caminho do par? Claro que não. Quem ama fica ao lado, quem ama quer o bem. Quem ama não se imagina sem o ser amado. E se for preciso casa, não casa, mas faz isso pensando no melhor pra si e pro casal. Sem individualismo, sem egoísmo, sem causar sofrimento, sem sacrifícios que te anulem.
Vale a pena conservar um relacionamento com tamanha divergência de objetivos? Cada um tem que encontrar, por si, essa resposta. Investir em uma relação que causa mágoa, sem harmonia de ideais, isso não vale a pena. Quem ama não solta, não abandona, não machuca, não destrói sonhos, quem ama faz planos bonitos lado a lado. E se não for assim, é um relacionamento oco, sem o ingrediente principal: amor. Tem que fluir com naturalidade, sem fazer muita força, de um jeito gostoso. Não quer casar, mas ele quer. Não quer casar, mas ela quer. Será que o melhor não seja parar tudo e ir procurar alguém que pense parecido com você? A separação dói. Viver em um relacionamento sem ser amado, amada, isso dói muito mais.

Leitores: recebo muitos comentários nesta postagem. Recomendo a leitura desta outra publicação, aqui no blog: Casamento: sim ou não?

ATENÇÃO LEITORES: Os comentários desta publicação continuam a ser recebidos, respondidos e publicados por mim. Vocês ultrapassaram 200 comentários aqui e o blog direciona para uma segunda página. Vocês poderão visualizar seu novo comentário e minha resposta olhando em letrinhas miúdas, abaixo da publicação dos comentários, clicando em "mais recentes". 

234 comentários:

1 – 200 de 234   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

ao inves de explicar voce so faz mais perguntas.... --'

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, Anônimo!

Obrigada pelo seu comentário. Se você tiver a resposta para tão difícil problema, mande-a para nós.

Um abraço.

Anônimo disse...

adorei foi otimo,pois suas perguntas...nos faz refletir sobre nossos proprios sentimentos!
odorei

Cláudia Cavalcanti disse...

Que bom que você gostou, Anônimo. Espero tê-lo (a) ajudado! Volte sempre!

Anônimo disse...

Adorei o seu post. Estou passando por esse dilema e suas perguntas me fizeram responder dentro de mim o que de verdade quero. Casar com alguém que queira se casar e faça planos junto comigo. Que queira até mais do que eu e principalmente que me ame.

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, Anônimo!
Acho que o Amor é uma troca natural. Sem a necessidade de cobranças, sem dor, lágrimas. Algo bom, com muita afinidade, alegria. Por falar em alegria, esse será um dos meus próximos temas. A gente aprende a amar vivenciado o desamor que nos oferecem...
Obrigada pelo seu comentário. Beijo e sempre venha aqui,

Diva

Anônimo disse...

Amei o post. Só que ainda continuo no dilema pois amo meu namorado, ele quer casar só que é ciumento. Eis a questão.

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, Anônimo!
Ciúme é feito pimenta, dá um certo tempero, realça o sabor, mas demais ninguém aguenta! Pense bem e não abra mão de si, jamais, jamais, jamais! Beijo, boa sorte e conte com Diva Latívia para trocar ideias!

Anônimo disse...

Olá! Estou passando por esse dilema... acabei de sair da casa do meu namorado (não moramos juntos!) e antes de fechar a porta disse: reflita bem o que você quer! Porque namoramos há mais de 3 anos, tenho 34 anos.. e sempre tive o sonho de construir uma família, crescer ao lado de alguém. Ele tem 31 anos, sempre estive ao lado dele nos momentos difíceis (principalmente no que se refere a vida profissional!) e hoje numa conversa à toa ele deixou escapar que não pensa em casar ainda e não sabe se vai pensar mais para frente! Eu sei que ele não está trabalhando e vivendo de bolsa Pós Doc, mas se uma pessoa fala assim... espera o que da outra? Isso magoa, falar que me ama não basta! Ele me passa insegurança! Eu passar anos da minha vida apoiando ele, cozinhando, sendo companheira, carinhosa, para lá na frente, quando eu estiver mais velha virar e ele me dizer que não pensa AINDA em se casar? Complexo. Preferi hoje, após muita reflexão sozinha, deixá-lo refletir sobre a vida.... E eu, com muita dor, tocar o meu barco sozinha!

Cláudia Cavalcanti disse...

Hoje estou mais experiente, mais "velha" e vejo o casamento como uma emboscada. É muito linda a cerimônia, muito romântico na cabeça da gente o fato de se casar, ter sua casa, seu status de casada e filhinhos ao redor. Mas, oi! Alô! Estamos no século 21! Você vai se casar com um cara que não sabe o que quer? Ainda bem que você lavou, passou, cozinhou e cuidou do mala sem alça. Fez um test drive. Vai levar pra você essa tranqueira que não engata uma segunda de jeito nenhum? Eu sugiro que você reflita sobre o que quer da vida. Ele não vai refletir, ou melhor, quando as tarefas que ele não sabe, ou não quer fazer, se acumularem é capaz dele miar nos seus ouvidos, como quem está morto de saudade. Garota, você pode até se casar, mas casamento é pra quem tem total harmonia com o par, as mesmas perspectivas, os mesmos sonhos. Um homem que ama de verdade não deixa a mulher nessa agonia. Quanto a ter 34 anos, você é uma garota. Talvez, ter filhos seja a questão, mas ainda tem mais alguns anos pela frente antes de virar essa página. Calma, porque pior do que casar com a pessoa errada é se separar dessa mesma criatura. Pense você, afinal ele demonstra não pensar em nada que não seja nele mesmo. Venha mais vezes trocar ideias com Diva Latívia!

Anônimo disse...

Oi vi seu post e me fez refletir sobre meu relacionamento. Eu diferente do que a maioria não estou desesperada pra casar(pelo menos não agr) mas penso nisso pro futuro.. O problema é que tanto eu quanto meu namorado não temos uma vida financeira legal.. E ele ainda mora com os avós e apesar de ter 25 anos não parece se preocupar muito com o próprio futuro!! Meu problema com ele não é bem o casamento, mas a forma como ele lida com a própria vida. Nós namoramos a 3 anos e entre idas e vindas desse relacionamento, ele não me apresenta toda sua família (os mais importantes segundo ele eu conheço) e nem quer conhecer a minha. Me pergunto se esse relacionamento tem futuro. Pq apesar de gostar dele, não posso mais aceitar essa forma dele viver! :(

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi, minha leitora Anônima.
Li com atenção o seu comentário. Sabe no que pensei? Em mim aos 25 anos de idade. Eu tinha um excelente emprego, eu já tinha terminado a faculdade, eu era independente financeiramente. Dizem que um relacionamento amoroso pra sobreviver e ir adiante precisa de algumas bases, sem as quais ele termina, ou fica sendo arrastado pelo casal. Uma das bases é a admiração pelo par. Como admirar um homem que não se esforça para ter independência material, sucesso profissional? Difícil, não é? E como aceitar a falta de consideração ao querer conhecer algumas pessoas da família dele e ele se recusar a apresentar ( é um exercício negativo de poder que ele joga pra cima de você). Posso dar a minha opinião? Menina, acorda! Você é quem tem que ter sucesso nesta vida, larga a pedra amarrada no tornozelo e vá ser feliz. A vida passa em um piscar de olhos, não perca a melhor fase de sua vida ao lado de um... babaca. Beijos e, se quiser, poderemos conversar mais sobre isso.

angelaribeiroful disse...

ola, gostei muito do seu comentario, estou passando por uma situação muito dificil, porque eu namoro a 5 anos e nesse final de semana um colega nosso perguntou quando a gente ia se casar ele respondeu que casar pra que? nossa depois de todo ese tempo denamoro ouvir isso pra mim foi muito ruim, ele disse q se eu quero casar estou com cara errado, entao ele ta comigo todo eessse tempo pra que? pra cutir com minha cara né? eu to muito chateada nao sei o que fazer

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, Ângela!

Agradeço o seu comentário. Quanto ao que você relatou, não existe um único modelo de sucesso em relacionamentos amorosos. Vale quase tudo, desde morar junto sem casar formalmente, até casar no papel e cada um morar na própria casa. Hoje o que deve prevalecer é o bem estar do casal e o fortalecimento do vínculo afetivo. Mas, a maioria das mulheres foi criada sob a lavagem cerebral dos contos de fadas. Eu fui criada assim! Meu modelo a ser seguido não foi, jamais, a Madre Teresa de Calcutá. Meu modelo a ser seguido era a Cinderela. Entendo que você esteja muito chateada, tem toda a razão de estar assim. Mas, se ele disse que é o cara errado, então OPS!!! Melhor pisar no freio e refletir. É justo conviver, se doar, investir no relacionamento com alguém que se declarou um idiota completo? Querida, pode parecer impossível, mas a vida dá muitas e muitas voltas e, apesar de não ser um conto de fadas e o príncipe quase sempre ser um babaca, a chance de ser feliz com, sem e apesar desses desencontros amorosos é muito, mas muito grande. Que tal pensar em você mesma? Pense em si e, já que nós duas não estamos lado a lado conversando sobre isso, provavelmente não nos conhecemos, então eu sugiro que você troque uma ideia legal com alguém mais experiente, pra que você possa desabafar sem ser julgada. Boa sorte e conte aqui comigo, sempre que quiser conversar basta escrever. Um beijo.

angelaribeiroful disse...

muito obrigada Claudia pela sua resposta mas tudo que vc me disse é verdade que adianta se dedicar como eu me dediquei todos esses anos? como ele mesmo disse se eu quiser casar ele nao é o cara entao ele é um tremendo idiota e nao sabe q mulher q ele ta perdendo, acha q vai ser novo a vida inteira, quero ver quando ficar sozinho aí sim ele vai ver o que ele perdeu, eu fico meio assim sabe de tocar no assunto de novo porque ele é muito ignorante, eu sou mais sensivel, mas amei os seus conselhos e com certeza eu vou pensar e refletir bjus e obirgada por tudo

Cláudia Cavalcanti disse...

Ângela,

Devo ter idade pra ser sua mãe, então eu vou te dizer uma coisa com a sabedoria de quem é mais experiente: calma! O tempo traz as respostas. Acalme-se, dentro de alguns dias seu coração vai te mostrar qual o melhor caminho a seguir. Essa sua decisão, neste momento, está carregada de mágoa! Ninguém decide qualquer coisa de modo justo e sereno quando está magoado! Então, espero que você se acalme, que ouça seu coração depois de uns dias e, então ( e somente nesse momento) volte a conversar com ele, dessa vez usando a razão. Viu? E conte sempre comigo para conversar.

angelaribeiroful disse...

obrigada minha querida pelos seu conselhos, vc nao sabe o alivio que me fez nossa conversa e com ctza eu vou dar tempo ao tempo, e me acalmar e fazer q vc me falou usar a razao, bjus e fica com Deus

Cláudia Cavalcanti disse...

Ângela,

Boa sorte!!!

Beijo

Anônimo disse...

Ola namoro a 7anos, e meu namorado fala em casar porem não coloca em pratica.perguntei se ele.comentou com a mãe dele sobre o casamento diz sempre que não.
Sera que ele quer mesmo se casar??

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi, Anônimo(a)!

Será que ele quer mesmo se casar?
Somente VOCÊ poderá perguntar isso pra ele. Talvez, ele queira, mas não agora. Isso não significa, necessariamente, que ele não te queira, ou não pense no futuro. Porém, é bastante ruim um relacionamento com lacunas, dúvidas. Costumo dizer que onde há a dúvida, qualquer coisa pode ser colocada nesse buraco, para preencher os fantasmas e monstrinhos que colocamos no meio. Enfim, você está inseguro(a) e nada melhor que uma conversa clara, madura, honesta, de cara limpa, para acabar com essa angústia. Agora te pergunto duas coisas: 1- O que a mãe dele tem a ver com isso? Afinal, por mais legal que seja ter o apoio da família do par, a sogra não faz parte do casal. Isso é assunto só de vocês dois, por favor, não terceirize as decisões, ok? 2- Será mesmo que você quer se casar? Porque a gente quando quer, vai lá e faz. Não será que nesses 7 anos de relacionamento, os planos mudaram? Porque não tem nada demais deixar o casamento pro futuro, ou mesmo nem casar. Pense nisso e fique à vontade para continuar o papo comigo. Um beijo, Diva Latívia ( Cláudia).

ALine disse...

Olá...Namoro há 4 anos...Sempre me esforcei, me dediquei ao máximo para faze-lo feliz e agrada-lo... Mesmo sabendo que muitas vezes eu não receberia o mesmo de volta...não da forma que esperava...Mas ele tinha suas formas de agradar...E ele é meu companheiro, amigo de todas as horas... Gosto de estar com ele...
Porém já moro sozinha há quase 3 anos.
Tenho desejo de casar, ter filhos, construir uma vida...Lutar para conquistar bens materiais a dois... Porém até hoje, nunca conversamos seriamente sobre isso... Não temos nenhum plano pro futuro...Se quer consigo planejar uma viagem grande...As vezes falo para irmos visitar minha mãe que mora em outro estado... E até hoje, ele nunca foi...e nem se anima muito...dá sempre uma desculpa diferente... Isso me estristece...Mas eu tento compreender as dificuldades dele quanto a isso...E penso que um dia vai dar certo de irmos até lá...
Porém completei 27 anos agora, e já comecei a refletir sobre esse ponto de casamento...Afinal, depois de 4 anos, eu acredito que os dois já deveriam saber o que querem ou não pro futuro, se pretendem ou não ter algo mais com a pessoa.
E o fato de não falarmos disso...começou a me afligir...ficava meio triste...pensativa...fiquei até meio distante...sem perceber fiquei estranha com ele...
E um dia ele veio me perguntar o pq do meu comportamento, pq eu estava meio distante...E eu resolvi desabafar , o que eu realmente estava sentindo... Coloquei tudo pra fora, com toda sinceridade do meu coração...Falei do meu desejo, e dos meus medos...Do meu sonho de ser mãe...E falei que tenho sonho de noivar e casar...e que não queria abrir mão disso...Mas eu achava que ele não tinha os mesmos sonhos que eu...
Ele logo falou que agora não era hora de ter filho, pq ele queria se estabilizar financeiramente...Que nao entendia pq eu estava com tanta pressa...se o mundo nao iria acabar amanhã.
Eu expliquei que nao quero ter filhos agora...Disse que nao pretendo ser mãe solteira.
E que eu só queria que nosso relacionamento avançasse de estagio...Que tivessemos algum plano...Conversassemos sobre isso pelo menos...

E ele não me respondeu mais... E disse que estava se sentindo cansado,...
E até hoje não nos falamos mais, fazem 3 dias...
Estou refletindo muito sobre essa atitude dele...Mas estou dando espaço para que ele reflita, se é que esta refletindo...
Mas ao mesmo tempo, me sinto magoada...E triste...
E com medo...de quem sabe talvez até ter que seguir em frente sem ele...
Só queria entender...

Cláudia Cavalcanti disse...

Aline,

Você disse várias coisas importantes nesse seu desabafo. Primeiro, falarei dos pontos positivos dele que você apontou: amigo, companheiro de todas as horas. Isso é fundamental, não existe amor se não existir essa cumplicidade. Outro ponto positivo é que ele sabe que para se casar e também para ter filhos é preciso, antes de mais nada, ter estabilidade financeira.Isso é sinal de responsabilidade! Agora, irei aos pontos negativos: ele está cansado. Mas, quem não está cansado neste mundinho de hoje? Aposto que você também está cansada, mas não alega cansaço pra fugir da conversa, não é mesmo? Outro ponto negativo, ele não compreende a sua necessidade de viajar. Isso eu sei como é, viajar é tão bom, mas tão bom, que sem isso a vida fica besta de dar dó. Você é jovem, tem 27 anos, Já parou pra pensar se a sua necessidade primeira não é essa, não é viajar, conhecer novas culturas, novos lugares, quem sabe ir fazer um curso no exterior, algo assim? Porque casamento, sinceramente, 99% das vezes, enterra os sonhos de viajar. Se ele não gosta de viajar, ou se ele é desligado, aí sim eu vejo a necessidade de conversar com o moço. Mas, vem cá, menina... Você está triste, magoada, já namora faz 4 anos. É uma felizarda que mora sozinha, isso é muito legal! Tem certeza que quer trocar seu cantinho sossegado, sua chance de viajar pra caramba, sua paz ( afinal, quando quer estar sozinha tem seu cantinho) por um casamento com alguém que não gosta de viajar??? Não estou dizendo que vocês dois não devam ficar juntos, por favor, não entenda isso! Mas acho sim que é precipitada a sua sede pelo casamento, por respostas, posicionamento. Garota, se você viajar sem ele, for por exemplo pra Londres fazer um curso na sua área profissional, juro que ele vai repensar esse desinteresse, esse cansaço. Juro também que você vai repensar essa sua ideia de querer casar com quem é muito legal, mas não parece compreender suas necessidades, nem tem os seus ideais e necessidades. Esqueça isso de filho, pelo amor de Deus. Filho é lindo, maravilhoso ( eu tenho um filho da sua idade). Mas, se eu pudesse voltar no tempo, eu teria sido mãe com mais de 40 anos. Sério!!! Eu teria viajado muito mais... Estou aqui para conversarmos sempre. Se quiser continuar o papo escreva pra mim. Um beijo e... Deixe que ele fique lá pensando, enquanto isso sonhe com algo maior do que casamento e filhos. Você tem a vida toda pela frente! :-)

Aline disse...

Muito obrigada Claudia pelas palavras.
Me ajudaram bastante...
Concordo com você que preciso mesmo viajar mais, e vou fazer isso sim! Com ele ou sem ele.
Até hoje ele não veio falar comigo, e está sumido das redes sociais.
Nem sei como interpretar essa atitude dele... Na verdade penso que ele não deve mesmo gostar de mim.
Estou bem magoada, tinhamos planejado de ir jantar em um lugar bacana no dia dos namorados e nem pra isso ele apareceu.
Mas ao mesmo tempo estou com raiva disso também...Ele não tinha esse direito de simplesmente sumir sem falar nada só pq toquei no assunto de casamento, filhos e futuro.
Se ele não quer nada disso comigo, então que falasse, que fosse sincero, sobre o que ele queria ou não de verdade... eu ia ouvir e decidir, se aceitaria ou nao as condições...
Mas como muleque, que eu acho que ele está sendo, preferiu fugir do assunto e sumir...
A vontade que tenho neste momento é de nunca mais perdoa-lo por isso...
Estou bem triste...mas to tentando ser forte e não desmoronar...
E também não vou procura-lo!
Ele sabe onde me encontrar...Mas até lá...não sei se estarei disposta a recebe-lo!
Enquanto isso, vou sair com amigos, focar na academia, no meu trabalho, e cuidar de mim!
E tentar sorrir, mesmo estando triste...rsrs
É o que nós mulheres vivemos fazendo né?

Obrigada novamente por ter me respondido!
BJss

Cláudia Cavalcanti disse...

Fique firme, não pense coisas negativas, cuide-se muito e busque a companhia de pessoas que gostam realmente de você ( família e amigos). Se um dia viajar, mande pra mim a história, quem sabe poderemos ajudar mais garotas que passam pela mesma situação, tá? Venha sempre que quiser, estou aqui para conversarmos. Um beijo.

Anônimo disse...

Olá, bom dia.
Namorei um cara três anos e três meses.Eu acabei de fazer 42 anos e ele 32.Eu não tenho filho ainda, mas quero muito ter.Por este motivo nós já nos separamos umas 4x, porque ele não quer de jeito nenhum. Fala que não está preparado e tal. Sempre acabamos voltando porque a gente se identifica e se ama. Gostamos de fazer as mesmas coisas, temos manias parecidas,, nos damos bem na cama. Temos uma profissão em comum e sempre viajávamos juntos, fazíamos tudo juntos. Eu sempre orei muito para Deus fazer um milagre em nossas vidas e mudar a vontade dele, mas até o momento isso não aconteceu e eu não tenho muito tempo para esperar e ele se cobrava por isso. Achando que estava tomando o meu tempo, por não querer ter filho e ficava sempre doente. Sofre com problema de depressão, é filho único... Não sei se isso influencia. Já fizemos planos de comprarmos apartamento juntos e morar, mas sempre na hora de dar o passo ele dava pra trás. Procurou ajuda com psicólogo, mas isso é muito demorado. E também parece que piorou depois que começou a fazer as sessões. Por último, quando terminamos ele disse que não estava mais aguentando nosso relacionamento. Isso me deixou muito triste, pois eu sempre dei o melhor de mim. Acho que quem realmente ama faz qualquer coisa pra ficar com a pessoa amada. Não é verdade? Estou levando a vida, tranquila, sem me desesperar. Confio que Deus tem um plano em minha vida melhor do que eu imagino.
Adorei seus comentários, me ajudaram muito.
Tenha um excelente dia!!!

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia!
Li com atenção o seu relato. Entendo seu lado, mas entendo também o lado dele. Ter filhos... É algo agridoce, não é o paraíso, nem se parece com a felicidade da propaganda de margarina. Filho é mesmo uma surpresa, alguém que podemos ajudar, educar, orientar, mas o que ele vai ser neste mundo ( e não digo profissionalmente!), isso não depende de nós. Filho tira o sono, dá sim um trabalho enorme. Você tem alguém super legal, com quem gosta de estar, tanto que reza e pede um milagre. Mas, ele não é obrigado a sonhar os seus sonhos, né? Eu ficaria com o cara e deixaria o filho pro futuro. Ah, mas voce já tem 42 anos.. Mas, hoje em dia, mulheres de 48, 50 anos ou mais têm filhos. Além disso, saiba que muitos meninos e meninas rezam todos os dias pra Deus iluminar o coração de alguém que irá adotá-los. Beijo.

Anônimo disse...

Oi Cláudia tudo bem?
Amei seu post <3

Gostaria de algumas palavras suas por favor.
Namoro a 7 anos, sempre quis casar e formar minha família(como grande parte das mulheres) mas meu namorado estava em outra sintonia. O foco dele era trabalhar e estabilizar financeiramente o que eu acho certíssimo. O problema é que ele nunca falava em casamento, filhos e planos em geral. Ele fala que não gosta de fazer planos e que acha que as coisas vão acontecendo naturalmente.
Trabalhamos juntos, e vivemos razoavelmente bem. Ele é um homem muito bom! A questão é que trabalhei na minha mente que eu precisava parar de sofrer por conta do descaso em relação ao casamento e cheguei no ponto que agora ele quer casar e eu não sinto mais vontade!!! Ele conseguiu firmar a empresa, pagar as dívidas que tinha e agora quer casar. Mas quando ele me chamou pra comprar as alianças, senti uma dor no peito e uma enorme vontade de chorar e sair correndo. Gosto dele Cláudia, admiro, sei que se deixa-ló, estarei deixando um grande homem. Mas penso em tudo o que nunca fiz e que se eu casar nunca vou fazer!!! Mas também tenho medo de não casar e me arrepender. Por favor me diga algo, me ajude!!! Ele me oferece uma vida estável e tranquila porém a vida de casada é uma gaiola certo??? Me ajude por favor pois ele disse que temos que decidir.

Cláudia Cavalcanti disse...

Casamento não é gaiola, não é prisão, não é castigo e pode sim ser muito feliz e durar a vida toda. Por isso, não se sinta engaiolada ao decidir se irá, ou não irá se casar. Você investiu sete anos de sua vida nesse relacionamento e agora, tudo a favor da realização do sonho, você se põe a sentir-se prisioneira de sua escolha? Não faça isso com você mesma, não sabote a sua felicidade! A não ser que o amor tenha acabado ( e aí a história é outra e precisa de muita reflexão para que você decida o que fazer), não estrague tudo dessa forma. Pense bem... Todas as escolhas que fazemos na vida, todas elas, exigem abrir mão das demais opções. Pense em você daqui a 5, 10, 20, 50 anos. O que você quer pra si?
Estou aqui para voltarmos a conversar, se você quiser.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Oi Cláudia, Bom dia! Namoro a seis anos, namoro ótimo, tem companheirismo, nos divertimos, moro com minha mãe e ele com a mãe dele, tenho 25 anos e ele 27, não temos instabilidade ainda,Ok, mais ele não toca no assunto CASAMENTO, e toquei no assunto e ele disse que não pensa nisso agora, que me ama, que eu deixe as coisas acontecerem naturalmente. Mais eu fico insegura, por que a pessoa faz parecer que não tem planos de casamento. estou pensando em terminar. o que acha?

Anônimo disse...

Olá Cláudia bom dia!

Pode me responder algo por favor? Você casada? Se sim, a muito tempo?
Faria de novo?

Bjão e muito obrigada pela atenção :D

Cláudia Cavalcanti disse...

Que tal, caros Anônimos, vocês inventarem um pseudônimo? Agora terei que responder pela ordem dos anonimatos. Anônimo(a) que está insegura, porque o namorado a ama, mas quer esperar que tudo aconteça mais adiante e com naturalidade. Não os conheço, mas acho que ele está certo. Pra quê sair da casa dos pais aos 25, 27 anos e enfrentar a barra que é pagar contas, limpar casa, fazer supermercado, lavar roupas, passar roupas. Meninas, a gente casa e as responsabilidades se multiplicam! Por que não vão viajar? Por que não vão aprender mandarim, fazer pós graduação, intercâmbio, algo assim? Desculpem, mas não entendo como pode ser isso, garotas do século 21 querendo a todo custo enfiar o infeliz do namorado em um fraque e colocá-lo em cima do bolo, ou no altar. Deixem que a vida se encarregue do porvir. Não atropelem o momento, curtam seus pares e o dia de hoje. O que tiver que ser, será.
Quanto à pergunta sobre eu ser casada, se isso aconteceu faz tempo e se eu faria de novo. Sou sim casada, não aconteceu faz tempo e sim, eu faria de novo ( e farei se for preciso).

Beijos e juízo aí!

Anônimo disse...

Olá ! Gostei do seu post. Vim de outro estado, e acabei me apaixonando por uma mulher como nunca me apaixonei assim !
Quero desabafar :
Eu tenho 40 ela tem 29 ela mora com os pais após a separação dela de um casamento de 8 anos .
Ela tem um filho de 3 anos gosto muito do menino
O problema que ela sabe que me apaixonei e quero muito casar com ela até pq vi nela a mulher que eu sempre procurei. Ela também vinha aceitando isso
Mas até as últimas duas brigas por ciúmes idiotas meus do ex dela . ela ontem me falou umas coisas que me botaram dúvida nesse relacionamento.
Me falou que não sabe se quer casar. Não sabe que não sabe se me ama. (Até um dia atrás tinha certeza)
Não quer que eu me envolva nos seus problemas com o ex e não de pitaco com seu filho
Fiquei decepcionado !
Mas temos uma atração muito forte pelo outro.
Mas temos o ex dela e minha ex como problemas
Será que uma pessoa muda da noite para o dia ?
To achando que eu to sufocando ela!
Então queria ler seu comentário não sei se fui muito claro . pois e a primeira vez que me reporto num blog

Abraço

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

Sobre o ciúme. Lembro que minha saudosa avó usava um termo, que talvez se empregue bem nessa situação que você relatou: "dar corda para se enforcar". O ciúme é uma armadilha que nós mesmos armamos e depois, desastrosamente, caímos dentro dela. É corda para alguém se enforcar.
O ciúme está para um relacionamento como uma praga de gafanhotos está para a plantação. Compreende? Ciúme destrói o relacionamento e, algumas vezes, chega a destruir vidas também.
Você me disse que tem 40 anos de idade. É jovem, hoje em dia alguém com 40 anos tem muito chão pela frente. Além disso, 40 anos é uma idade excelente para se casar. Não, ninguém muda da noite para o dia. O ser humano precisa amadurecer, viver situações muitas e, às vezes, isso modifica seu modo de ser, mas demora anos e anos pra que isso efetivamente aconteça.
Não contou se o ex dela e se a sua ex participam diretamente de suas vidas ( não apenas o ex dela enquanto pai da criança, o que é necessário e natural). Qual o motivo dela ter ciúme de sua ex?
O relacionamento, quando chega nesse estágio do jogo do ciúme, como combustível do relacionamento e disputa pelo poder na relação, ele destrói o namoro, o casamento. Sabe aquela gente que aparece nos jornais, a mulher que matou o marido, o amante que matou sei la quem, enfim... As tragédias muitas vezes acontecem por conta desse desequilíbrio emocional, dessa falta de respeito a si mesmo, ao outro e ao próprio relacionamento. Feito veneno, o ciúme invade a razão e causa desgraças em graus diversos.
O que fazer? Sinceramente, você tem que se autoconhecer, quem bem se conhece nada teme, não tem receio de "perder" o par pro ex, pra ex ou pra quem quer que seja. Tem fé no próprio taco.
Brigas, confusão, sofrimento, desgaste. Não vejo como consertar algo que, durante o namoro, vai mal. Casar-se nessa circunstância será, provavelmente, um grande erro. O pior é que há uma criança nessa história, filho pequeno de sua namorada. O coitadinho será, direta ou indiretamente, vítima e plateia de brigas e confusões.
Pense bem no que o deixa inseguro, no que o faz "perder a cabeça". Pondere muito, afinal é isso o que você quer pra sua vida? Foi isso o que sonhou pra você? Escolher um par, isso independe do que sentimos ilusoriamente por alguém ( paixão é total ilusão que se desfaz rapidinho). O amor se justifica por semelhanças, tranquilidade, bem estar, engrandecimento como pessoa. Nada disso combina com brigas, ciúme, confusão.
Pense bem no que vai fazer com sua vida, a vida de sua namorada, pense bem no seu futuro. E, se resolver dar um ponto final no relacionamento ( que já está contaminado pelo vírus do ciúme, que é fatal), em um próximo relacionamento use esse aprendizado para não mais permitir que o ciúme destrua tudo. Uma coisa é cuidar, é zelar pelo relacionamento, ter regras de conduta claras para o casal. Outra coisa é permitir que o ciúme asfixie e mate qualquer chance de amadurecimento do amor.

Estou aqui para continuarmos a conversar, basta escrever pra mim.

Abraço,

Cláudia

Anônimo disse...

Olá Claudia, estou em uma situação não muito boa. O caso é o seguinte, meu namorado quer casar, mas a questão é que ele é muito ciumento, tenho medo sabe de casar e viver uma vida de brigas sem confiança. Ja pensei sim em contruir uma familia ter filhos, mas fica essa duvida. O único defeito dele é o ciume. Me ajuda, o que eu faço?

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá,

Acho que pra você vale exatamente o que escrevi acima, o ciúme é um veneno, uma praga que destrói o relacionamento. É isso o que você sonhou pra sua vida? Não existe oxigênio pro relacionamento evoluir de modo feliz, com cumplicidade e respeito do casal, quando existe ciúme, desconfiança, brigas. O que fazer? Não posso, infelizmente, te dizer o que fazer. Mas, se você ler todas as minhas respostas aos comentários nesta publicação, saberá como eu penso e o que eu, talvez, lhe dissesse se nos conhecêssemos. Pense muito!

Cláudia

Anônimo disse...

Olá Cláudia!

Pra você ver como são as coisas... Estou namorando uma garota tem coisa de quase um ano. Mas poxa... é chato quando você nota que a pessoa gosta de você mas não lhe ama, quer estar contigo mas não vai topar levar a vida ao seu lado...

Gostaria muito de casar novamente (meu primeiro casamento foi um beeeeeeelo de um erro). Quero ter alguém com quem compartilhar uma vida, uma história, que não seja uma história como de filmes mas algo humano, com problemas, crises e falhas (coisas essas inerentes à qualquer relacionamento entre casais) mas que são superadas, contornadas, curadas e corrigidas com dedicação e amor.

É triste quando vejo que com a minha namorada atual não vou conseguir isso. Ela gosta de mim, diz que quer casar, que etc e tal mas parece que fala só para enrolar, só para manter o namoro e ir nessa, sem deixar ou querer que a coisa evolua. Para mim está claro: ela não quer...

Chato. O pior é que eu tenho uma terrível dificuldade para dizer "não". Tenho problemas em me permitir chatear ou decepcionar uma pessoa, e isso me atrapalha em momentos como esse onde eu a decisão mais correta seria terminar o relacionamento mas... não consigo. Há a família dela que gosta bastante de mim, minha família também gosta dela. Há mais pessoas além de simplesmente nós dois que ficariam com uma pontada de decepção... Droga... eu acho que não deveria nem me preocupar tanto assim, mas acredite, não consigo rsrsrs (céus! tenho que me tratar!).

Porém, acredito que essa situação é ruim tanto para mim quanto também para ela. Se eu não desperto o desejo nela ou o amor propriamente dito, que a faça querer e sonhar com o casamento, isso significa que não sou a pessoa certa para ela. E virse versa. Continuar o relacionamento apenas fará com que as pessoas certas para nós dois não apareçam e nos impeçam de sermos felizes com esses pares que nem sequer ainda conhecemos.

Engraçado... tenho o problema e a solução, mas me falta a força de vontade de aplicá-la. Não não... não é a falta de vontade em "terminar" a relação, e sim em provocar uma série de chateações, tristeza e outras coisas mais em uma porção de pessoas. É isso o que me incomoda, mas não vejo outro jeito...

Enfim. Só desabafando antes de empurrar o tronco pela ribanceira rsrs. Ah sim. Tenho 31, ela 34, só para satisfazer uma eventual curiosidade =)

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá. Você satisfez a minha curiosidade, que na metade do seu relato já estava dando pulinhos ansiosos na minha cabeça. 31 anos de idade? Você tem muito mais discernimento e maturidade que a maioria dos homens de 40, 60, 60 anos de idade. Seu dilema, tão humano, é comum a muita gente. Não está doido, nem precisa de tratamento, questionar-se, questionar a namorada, ter dúvidas, refletir antes de entrar no trem bala chamado casamento. Está certíssimo!
Olha, a gente dificilmente chega pronto pra viver neste mundo. Acontecem muitas coisas pelo caminho da vida. Você tem sorte de conseguir encontrar dentro de si não apenas perguntas, mas nessa dor causada pela angústia da dúvida tem a sorte de amadurecer. É maduro para os poucos 31 anos de idade! Muito bom, mas MUITO BOM ISSO!
Casar ou não casar? É difícil, mas ponha dificuldade nisso, alguém mudar de ideia pra valer. Ela poderá, quem sabe, alterar os planos e aceitar o casamento. É festa, viagem, fotos, evento. Depois, garoto.... Ah, depois... Depois virá a vida, essa coisa que começa em janeiro e termina no outro janeiro e assim por diante. Não é um paraíso, não mesmo.
O que fazer? Fale sinceramente com ela. Amarre o sabotador que não te permite dizer não lá no porão dos seus medos. Diga pra ela o que vai no seu coração, já preparado pro sabotador desatar as amarras e abanar o rabinho dizendo que sim.
Você tem que cuidar de si. Esqueça isso de casamento enquanto não houver a vontade em comum, do casal. Deixe a vida rolar, isso se você gosta mesmo da namorada. Aliás, pense nisso... Será que você ainda gosta mesmo dela? Não entendo o motivo disso, mas fiquei com essa sensação de... Começo do começo do fim.
Estou sempre por aqui, se quiser conversar mais comigo é só escrever.

Cláudia

Unknown disse...

Oi Claudia!

Pensei muito sobre tudo, e nesse fim de semana fiz um belo exercício de auto-análise e crítica.

Procurei ser franco e imparcial, como sou em toda análise de qualquer situação, porém desta vez foi comigo. Revi toda a forma como tenho me comportado, tudo que tenho sentido, tudo aquilo que me fazia ficar de alguma forma descontente com minha namorada.

Daí analisei ela. O que ela de fato fez, o que disse, a forma como se comporta, o que deixou de fazer e a maneira como atua no relacionamento.

Esse exercício de análise se extendeu por outras áreas. Amigos, profissional, familiar, alimentação... tudo, todos os aspectos da minha vida, observei cada ação, cada reação e cada consequência em meu estado emocional.

Resolvi aplicar um exercício com minha namorada. Abri o coração, falei das dores e dos problemas, procurei dizer o que sentia e o que se passava comigo. Ela compreendeu, entendeu minha situação e não se afastou. Pelo contrário, falou algumas coisas que me deram mais subsídio para minha auto análise.

Hoje de manhã cheguei à conclusão de todo esse estudo sobre mim mesmo.

Pombas! Não há nada de errado na minha namorada! O que está acontecendo é algo incrivelmente comum e que é um tabu para a maioria das pessoas. Eu estou sofrendo as consequencias de um quadro de depressão.

É fato. Passei por experiências por demais extenuantes, e mais do que qualquer um, fui além de todos os limites imaginaveis que se podia esperar de qualquer pessoa. Um amigo certa vez me disse estar admirado comigo, disse ele "caramba, com tudo isso que você passou, é como se tivesse cruzado a nado o atlântico, batido na África, cruzado o deserto do Saara, passado por todo o oriente médio e só parar lá na China e ainda assim com ânimo de cruzar o Pacífico. Como consegue?". Pior que isso é verdade... exauri minhas reservas emocionais, perdi a auto-estima, e com isso um pensamento cruel de auto-depreciação se instalou ao ponto de julgar de forma extremamente negativa todo relacionamento que tenho tido com qualquer pessoa.

Agora sim sei qual é o problema, e sei que o principio da solução se passa pela ajuda profissional.

Céus... ter me aberto com minha namorada foi como experimentar "respirar" novamente, um alivio tremendo me veio depois de uma simples conversa. Creio que não estou muito distante de uma solução definitiva para esse atual quadro.

Preciso me renovar, me consertar, me ajustar. Estou depressivo por estar exaurido, igual uma pilha fraca. Preciso cuidar de mim agora, me dedicar mais a mim... Pensei em viagem, é ótimo para esse tipo de coisa, santo remédio aliás, porém não é possível no momento. É preciso achar outras soluções... Estou pensanso no que mais além de um psicólogo, pode me ajudar a superar esse problema.

Uma coisa é certa. A companhia da minha gatinha ajuda demais a me animar. Vou pensar em alguns passeios e programas novos com ela. Sabe, novas experiências, novos ares.

Quanto à casamento... claramente esse é um assunto que não deve sequer ser cogitado no momento. Por enquanto a relação como está satisfaz e agrada muito bem. O negócio é só me aprumar novamente.

Cláudia Cavalcanti disse...

Anônimo,

Você é jovem, um jovem sensível, inteligente e maduro pra sua idade. Disse que atravessa um quadro de depressão. Espero que um médico esteja acompanhando isso, porque depressão não passa sem medicação associada à psicoterapia!
Casamento não resolve os problemas de ninguém, posso assinar embaixo quando digo isso. Namorar é um compromisso sério, com a vantagem de cada um poder morar em um endereço, ter espaço e oxigênio pra respirar.
Que você e sua gatinha sejam felizes, que possam conversar sobre tudo e um ajudar muito o outro. Não deixe de tratar a depressão, hoje em dia esse tipo de tratamento pode ser simples e rápido.

Um abraço e, sempre que quiser, escreva pra mim!

Cláudia

Anônimo disse...

Oi Cláudia, passo por uma situação similar ao post acima, eu e meu namorido temos uma vida de cumplicidade ótima, as vezes até sabemos o que o outro está pensando, estamos juntos à dois anos e passamos a morar juntos depois de três meses de namoro.
O que não entendo é que ele diz que eu sou a vida dele, que me ama e não imagina a vida dele sem mim, no entanto quando falo em casamento ele me enrola e sempre diz que mais la pra frente quem sabe.
As vezes penso que ele tem medo de se comprometer mais seriamente comigo pois sou mais velha que ele, tem vezes que ele solta umas piadinhas chatas e que magoam diz que a concorrência é grande e que ele é jovem, mas se eu falo a ele que ele é livre pra seguir sua vida como desejar ele pula e diz que eu nunca irei me livrar dele. Não sei o que fazer, será que eu é que tenho que refletir sobre essa situação e seguir adiante só.
A propósito, tenho 4.0 e ele 2.5 será que o medo dele seria pela diferença de idade?

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, você que tem um namorido 2.5!
Você está com medo por causa da diferença de idade. Você!
Ele poderia ter a sua idade, ser mais velho, esse problema poderia ocorrer da mesma forma e é muito, mas muito comum!
Não conheço vocês, tudo o que posso dizer é aquilo o que sei por experiência própria. Quando um quer e outro não quer é preciso ter força, ter maturidade e serenidade suficiente para pesar o que é positivo e o que é negativo no relacionamento. Se pra você casamento é algo fundamental, o melhor é pensar muito bem sobre o que deseja pra si, o que fazer daqui pra frente.
Quanto às piadinhas chatas, seja direta e reta e não permita isso. Esse tipo de coisa acontece quando é permitida pela "vítima".
Nunca irá se livrar dele? Isso é praga, ameaça ou outra piadinha chata que ele fez? Nada legal isso.

Volte a escrever quando quiser, boa sorte!

Cláudia

Vanessa disse...

Olá, Claudia. Preciso de sua opinião. Tenho 33 anos e namoro um homem de 47, há 3 anos. Trabalhamos na mesma área, ele já estabilizado e eu ainda N, mas estou no caminho para isso. Sempre quis casar e ter filhos, família. Há seis meses passei a conversar com ele sobre nosso futuro. De início ele dizia que não sentia segurança em mim, depois que eu estava pressionando, que não deixava as coisas acoU ntecerem. Quase chegamos a terminar, pois pedi p ele pensar no que queria. Ele dizia que me amava, Q N queria se separar, mas que estava sendo pressionado. Passamos alguns dias longe e voltamos. Mas não tocamos mais no assunto. Mas me sinto angustiada c essa situação. Por um lado ele disse que sempre quis ter uma família, mas por outro, não conversa sobre isso comigo. O Q vc acha?

Vanessa disse...

Olá, Claudia, preciso de sua opinião. Tenho 33 anos e namora há 3 anos um homem de 47. Trabalhamos na mesma área, ele já estabilizado e eu ainda N, porém no caminho p que isso aconteça. Sempre quis casar e ter filhos. Há seis meses passei a conversar sobre esse assunto com ele. Ele sempre levou na brincadeira e qdo percebeu que o assunto era sério, disse Q N sentia segurança em mim, outras vezes que se sentia pressionado. Cheguei a dar um tempo p Q ele pensasse no Q queria, ele disse Q me amava, Q N queria se separar, mas Q eu estava pressionando. Voltamos, estamos há três meses juntos depois dessas conversas e N tocamos mais no assunto. Ele dizia Q sempre quis ter uma família, mas Q N tinha dado ainda. O que vc acha sobre isso?

Cláudia Cavalcanti disse...

Vanessa,

O que eu penso a respeito é o que tenho escrito aqui para os leitores, as leitoras do blog. Quando um não quer, dois não brigam. Casamento é feito um rio que desagua no mar. Não adianta querer apressar esse curso do rio, ou modificá-lo. Nem todo namoro resulta em casamento, nem todo casamento é feliz. Não é raro as pessoas sentirem a maior vontade do mundo de voltar no tempo, viajar ao passado para não se casar com uma determinada pessoa. Homem que não quer se casar? Ele disse que você o pressiona, disse que não sente segurança em você. Percebe o quanto isso é grave? Pressionar é uma espécie de violência emocional. Ele te acusou disso! Disse que não se sente seguro ao seu lado. Segurança é um dos pilares, é uma das bases fundamentais do casamento, sem segurança é impossível um casamento ter sucesso. Por isso, Vanessa, veja o que realmente está acontecendo, se você está pressionando o namorado, ou não. Veja se é justa ou injusta a acusação que ele fez. Mesmo porque, se ele se sente inseguro quanto a você, isso é um péssimo sinal, insegurança é uma espécie de doença fatal no relacionamento. Não vale a pena insistir, teimar, bater o pé porque fez as contas de quantos anos tem, de quanto tempo de namoro tem, e resolveu se casar com quem não está a fim de se casar. Eu mesma, se pudesse voltar no tempo, ficaria pra titia e seria a Tia Diva Latívia mais feliz do mundo. Por isso, Vanessa, pense direitinho se vale a pena buzinar na traseira de alguém para se casar, ou se é melhor investir em outro relacionamento, dar um tempo, ou mudar de planos e não se casar.

Boa sorte, se quiser conversar mais basta me escrever, ou publicar outro comentário.

Cláudia

Anônimo disse...

Pois é.. amo um homem profundamente e penso que ele me ama também.Ele foi meu primeiro namorado de infância e após um hiato de 20 anos nos reencontramos (ele me procurou). Ele teve filho com uma mulher, depois viveu maritalmente por 10 anos, construiu uma empresa e viveu os melhores momentos da vida dele (viagens amigos, sucesso material, etc.) ao lado de outra. Quando nos reencontramos ele havia se separado havia apenas 2 anos.

Eu fiquei vivendo junto com um homem por 10 anos, tivemos um filho e ele também nunca quis casar comigo. E, após 20 anos, meu amante e eu nos reencontramos com toda a força e loucura da paixão, mas, agora após 4 anos ele disse que não quer casar de jeito nenhum. Me sinto rejeitada, infeliz e triste. Sei que ele gosta de min e tenho medo de ser radical e jogar fora um bom homem, mas, também sinto raiva, pois, acho que quado amamos alguém queremos ficar juntos, mesmo que numa caixinha de fósforos (e fora o histórico dele ter vivido 10 anos com outra) Ele é solteiro, tem casa e empresa próprias, (inclusive a ex trabalhava com ele, portanto, ele a sustentava com a empresa) tem apenas um filho quase adulto, nenhum impedimento. Está passando por uma crise financeira temporária, enfim, vejo só desculpas. Sei que a decisão é minha e me sinto muito inclinada em nunca mais vê-lo e esquecer esse assunto pra sempre...mas, ajude,,,obrigada de verdade.

Cláudia Cavalcanti disse...

O que dizer pra você? Li, reli. É alguém que você conhece há muitos anos, uma história de amor bonita, bem legal. Mas... Você se sente rejeitada! E não vê impedimentos pra ele não querer de novo se casar. Já foi casado duas vezes o seu ... amante? Que confusão. Vamos por etapas. Ele é seu namorado ( se bem que o adjetivo amante deveria sempre ser usado quando se menciona o ser que é objeto do nosso amor). O seu amante foi casado duas vezes. Isso de viver maritalmente, no final do pacote dá tudo na mesma, afinal por lei a união estável é quase a mesma coisa que o casamento civil. Então, casado duas vezes e você falou das ex com um jeitinho de quem não gosta muito do passado dele. Estou enganada, ou sua autoestima foi pro beleléu e você se comparou com elas? Não faça isso, menina. Não faça isso com ele, nem com você e muito menos com a história bacana que vocês dois têm juntos. E ele está atravessando problemas financeiros, coisa que hoje em dia, infelizmente, não é temporário pra ninguém, né? Talvez esteja sendo severa com você mesma, querendo o mesmo que as ex dele tiveram, mas pensa um pouco: a vida tem etapas. A vida de todo mundo. Uma coisa é você se casar jovem, ter filhos. E não é mole a vida... Esse primeiro casamento, pra ser o único, é um desafio gigantesco e diário. Muitos se separam. Aí vem o segundo casamento, mais adiante. Nem todo mundo quer casar, alguns fazem o que você escreveu: "vivem maritalmente". Não é por covardia, mas porque não é preciso tomar choque de 220w duas vezes pra saber que a coisa pode ser bem ruim de ser vivida, né? E é um direito que todos temos, de vivermos os nossos relacionamentos do melhor jeito possível, sem amarras, sem perdermos o essencial que é a leveza e sim, a nossa liberdade ( não pra ferir um ao outro, mas pra não sentir que está cometendo o mesmo erro e voltando a colocar tudo a perder). Não conheço vocês, vai ver ele realmente te dá desculpas, tá te enrolando, mas quando li sua história pensei em outras histórias, aquela coisa de querer casar porque se sente frágil, porque quer o outro pra si e se comparar, ainda que sem querer, com outras pessoas que fizeram parte da vida do par no passado. Pense, estou à disposição pra gente conversar mais. Um beijo e cuca fresca, isso é essencial para realizar os mais belos sonhos.

Anônimo disse...

Olá, muitíssimo obrigada por responder. Então... o chamo de amante, pois somos mais do que namorados e menos que marido e mulher. Não temos vida social, apenas um ao outro e toda a loucura da paixão... gostamos muito de ficar juntos, embora na maior parte do tempo, eu é quem fico com ele na casa dele. Ele teve filho com uma mulher e viveu maritalmente, construiu casa, empresa e viveu os melhores anos de vida ao lado de outra mulher. Sim, houve sim comparações, principalmente instigadas e iniciadas por ele.

Hoje mesmo me disse que estou querendo me casar pra naõ ficr sozinha "não ficar pra titia". Me senti muito ofendida e sinto vontade de acabar com tudo mesmo, sei que ele gosta de mim, ms, isso não é o suficiente. porém, tenho medo de por causa da tristeza que estou sentindo, destruir algo que é realmente bom quando estamos juntos. sinto medo de ser infiel ao que acredito e alguns anos sentir muito ódio de mim mesma. Penso ue o amor de verdade é simples: as pessoas que não tem impedimentos, se amam, se casam, compartilham a vida juntos... simples assim... rico e pobre, intelectual ou analfabeto... isso é o que eu vejo... a maioria... isso é errado? Mais uma vez, obriga e que Deus te abençoe com sua atenção.

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia!
Você se considera alguém "comparável"? Veja bem: somos todos únicos e todos somos especiais. É justo alguém ser comparado? Isso é cruel, desprovido de bom senso. Aliás, o exercício do poder por um dos membros do casal é realizado subjugando, desmoralizando, colocando pra baixo do chão o ânimo, a energia, a autoestima do parceiro. Ele faz isso com você. Acha isso normal? O relacionamento de vocês está doente, mas como eu não os conheço não posso afirmar com certeza se o casal não se maltrata mutuamente, para ter cada um o controle da situação. Isso, geralmente, não acontece de modo deliberado, mas traz satisfação para o "vencedor", que tem a seu favor a última palavra sempre.
Vai ficar pra tia? Olha, isso não é, jamais, má ideia. Tias exercem o afeto maternal sem ter a chatice de criar expectativas e metas pra gente. Tia é tudo de bom! Do jeito que o mundo está superlotado de gente interessante, homens disponíveis, talvez até mais jovens que seu "amante", eu se fosse ele pensaria melhor antes de dar o veredito. Você só vai ficar pra tia se você quiser, se isso lhe der alegria.
Ninguém é o sol da vida de ninguém, homem é feito lata. Já ouviu falar isso? Homem é feito lata, uma chuta e a outra cata.
Ele que se ligue. E você, pare de sofrer. Enquanto borra a maquiagem chorando por ele, passa um cara que vale a pena e você aí, de nariz vermelho, olhos inchados e tentando consertar o que está escangalhado.
Ele é substituível. Coloca isso na cabeça. Se é pra alguém dar a última palavra, que seja você. Pense em um nome bem feio pra ocasião.

Beijo, força. Nada de ser capacho pra ninguém limpar os pés sujos em você.

Cláudia

Maria Aparecida disse...

Nossa amei td q vc escreve,td o precisava ouvir,ler,obgdo linda,dentro de algums dias ,vou contar minha história,bjinhos

Cláudia Cavalcanti disse...

Maria Aparecida,

Seu elogio me deixa muito feliz. Conte sim a sua história, talvez a sua experiência possa ajudar muitas pessoas. Um beijo, obrigada!

Anônimo disse...

Primeiramente... obrigada por dispor-se a ouvir e comentar tantos comentários! Cada um deles com tanto cuidado...Parabéns por seu gesto nobre! Bom...
Sofro há anos...
Conheci meu atual marido (hoje com 40 anos e eu 33) após me separar e eu já tinha uma filha de 2 anos na época, ele tb tinha um filho. Eu estava fechada por causa do sofrimento do meu casamento... mas quando o conheci fiquei encantada. Ele havia se separado há pouco tempo e morava em uma cidade pequena, por isso preferiu que não nos expuséssemos. Esperei por um ano até poder sair de mãos dadas com ele. No final deste ano descobri a primeira traição. Pelo celular dele, mensagens quentes com outra mulher. Terminei tudo. Não queria mais vê-lo. Mas ele insistiu tanto, chorou, desesperou-se e eu por amor reconsiderei. No final deste mesmo ano sofri assédio onde trabalhava e preferi pedir demissão. Tive que ir embora para a cidade onde meus pais moravam, pois precisava de amparo para iniciar uma nova vida. Minha primeira decepção: ele me deixou ir. Por longos 4 anos eu não tive vida. Todo final de semana eu deixava minha filha com meus pais e viajava para visitá-lo. Não conseguia ter uma vida social. Viajava na sexta e voltava na segunda de manhã, chegava às 5h para entrar no trabalho Às 8h. Eu sempre esperei uma atitude dele em relação ao casamento. Eu nunca quis casar... de noiva... mas aquela dedicação toda foi me fazendo fantasiar... esperando que um dia fosse reconhecida como a mulher de sua vida. Eu esperei todos os seus tempos..espera exaustiva... mas e os meus? Um dia, consegui acessar seus e-mails (3 anos juntos) e ali achei algo chocante. Uma troca de emails entre ele e uma colega de faculdade. Ela relutando pois estava casada. Ele desesperado para encontrá-la. Propondo tudo em qualquer lugar, a qualquer momento... dizendo que ela era a mulher da vida dela... (continua)

Anônimo disse...

(continua)
Meu mundo caiu...
Pensei em me matar ao ler tudo aquilo. Eu desconhecia aquela pessoa a quem eu amava tanto e me dedicava tanto. Mais uma vez, depois de muito choro, conversa... voltamos. E eu ainda esperava uma atitude... um pedido de casamento. Agora ainda mais... pois ele disse que era a mim que ele amava. Nunca conseguimos falar sobre uma festa, um momento qualquer... quando perguntei algumas vezes com carinho brigamos muito feio. Perguntei quando assinaria seu sobrenome... quando teria uma foto nossa.. o resultado eram brigas, brigas, brigas. Dizia que não era hora, ficava furioso e eu não entendia nada. Comecei a pensar que eu não era uma boa pessoa, que eu não merecia, via minhas amigas e outras pessoas sendo "especiais" para seus homens e meu sofrimento aumentava ainda mais. Só fomos morar junto porque perdi meu emprego e forcei uma decisão porque eu não poderia recomeçar um novo ciclo, já estava na hora do nosso ciclo juntos! Me mudei para a cidade dele com minha filha. Compramos um apartamento. Ele casou comigo no civil, mas depois descobri que havia decidido por separação total de bens sem me consultar. Então eu estava construindo uma vida com uma pessoa que se ela morresse amanhã eu e minha filha estaríamos na rua, pois tudo ficaria para o seu filho.. ? Meu Deus, quem é esse homem? Nos separamos e casamos novamente agora em comunhão parcial. Sabe... hoje me arrependo de ter investido tanto... tempo, sentimento e vida... fiz terapia, mas não consegui avançar pois acho que ele tb deveria fazer. Para ele os problemas são só meus. Carrego uma tristeza de uma tonelada no peito. Fantasiei que era especial pra ele... com os seus erros achei e esperei que faria algo. Agora, após 8 anos ele quer se casar comigo! Propõe festa, vestido, viagem.... mas estou marcada com ferro quente. Não tenho mais felicidade pra fazer nada. Ele tem tentado, até vejo seu empenho... mas acho que não resolveria nada... eu não sei o que fazer... minha vontade é largar tudo e sair caminhando pelo mundo... Nos damos bem... trabalhamos juntos, vivemos bem, nos gostamos, mas eu já não sei se isso é amor... nem o dele e já tenho dúvida do meu, pois estou muito triste. Tinha desistido de buscar ajuda até encontrar o teu site.

Anônimo disse...

Escrevi a pouco.. 2 textos.. em momentos, com agora por exemplo, eu estou com saudades pois ainda não chegou em casa e tenho certeza de amá-lo.. e sei que chegará com saudades e me dará carinho... penso que me ama tb...

Cláudia Cavalcanti disse...

Nossa, que história a sua! É duro passar por tudo isso. A gente, as mulheres de um modo geral, todas nós temos uma ideia fixa: casar de noiva, com festa, lua de mel, usar aliança, ouvir "eu te amo". Mas, isso não é garantia de felicidade. Não mesmo! No fim, se você tivesse passado por todo esse ritual casamenteiro, será que ele estaria com você até hoje? Veja bem, um homem querer se casar 8 anos depois, após tanta água debaixo da ponte... Ou é doido, ou te ama pra caramba. Prefiro apostar na segunda alternativa. A vida não é fácil, conviver a dois é barra! Essa coisa linda de cinema e propaganda de margarina não existe na realidade. Pense bem, veja bem se o amor acabou, se você quer mesmo ir pelo mundo. Com certeza encontrará outras pessoas, será feliz por outro caminho. Mas, somente deixe o relacionamento, encerre tudo, se tiver esgotado qualquer " E SE". Sabe o que é o " E SE"? Ah, e se eu tivesse falado isso pra ele? Ah, e se eu tivesse pensado melhor? Ah, e se... E se... Por isso esgote os E SE, antes de lançar o pé no traseiro dele. Não que ele não mereça, mas... E SE???? Obrigada pelo seu relato, você escreve muito bem. E venha muito aqui, venha sempre. Estou sempre de braços abertos para conversar com você. Um beijo, Cláudia.

Anônimo disse...

Que fofa sua atitude, parabéns, desejo muita luz para ajuda la nesga caminhada. Bem, minha história e assim: tenho 27 anos e ele 45, nos conhecemos em 2012 e na ocasião eu estava completamente focada em mim, estava animada com o trabalho, me sentindo linda de corpo e bem com minha alma. O conheci então e nos beijamos naquele dia, adorei o jeito dele e achei legal e gostoso aquele momento. Mas continuei tocando minha vida, pois na minha cabeça nem passava um relacionamento com aquele cara mais velho e com perfil bem diferente do meu é diferente também dos namorados que já tive. Começamos a nos falar e ele ficou UM ano tentando me convencer, se desdobrava, era gentil, delicado, encantador, e eu sempre resistindo pois eu tinha o mundo aos meus pés, sempre tive os homens que desejei e o que mais me assustava nele e que ele era recém, muito recém separado. Eu nem acreditava , achava que ele era casado então aí que não dava bola mesmo. Enfim, depois de um ano pensei: porque não dar uma chance? Ele se mostra tão disposto. Começamos a namorar e sempre foi tudo muito legal, cumplicidade , às vezes tínhamos alguns ajustes que julgo normais até pela diferença de idade. Chegou um ponto que a historia mudou de figura, eu me apaixonei completamente por ele, e comecei a me dedicar tanto, que em alguns momentos reconheço que me dediquei mais a ele que a mim, me joguei mesmo, sem saber se tinha rede embaixo ou não. A partir dai acho que ele deu uma acomodada, acho que o deixei em uma situação segura de que havia me conquistado. Ele tem um filho do casamento e acho que sente muita culpa por não ter participado mais da vida do filho, pois sempre estava muito envolvido com suas questões profissionais, também não tem uma boa relação com a mãe. Acho que unindo tudo isso ele me chamou para uma conversa e me disse que não pretende casar e nem ter filhos. Nos moramos juntos, temos uma vida agradável, mas realmente isso abriu um buraco na relação. Eu estou me sentindo uma astronauta, flutuando, sem saber para onde ir ou o que fazer. Ao mesmo tempo que penso que tenho muita vida pela frente, sou jovem, independente, bem sucedida no trabalho, que poderia seguir minha vida adiante e se e quando aparecesse alguém tudo bem... ao mesmo tempo eu penso: não quero ter filhos agora e casar não faço questão, pois ja moramos juntos,então eu poderia levar a vida com ele mais um pouco, mas o que esta me doendo mais e sentir que ele não tem planos, estou me sentindo uma namorada de temporada, porque na minha cabeça o sentido do namoro e caminha para uma construção. Não sei até que ponto ir, tenho medo de me jogar na vida e me decepcionar, arrepender, e tenho medo de ficar no relacionamento e achar que estou perdendo tempo. Enfim, questionei a ele o que ele tem para me oferecer, pois um homem que não quer casar, não quer ter filhos ah! e ainda tem uns amigos farristas na historia, que vivem chamando para programações so deles... Ao mesmo tempo me trata super bem, me mima, me da carinho e atenção, cuida das coisas do meu interesse, se envolve nas minhas causas, honestamente não sei o que fazer, como te disse, não tanto pelo casamento, mas por sentir falta de uma pessoa com planos, sonhos, temos bases familiares muito diferentes. Fico me questionando para onde vai a relação sem planos??? Obrigada pelo carinho com as pessoas que precisam de suas palavras. Abs

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá! Acho que você sente falta de si mesma. Uma astronauta solta no espaço. Isso tem algo bom e bonito, interessante pra caramba. Já imaginou a vista lá do espaço? Mas, voltando ao assunto, ele está na dele, totalmente na dele. Pra ele, está bom do jeito que está. O que você precisa fazer é parar de fazer perguntas pra ele, ou sobre ele, e começar a fazer perguntas pra si mesma: quero me casar? Quero ter filhos? Quero ir embora da casa dele? Quero um dia conhecer outra pessoa? Será que você ainda gosta dele da mesma forma, como foi no começo do relacionamento? Porque ali havia uma baita expectativa, né? Fala sério, pensa bem... Ele mais velho, galante, protetor, sedutor, blablablá. Sabe a estória da Chapeuzinho Vermelho? Ele está mais pra vovozinha, mas nessa estória ele é foi o lobo mau. Não tenha medo de tomar atitudes que mudem sua vida. Mudanças podem ser difíceis, até mesmo dolorosas, mas são necessárias! Relacionamento, necessariamente, envolve mais de uma pessoa. Não adianta estar bom pra ele e não estar bom pra você. Quer envelhecer ao lado dele? Quer que ele chegue aos 70 anos e você, ainda jovem, começar a cuidar dos problemas de saúde dele? Sei que muita gente discorda de mim nessa aspecto, mas ninguém merece empurrar velho pro sol, ninguém! A diferença de idade não é importante até a hora que a coluna trava, o coração infarta e outras coisas mais vão acontecendo pelo caminho. Questione-se! Pra ele está uma maravilha, você jovem, linda e ele cheio de "moral" pra dizer que não vai casar, nem ter filhos. Claro, ele já fez isso... E você? Vai mesmo deixar de lado essa parte boa da vida, pra continuar a viver a vida dele, do jeito dele?

Beijo!

Unknown disse...

Oi Cláudia, tenho 22 anos, namora a 7 anos, conheci meu namorado quando tinha 16 anos, hoje ele tem 28 anos, e a uns 4 anos vem falando que quer morar comigo, mas isso vem se tornando cada vez mais forte nesse ultimo ano, me formei no começo do ano, e em Agosto finalmente comecei a trabalhar na minha área, ele já mora "sozinho" desde os seus 18 anos, ele é muito maduro, sempre precisou trabalhar e por conta disso ainda não conseguiu se formar, ele já trabalha na área dele, ganha o mesmo que eu, já tem um carro mas que ainda está pagando. O fato é que ele quer que eu vá morar junto com ele e eu não quero isso agora, sempre tive na minha cabeça que só ia sair da casa dos meus pais quando tivesse minha independência financeira, quero passar em um concurso e comprar meu apartamento, mas ele não, ele tem o espírito empreendedor, não gosta da idéia de estabilidade, não é nada acomodado sabe?! Muito dinâmico e ativo, eu admiro isso nele, mas não sou assim, quero uma vida pacata, sem grandes preocupações. Hoje tivemos uma conversa definitiva, eu não quero me separar dele, mas ele só vê essa solução, ele também não quer que eu mude meus planos porque acha que é o correto pra mim, mas que ele não consegue viver assim. O que eu faço? Vou morar com ele? Devo tentar? Tenho medo de não ir e me arrepender! Tenho certeza que meus pais não me apoiariam nisso, pois viveram a vida intera pra me dar o melhor que podiam para eu ter um futuro tranqüilo, e isso conta muito pra mim também. Outro dilema é que ele não quer casar na igreja, fazer festa nem nada disso, e eu sonho com isso, mesmo que não seja pra agora. Nós nos amamos muito e estamos sofrendo com isso, nos ajude, por favor!!!!!!

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

Medo é o pior dos vilões. Medo paralisa, atrapalha tudo, atrasa a vida. Medo de decidir uma coisa e depois se arrepender. Pois bem, vou à resposta.
Você usou o plural: NOS ajude.
Ele sabe que você tem o sonho de se casar na igreja, vestida de noiva, tudo bonitinho? Mas, SABE mesmo?
Está certa em querer isso, porque esse momento, desde que seja bem planejado e compartilhado, é inesquecível, lindo, o tempo passa e a gente revive como se estivesse naquele momento. Eu não abriria mão disso, em hipótese alguma.
Casei dois anos mais velha do que você, eu tinha 24 anos de idade. Olha, ele quis sim casar comigo, aliás se importava muito com a opinião dos meus pais. E, pra dizer a verdade, isso fez TODA diferença pra mim.
NOS ajude... Há amor entre vocês? Porque, sinto muito, ele NÃO É MADURO coisa nenhuma. Não é, querida anônima... Porque se ele fosse maduro, ele se casaria com você.
Então, o que fazer? Não os conheço, mas sugiro que conversem muito. Não vá chutar o balde e espantar a vaca. Não faça isso... Converse, converse. Você é quase uma menina. É sim, 22 anos é o começo da vida da gente. Sei que você já viveu bastante, que sabe das coisas, mas está só começando e falta MUITO chão pra caminhar. Pode até mesmo continuar morando onde está, vivendo a vidinha como gosta, cuidar de si, da profissão, ir viajar, conhecer mais gente. Não precisa ainda se vestir de noiva, ou ir morar junto com o namorado. Por outro lado, não tem que ser tudo, ou nada. Não precisa romper o relacionamento. Podem continuar como estão. E ir conversando com ele, conversando.. Vai que, lá adiante, você mesma descobre que não quer morar junto com ninguém? Ou descobre um novo amor? Ou descobre que morar junto é melhor que casar? Ou ele resolve se casar com você na igreja? Aí você me manda o convite, viu? Vou adorar conhecê-los e fazer parte desse momento pra lá de feliz.

Não esquente... Relacionamentos não são certinhos, jamais. A vida é mesmo assim, meio atrapalhada, cheia de imprevistos e cada um quer uma coisa diferente. É assim. Dá um tempo e não vá decidir algo tão importante sob a emoção de quem está aborrecida, triste.

Estou aqui, se quiser falar comigo escreva: claudiacavalcanti2014@gmail.com

Beijos!

Anônimo disse...

Elisinha - Boa tarde Claudia, adorei suas respostas e gostaria que me ajudasse também . Namoro um rapaz tb 14anos mais novo, ja estamos juntos há 9 anos, ele tem 39 e eu 53, moramos ha duas casas apenas, sou divorciada ha 15 anos e tenho 3 filhas, todas independentes ja e duas casadas, tenho minha casa, meu carro, um bom emprego, ja me formei mas eu gostaria de me casar c ele, só que não.....rsrsrs.....pq ele não quer, ja deu milhares de desculpas, outras vezes foi taxativo em dizer que ja pensou em se casar comigo mas não sabe pq, hj não quer mais, brigamos muitas vezes , terminamos, voltamos, enfim......ele tem passado uma situação financeira muito dificil, embora a casa seja dele tambem, more sozinho , tenha seu carro, não consegue ganhar mais nada, muitas vezes tenho de levar a comida, se saimos eu que pago, no passado quando ele ganhava bem ele sempre pagava, nunca se importou c dinheiro, mas mesmo estando junto c ele, dormindo la td dia, ele não me dá as chaves da casa, ele é quem abre o portão pra eu entrar, mas não acho certo eu ajudá-lo financeiramente sendo que ele não quiz casar.......e nem as chaves da casa me dá. Agora quando ficou 12 dias internado no hospital com pedra na visicula e quase morreu dai eu fiquei c as chaves dele e cuidei da casa e da gatinha p ele. A mãe tambem vai na casa dele 2 vezes por semana limpar, lavar, passar e deixa o arroz pronto tambem, o que não acho certo pois ele ja é marmanjo. Bom enfim, brigamos novamente e ja estou alguns dias sem falar c ele.Me ajude, dando alguma orientação sobre isso. Obrigada de coração. Beijos.

Cláudia Cavalcanti disse...

Elisinha,

Oi! Então você é uma mulher que ganhou na Mega Sena, só que não? Desculpe o trocadilho, mas ainda está nova (53 anos hoje em dia não é nada). Tem sua casa, seu carro, seu trabalho, filhas já criadas e namora alguém 14 anos mais jovem. Muito bem! O que te falta, Elisinha? Sabe aquela brincadeira antiga na TV, um programa que colocavam uma criatura em uma cabine à prova de som e, sem poder ouvir nada do lado externo, essa criatura tinha que responder SIM ou NÃO. Lá fora da cabine, para diversão da plateia, o apresentador do programa fazia uma pergunta, que evidentemente não era ouvida pela pessoa dentro da cabine. Algo do tipo: - Elisinha, você quer trocar sua liberdade, a delícia de ter uma casa só sua, a sua paz, seu resto de juventude, tudo isso por uma chave????
Quer fazer isso, Elisinha?
De brinde, você vai poder lavar, cozinhar, passar, aturar a mão do cara e ainda vai cuidar de pedras na vesícula ( imagino que delícia foi cuidar do ingrato durante 12 dias no hospital).

Elisinha, mulher, ACORDA! O gato já está dando defeito, se comportando como um velho babão! Ou você dispensa o namorado, ou esquece essa história de chave, casar, porque isso não vai dar certo. Não é porque você tem 53 anos, nem porque ele tem pedras na vesícula, mas porque o relacionamento já tem 9 anos e, depois de um tempo, ou vai, ou racha. Está dando ares de que rachou.
Mas, não esquente. Você é uma mulher independente, tem sua casa e seu trabalho ( e isso vale mais que trocentos mil namorados). É interessante, com certeza. Um dia vai dar graças aos céus por este momento atual, agradecerá à vida por ter mudado o rumo dos fatos. Ele não quer se casar, dá um trabalho danado e, quer saber? Pense melhor, se vale a pena um namorado de 39 que se comporta como um calhambeque enferrujado.

Beijo

Elisinha disse...

ok, vc está certa, rsrsrs, é isso mesmo, apesar de ser novo , mais parece um calhambeque enferrujado e a inda dá trabalho, ta dando migalhas pra mim, e o pior é q eu aceitava. Obrigada, mesmo e parabéns pela página, só conheci ontem mas fiquei admirada e maravilhada de ver a sua forma de responder . Grande beijo

Cláudia Cavalcanti disse...

Elisinha,

Boa sorte e esqueça isso de casar. Vá viajar, mulher! Vá conhecer novos lugares. Isso sim vale a pena.
Venha sempre aqui, meu blog tem muita coisa pra ser lida.

Um beijo

Carlacristina Carlinha disse...

Estou passando por esse problema:namoro tem mais de dois anos com um homem de 46 anos q é divorciado e tem Três filhos.Eu tenho 31 e no começo ele falava da gente morar juntos.De uns tempos (tipo um ano pra cá)nem toca mais no assunto.Ele mora na fazenda dele há dez quilômetros daqui.Me busca no trabalho na sexta e fico lá com ele o fim de semana como um casal:lavo arrumo cozinho e tudo mais pra ele,na segunda me põe no carro e me entrega na casa de minha mãe.Sei lá,pra mim ele ta achando isso o máximo,tem uma empregada nos fins de semana e não tem responsabilidade nenhuma comigo,pois tecnicamente mora sozinho.Parei tudo.A gente já não ta mais na idade de ficar nessa.Ta na hora de sossegar ou largar isso de lado.Dei o ultimato nele esse fim de semana :vamos dar um passo a frente ou vou procurar alguém q quer viver uma vida a dois comigo.Até agora nem sinal dele...

Cláudia Cavalcanti disse...

Carlinha, bom dia!

É corajoso o relato de quem sofre algum tipo de abuso e, ainda que solitariamente, chega ao blog e divide com tantas outras pessoas a sua história. É corajoso o seu relato.
Você conseguiu quebrar o feitiço. Não está mais sob aquele encantamento, entorpecimento da paixão. Não que apaixonar-se não seja bom, mas paixão tira a lucidez, a paixão é uma espécie de droga que alucina e confunde os sentidos. Tomar decisões equivocadas, que levarão à infelicidade, isso é muito comum quando alguém se apaixona e entra em uma canoa furada, como por exemplo nessa sua história com o namorado divorciado e que a busca em casa para passar o final de semana. Aí você lava, passa, limpa, cozinha, acha que é a esposa. Só que você não é a esposa, mesmo porque esposas não precisam, necessariamente, lavar, passar, cozinhar...
O que é ser esposa de alguém? É compartilhar a vida, os sonhos, os planos, as dificuldades, as alegrias. Se há, ou não há um casamento formal, isso é questão de escolha do casal. Uma escolha clara, conversada, decidida entre ambos em total harmonia. Um casal pra valer significa união, comunhão.
Eu acho que você não tem mais nada o que achar. Não ache que está na hora de sossegar. Não faça isso! TENHA CERTEZA, Carlinha! Sim, chega, acabou, não é possível viver um relacionamento abusivo, predador, no qual você faz aquilo o que uma esposa faria, mas não tem o lado bom de um casamento.
Um homem 15 anos mais velho que você... Ele deveria cuidar melhor do que ele tem.
Não queira sinal dele, por favor. Ele virá, pode estar certa. Virá e saberá te fazer voltar, lavar, passar, limpar, cozinhar. E se um dia vocês dois se casarem, abrace a vassoura, beije as panelas... Nesse dia você irá dimensionar a infelicidade.
Cuide-se, ame-se. Saia fora dessa história que é sim um abuso emocional enorme.

Um beijo e fique sempre à vontade para conversar comigo.

Cláudia

Unknown disse...

Eu tenho 31 anos três filhos dois do meu relacionamento atual... 10 anos juntos
E até hoje acho chato quando as pessoas perguntam solteira ou casada, ele do meu lado e eu respondendo solteira.sei lá tem hora que eu sinto que ele só tá comigo por conta dás crianças.

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia!

Quando você responde que é solteira, com ele ao seu lado, como você se sente? Como ele reage, como ele se sente?
Compreendo muito bem o seu sentimento, esse desamparo seu.
Mas, posso te dizer com certeza, que quando a gente aponta o dedo para o marido, o namorado, a esposa, a namorada, realmente estamos apontando o dedo para o espelho, com a nossa imagem ali refletida. Não digo isso nos casos de abuso, violência de algum tipo, mas nesse emaranhado emocional de um relacionamento amoroso.
Você não se sente solteira. Claro que não! É esposa, é mãe. Então, quando você diz isso, com ele ao seu lado, você sofre e tenta atingi-lo. Isso, de alguma forma, funciona? Resolve a questão?
Seus filhos já te ouviram dizer que você é solteira?

O que você espera do seu marido, do seu relacionamento? O que você pode fazer pra melhorar a atual situação? Quando algo vai mal, a primeira iniciativa para resolver o problema é agir, tomar atitudes pensando primeiro em si ( o amor próprio é essencial), para pensar coletivamente, no grupo a seguir. Você se cuidar, se amar, para cuidar de sua família, amorosamente.

Quando eu digo pensar em si, esqueça atitudes egoístas, aquela coisa de "tchau, fui, danem-se". Não é isso!

Pense bem. Seu relacionamento depende do quê? Quer que seu marido se case formalmente com você? E se vocês se casarem, com direito a papel, lua de mel, você vai deixar de ser "solteira"? É comum, depois de tamanho conflito interior, assinar o tal do papel e passar a sentir-se asfixiada pelo papel assinado.

Três filhos, dois do seu atual casamento. Você quer que sua família seja destruída? Seus filhos, em breve, serão adolescentes. Nessa fase, meninos e meninas precisam de muita orientação, apoio dos pais. Exemplos!!! Será mesmo que seu marido está com você só pelas crianças? E você? Está com ele por qual motivo???

Minha sugestão, já que você não narrou maus tratos, violência doméstica, é que sente com ele, converse. Vire o jogo, mude isso, porque existe uma coisa na vida chamada "livre arbítrio" e, a partir das escolhas que você faz, poderá modificar esse cenário atual de imensa dificuldade. Seu marido, se você mudar seu comportamento, seu sorriso ( não é para ser submissa, é para ser mulher, ser forte e enfrentar com força e tranquilidade a situação), mudará o comportamento dele relativo a você, ao relacionamento.

No casamento existem 3 pilares: um ser, outro ser e o próprio relacionamento. Quando o relacionamento, feito planta, é abandonado, mal cuidado, levado sem jeito por conta das crianças, com desaforos, implicâncias, cismas injustas, provocações, discussões acaloradas, confusões, baixarias, tudo de errado, esse relacionamento se volta contra os dois seres e acaba com suas vidas, feito uma avalanche leva tudo, a casa, os planos, os filhos.

Pense bem, veja bem o que você quer, como pode resolver. Não te conheço, mas eu acho que essa sua insatisfação passa por algo que é seu, com você mesma. Você não é solteira, sabe disso. Ele também não é solteiro. Vocês dois têm uma família, são responsáveis por essa família. Não compreendo como um pedaço de papel poderia modificar para melhor algo que é lindo e perfeito: vocês são uma família, o bem mais precioso da vida.

Reflita, tente se fortalecer. Ser mãe, ser esposa, é um dom muito bonito. Não estrague tudo, não esmoreça.

Se quiser conversar mais, estou aqui.

Um beijo.

Cláudia

Nivea Oliveira disse...

Eu tenho 31 anos três filhos dois do meu relacionamento atual... 10 anos juntos
E até hoje acho chato quando as pessoas perguntam solteira ou casada, ele do meu lado e eu respondendo solteira.sei lá tem hora que eu sinto que ele só tá comigo por conta dás crianças.

Cláudia Cavalcanti disse...

Nívea,

Respondi ao seu comentário logo acima. Estou na torcida, com pensamento positivo pra que você, seu marido, sua família estejam todos bem.

Beijo

Anônimo disse...

Olá Cláudia, conheci uma pessoa pela internet a 2 anos e 4 meses, ambos temos 24 anos moramos a mais de mil km de distancia. No inicio do relacionamento claro tudo sao flores se mostrou uma pessoa muito carinhosa e atenciosa mas depois com o tempo ele vem se mostrando bastante teimoso, egoista muito turrão, tenho que medir minhas palavras, esta sempre estressado por coisa minimas . Vinha planejando conhecer ele no ano que vem mas ele meu de um balde de agua fria disse que so vamos nos conhecer daqui a 2 anos... logicamente fiquei muito decepcionada estava esperando mt por esse momento ele disse que precisava se "programar financeiramente". Ele mora com a mãe e o tio, tem um salário de 1.200 reais num emprego simples de segurança em que trabalha dia sim e dia nao mas nao pensa em crescer na vida ou ter um salario melhor se acomodou pelas condiçoes que vive apenas divide o finaciamento do carro da familia , é muito mimado pela mãe ela faz todas as suas vontades. Hoje brigamos, perguntei quais eram os planos dele pro futuro e ele me disse que não tinha disse que vive o presente, e se incomodou com a minha pergunta disse que só penso no futuro...(sempre falo sobre casarmos e ter filhos) até entao ele sempre concordava com tudo mas hoje demonstrou não estar tao afim de me conhecer e levar o relacionamento adiante... Eu gosto muito dele mas acho que só estou perdendo tempo com algo sem futuro.

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia!

Vocês dois são namorados virtuais. Certo?
Em qualquer relacionamento, real ou virtual, quando deixa de fluir normalmente o afeto, o bom entendimento entre a dupla, são deflagradas cobranças, intrigas, mágoas. E eis que o seu relacionamento virtual travou.
Acho que uma das piores sabotagens, pra não dizer sacanagem, que alguém pode fazer durante um relacionamento em evolução ( namoro é um relacionamento em evolução), é colocar a carroça na frente dos burros e ir direto "pros finalmentes": casar e ter filhos. Anônima, você está aí? Oi?
Não tem sentido em relacionamentos reais, virtuais, seja qual relacionamento amoroso for, assustar o par com esse ideal de conto de fadas, que de fato não é nada bonitinho no dia a dia. Já parou pra pensar o que é, de verdade, ter filhos, ser casada? É complicado, minha filha, não é moleza, não! E, ao que parece, muitos homens se sentem asfixiados com a ideia. O motivo disso nem sempre é desinteresse pela namorada, real ou virtual, mas claustrofobia. E eu entendo isso, porque sempre fui claustrofóbica também. Dá uma agonia imaginar a vida engaiolado, sem mas voar.
Agora, vamos ao que é real, apesar de ser virtual. Ele trabalha dia sim, dia não, é acomodado. Não estuda essa criatura? Vive na barra da saia da mamãezinha, é mimado. Além disso, não faz planos e alega só viver o presente. Ele quer se programar financeiramente. Oi? Programar o quê, se ele recebe apenas 1200 reais por mês?
Imagine você casada com o dito cujo, vivendo com os 1200 reais por mês, ele em casa dia sim, dia não e correndo pra mamãe a toda hora. Você tem noção do que deseja pra sua vida?

Ao que parece, você tem um nível escolar bom. Escreve bem. Deve ter estudado, acho que deve trabalhar. Pois estude, trabalhe, seja dona de sua vida. Não posso te dizer que esqueça isso de namorado virtual e vá viver um relacionamento com tato, olfato, audição, visão e paladar. Mas, acho melhor você parar de perder seu tempo e sim, cuidar do dia de hoje, afinal a vida é incerta e do amanhã ninguém sabe.
Seja realista, acorde. Se gosta tanto assim do futuro, plante-o hoje. Futuro é semente que precisa ser regada com estudo e trabalho.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Sou casada há 7 anos, meu marido diz que me ama que é louco por mim, ele é carinhoso, responsável, trabalhador muito verdadeiro comigo, ta sempre querendo ficar perto de mim, mas quanto a casar no papel ele tem um bloqueio e não sei o motivo, ele fala que tem medo pq vou querer me separar depois e não sei o que fazer ou o que pensar ����

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, Anônima!

Leia o que você escreveu: SOU CASADA há 7 anos. O que é ser casada, casado, afinal de contas? É estado de alma, é postura, é compromisso assumido e cumprido continuamente. Ter papel assinado, ou não ter papel assinado, nada mais é que papel, coisa que tem valor no mundo jurídico, nas novelas da TV, nos contos de fada, mas não é o que move o amor, a felicidade, a paz interior, não é o que torna alguém realmente satisfeito com o relacionamento. E eu acho mesmo que depois de sete anos de casados, assinar o tal do papel será mudar a direção do vento, que bem poderá melhorar o relacionamento, OU NÃO. Acho também que, nos relacionamentos, nós nos espelhamos uns nos outros. Quando seu marido diz que se vocês assinarem o pedaço de papel poderão depois se separar, ele fala o que realmente sente. Mas, ele se vê em você. Ele tem medo de, depois de assinar o papel, o casamento perder o ritmo. Não entre nessa de achar que ele te ama menos, te quer menos, se importa menos com você pela falta de cerimônia, assinatura e toda a parafernália ritual da celebração de um casamento. Ele, realmente, tem medo de perder o mais importante: você! Respeite-o e, mais que isso, pense no que vale um pedaço de papel, quando o assunto é amor. Tem uma pergunta que quero te fazer: se você faz questão de casamento com papel e tudo o mais, por que não se casou há sete anos atrás? O que fazer e o que pensar? Pense coisas boas e simples, faça o bem, queira o bem e o resto vem! Menina, deixe essa coisa de papel pra lá. É a minha opinião. Seja muito feliz e volte sempre ao blog.

Um beijo,

Cláudia

Unknown disse...

Oi tudo bem?
Namoro á 3 anos e meu namorado nunca me apresentou a sua família pois ele fala que a família dele não me aceita por eu ser mãe solteira.
Ele até fala em casamento mais poxa já são 3 anos de namoro e nada de conhecer sua família.
O que devo fazer?

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Mãe solteira? Mas isso é assédio moral, é desaforo, é pura estupidez adjetivar uma mãe com seu estado civil. Mãe maravilhosa, mãe linda, mãe querida. Isso sim é adjetivo digno de uma mãe. Mãe casada, já ouviu falar nisso? Mãe é mãe, não importa se casou, separou, ou nunca se casou.
Preconceito, mais que configurar uma série de crimes, brota em almas poluídas e sobrevive em mentes imundas.

O que você deve fazer? Aceitar isso para si,ou não, apesar de tudo o que eu disse aqui, depende apenas de você.

Mãe é o ser mais belo que existe nesta vida. Mãe e filho, combinação mais do que perfeita.

Mãe solteira? Ser solteira nunca foi defeito. Defeito é conviver com gente sem noção.

3 anos? Faz tempo, né?

Pense bem se quer esse rótulo abominável. Pense muito bem. Se você é mãe, deve se orgulhar muito disso. Não admita uma coisa dessas. Eu, se fosse assim pressionada moralmente, escolheria ser solteira e viver feliz com meu filho.

Um beijo,

Cláudia

Unknown disse...

Claudia,

Tenho 26 anos sou mulher independente financeiramente moro sozinha, namoro 5 anos e a 2 estou noiva.No entanto o noivado pro meu noivo tem outro significado, nós nao falamos em casamento, toda vez q toco no assunto ele acha que eu estou pressionando..Ele tem sua empresa autonomia financeira, tambem mora so, e mesmo assim toda vez que toco no assunto de casar ele acha ruim

Estou tão chateada, pois sinto que estou desperdicando meu tempo com ele, que ele nao me ama o suficiente, pois quando duas pessoas se amam as duas querem ficar juntas nao necessitam de pressão de nenhum dos lados para se casar.

Minha família coloca pressão na minha cabeca e eu não estou aguentando.
Quando falo com ele sobre o assunto, ele me responde"nao to te engano nunca marquei data para casar com vc"..
MAs ento a pergunta... PQ estou noiva se nao temos intenção de casar?
Eu estou aqui ralando juntando dinheiro para casar, e o bonito pensando comprar caminhonete, comprar outras coisas nada a ver.


Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!

Você tem toda razão de estar chateada e sentir que não é suficiente amada por seu noivo.
Vou começar pela pressão da sua família. É pressão para que se case, ou para que tome uma atitude perante essa situação? Difícil os pais desejarem a infelicidade da filha. Não será preocupação com você, seu futuro?
Seu noivo, que acha ruim quando você fala sobre casamento, parece não ter a menor noção do que seja noivado e compromisso. Você juntando dinheiro, ele vai comprar uma caminhonete e outras coisas nada a ver com a vidinha em comum que deveria estar agora sendo planejada a dois, passo a passo e com muita seriedade.

Eu sinto muitíssimo por você. Sabe, eu me coloco no lugar de quem me conta um problema pessoal. Eu sofreria muito se isso tivesse ocorrido comigo, se ocorresse com um filho meu ( tenho idade para ser sua mãe).
O que fazer, querida? Posso estar muito enganada, afinal nem todas as famílias são como a minha família. Mas, eu faço a você uma sugestão: converse com seus pais, ouça seus pais. Eles têm o maior amor que alguém jamais sentirá por você. E querem, verdadeiramente o seu bem. Fale com eles sobre o mal estar que causa a "pressão" por eles exercida.

Seu noivo. É muito difícil virar as costas pro relacionamento e sair andando. Não te aconselharia a fazer algo assim, nunca mesmo. Mas, ele está se comportando de modo egoísta e isso é incompatível com o comportamento de quem é maduro o suficiente para assumir um compromisso, seja ele namoro, noivado ou casamento.

Converse com seus pais. Se não puder, volte a conversar comigo. Não poderei fazer mais do que passar as mãos em sua cabeça, te amparar virtualmente, mas comigo você poderá desabafar.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Olá boa tarde Claúdia, estive a ler o seu blog e gostei muito do que li :) Tenho 33 anos e estou a passar uma fase difícil na minha vida, saí de uma relação há poucos meses, mas ainda Amo a pessoa em questão, a pessoa que me deixou há poucos meses atrás disse que me amava e no outro dia a seguir envolveu-se com a ex namorada que me garantiu a mim que só eram amigas, por mais que me custa-se afastei-me...ás vezes falamos no assunto e ela diz que um dia quer casar comigo e ter um filho comigo que nunca teve esse vontade com ninguém querer ter um filho eu pergunto ela nunca me amou e não me ama? agora há 4 meses desde que nos separamos que ela se envolveu no próprio dia assumiu a relação com a ex namorada com quem teve uma relação de 7 anos...ela ama a namorada? faz-me confusão obrigada Claúdia :)

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

O amor não tem uma fórmula. É possível que ela tenha sido sincera com você, mas quando existe um vínculo antigo e não encerrado com alguém ( idas e vindas nos relacionamentos demonstram que não foi fechado um ciclo), é comum haver a dúvida, que muitas vezes fere os sentimentos de terceiros ( neste caso, feriu os seus sentimentos). Sugiro que você não guarde mágoa dessa pessoa, que invista em si, na sua vida pessoal. Merece ter alguém que lhe ofereça todo o amor, com exclusividade. Tente superar essa dor, isso a deixa indisponível para a felicidade de encontrar um novo amor! Força. um beijo.

Cláudia

Anônimo disse...

Obrigada Claúdia :) Mas em relação á parte de casar e ter filhos pq ela me diz isso? acha que ela ainda me ama?não compreendo, o que ela me transmite é que chegou á conclusão que não sabe amar será verdade?mas diz que podemos ficar juntas e termos o nosso filho que desejamos mas agora quer viver uma vida com a namorad porque?obrigada beijinho

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi,
É possível ela te amar, se escolheu outra pessoa?
Reflita sobre isso!
Eu não posso te responder, mas você mesma pode!!!
Hoje é passagem de ano. Faça uma reflexão, busque a melhor
energia. Certamente você encontrará a resposta.
Feliz ano novo e espero que você seja muito feliz. Boa sorte!!!

Cláudia

Anônimo disse...

sim ela nunca me amou,mas diz que não consegue fazer ninguém feliz mas é com a namorada que está agora, só me diz que não me consegue resistir isso é amor pela namorada?

Cláudia Cavalcanti disse...

Se você mesma diz que ela nunca te amou, creio que seja isso mais que suficiente para você iniciar um processo de desligamento dela.
Entendo que você está sofrendo, mas não será batendo na mesma tecla que conseguirá superar o fim do relacionamento. Força e vá em frente, há muitas pessoas no mundo e, com certeza, alguém a fará muito feliz.

Anônimo disse...

eu penso que ela nunca me amou,mas ela diz que sim que me amou...gosta da namorada pq a traí pode me explicar?

Cláudia Cavalcanti disse...

Saber qual o verdadeiro motivo dessa dualidade de relacionamentos e sentimentos é difícil. Eu não tenho a possibilidade de saber, não as conheço e, mesmo que eu as conhecesse, talvez não compreendesse as causas dessa situação. Sei que você procura uma resposta para isso, mas eu acho que deve voltar sua energia para outros assuntos, tentar superar esse primeiro momento. Com o tempo, talvez, por si mesma você encontrará uma explicação.
Força!

Cláudia

Anônimo disse...

Bom dia Claúdia, Bom Ano para si,se é comprometida ou casada diga-me a sua opinião quando se ama verdadeiramente traí-se constantemente? Dizer á namorada eu Amo-te e volta a trair de novo isso é amor? obrigada

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom ano novo pra você também!
Sua pergunta não tem uma resposta para todos, algo que tenha o mesmo valor para todas as pessoas. Afinal, o que pode ser traição para uma pessoa, pode não ser traição para outra pessoa. Mas, eu acho que sempre existem regras nos relacionamentos, além das regras que normalmente seguimos de modo implícito. Acho que amor depende de dedicação, de respeito, de muita responsabilidade. Palavras são apenas palavras, dizer "eu te amo" é muito fácil. Fazer promessas é muito fácil. Delirar e dizer que vai se casar, vai ter filhos, vai viajar pra Marte, ou comprar uma ilha no Pacífico é muito fácil. Difícil e colocar isso em prática. De tudo isso que listei, amar é o mais difícil, um desafio que, lá no final das contas é a prova de que a vida valeu a pena e as lições foram aprendidas. As pessoas amam do jeito delas, dizem o que bem entendem.
Fosse comigo, eu mandaria catar lata, ir para aquele lugar feio que não posso aqui escrever. Eu, Cláudia, não aceitaria isso e não sofreria também. Iria viver minha vida, estudar mais, trabalhar mais, cuidar ainda mais da minha saúde física, mental, espiritual. E não mais aceitaria essa pessoa na minha vida. Porém, não ficaria remoendo, sofrendo e ocupando a minha mente com isso "full time". Ninguém é o sol da vida de ninguém! Eu daria o relacionamento por encerrado, desejaria boa sorte pra essa criatura e seguiria minha vida com esperança.
Não posso te dizer se isso é amor, ou não. Cada pessoa pensa de um jeito diferente e o que é traição para uma pessoa, não é traição para outra pessoa.

Anônimo disse...

Bom dia Cláudia :) obrigada pelo Conselho tem razão, Eu digo lhe para ela não me contactar mais pq ela o faz? Não percebo. Se está com a namorada? Gostava que me desse a sua opinião obrigada

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

Faça aquilo que achar certo, desde que seja pelo bem. Eu não posso dizer mais do que isso, porque não conheço as pessoas mencionadas, e te desejo toda a sorte do mundo. Não serei eu a mostrar o caminho, nem a fórmula mágica. Isso está dentro de você.


Cláudia

Anônimo disse...

Claudia tudo bem ? Me ajuda estou precisando analisar algo que nao entendo . Tenho 34 anos estava a 1 mês saindo com um cara de 38anos , colocamos tudo na mesa com relação aos objetivos e planos e daí iniciamos uma convivência sexual ativa porém ele estuda e trabalha muito isso vem em primeiro lugar pra ele , o que faz com que minha insegurança venha a tona ,porque vi nele , nas atitudes e palavras um homem preparado pra construir família, só que ao mesmo tempo percebi que não está . Precionei ele e ele se afastou , ele disse que tem muito carinho por mim , que acima de tudo quer ser meu amigo mas.que como namorados não daremos certo porque ele não dispõe do tempo que eu mereço, que ele está focado no trab e estudo e não terá o tempo que eu espero dele , que daqui 4anos ele terá o tempo, agora não, e que não pretende ficar se explicando e sendo cobrado de algo que ele já sabe que não quer. Que eu sou jovem , bonita e posso encontrar alguem que retribue isso porque mereço. Fiquei chateada e me distanciei , ele disse que será melhor pra nos dois. Mas sinto a falta dele. Disse que já que ele não quer dois não brigam que iria seguir meu caminho porque queremos. Coisas.diferentes e que não vou ficar com alguém que não quer o mesmo que eu. Sinto que estou certa mas.meu coração quer ele . demorei tanto tempo pra.encontrar alguém que julgo certo e acontece isso !!!!Ele não veio atrás .

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

Uma situação parecida com a de muita gente que aqui chega e escreve pra mim. São muitos os aspectos que você narrou: ele tem a vida dele, trabalha, estuda e isso pra ele é prioridade. Até aí, nada de errado, afinal trabalhar, estudar e levar isso muito a sério é importantíssimo. O que poderia ser ruim pra ele, nesse setor? Só trabalhar e estudar e não ter uma vida social, familiar. Mas, aí o problema seria somente DELE e pouco, ou nada, você pode ou poderia fazer por ele. Ter tido com ele uma vida sexual ativa, isso foi escolha dos dois, escolha sua, são adultos e espero que tenha sido sensacional, nada mais a comentar a respeito desse aspecto.
Voltarei ao assunto disponibilidade de tempo dele. Você está carente, por acaso? Porque alega seguidamente que ele não dispõe de tempo para te oferecer. Oi? Quando o conheceu ele estava de férias, desempregado, de licença médica, algo assim? Porque quem se dedica muito ao trabalho e estudos, não altera muito a oferta de tempo disponível. Você passou, de repente, a enxergar isso?!
Um mês? É pouco, muito pouco. Mas, tão pouco que dá pra virar a página, guardar na lembrança e usar como APRENDIZADO, como LIÇÃO.
Qual a lição que você pode tirar dessa história com o rapaz ocupado? Primeiro: as pessoas têm a vida delas, as prioridades delas e isso é algo sagrado. Relacionar-se amorosamente com alguém não requer disponibilidade total de tempo, mas ar, oxigênio para respirar e, principalmente, compatibilidade de ideais, vontades e possibilidades.
Não deveria ficar chateada, mas ir em frente sem muito mais lamentar. O que você queria, afinal? Que ele trabalhasse menos, estudasse menos e fizesse tudo o que você sonhava? É o mesmo que tentar encaixar uma peça redonda em um espaço quadrado: impossível!
Você falou tudo quando concluiu que quando um não quer, dois não brigam. E, se demorou para encontrar alguém, julgou mal o eleito: ele não cabe nos seus sonhos, não do modo como você sonhou.
Que tal rever esse ideal de homem? Alguém com disponibilidade de tempo, a ponto de interferir na profissão do candidato?
Pressionar é o mesmo que apertar o botão vermelho onde está escrito: perigo, afaste-se, risco de explosão.
Pressionou, adeus...

Não era pra ser, meu bem. Use a lição a seu favor e veja se o que você espera de alguém não é algo irreal.

Boa sorte, venha sempre ao blog.

Cláudia

Anônimo disse...

Cláudia, não é carência , o fato de vida social e familiar que é o tópico, que não tive oportunidade de conhecer,.por isso julgo , sou desconfiada , quanto a família até tive uma noção porque ele falava deles, o que me distanciou foi ele dizer que não terá o tempo que eu mereço, ou seja , ele tbem me julgou . E perdemos a oportunidade de amadurecer na relação. Uma pena , queria consertar isso , não vejo saída porque as palavras e atitudes foram decididas . buaaa. Obrigada por suas palavras . Gostei .

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi de novo, moça!

Se ele disse que não vai ter tempo, acredite nele: ele, de verdade, não vai ter tempo pra você!
Não perderam a oportunidade, pense de um jeito positivo: eu vivi com ele o máximo permitido pelo destino. Se foi muito tempo, ou pouco tempo, sempre é relativo. Tem gente que passa junto dezenas de anos e acha que foi pouco, enfim... É relativo.

Diga pra mim uma coisa: o que você faria com um namorado, marido, ou sei lá qual adjetivo ele teria um dia, o que faria com o dito cujo se ele não tivesse tempo para o relacionamento, pra vida em comum de vocês dois? E digo isso com a certeza de quem já leu muitos relatos parecidos, viu coisas semelhantes: sexo enjoa. Acredite nisso: sexo um dia cansa, enjoa. A família um do outro pode ser linda e maravilhosa, um dia deixa de ser meta a ser conquistada e a gente vira alguém ali no meio de todos, sem novidades. Casamento é lindo demais, mas a cerimônia termina na lembrança e nas fotos. Filhos, que coisa linda, são a maior responsabilidade do mundo, o pai e a mãe passam a viver boa parte de seu tempo em função dessas pequeninas criaturas. Então, agora pense comigo: o que você faria com um cara que, na primeira volta, já diz que não tem tempo?
Não te conheço, mas concluí que sim, você por algum motivo está carente. Talvez, tenha esperado demais encontrar alguém do jeitinho que sonhou. E achou que esse alguém fosse esse cara sem tempo e sem noção.
Buááá? Espero que essas lágrimas que aqui escreveu sejam as últimas derramadas por você. Deixe que ele vá cuidar da própria vida, seja estudando, trabalhando, ou sei lá. Desligue-se dele, definitivamente. Há tantos textos aqui no blog sobre situações assim, alguns muito sérios, outros divertidos. Procure na busca algo relativo ao seu momento atual.

Vá pra frente, supere! Não dá pra se relacionar com alguém que não vai participar da vida do casal. Certo?

Cláudia

Cláudia Cavalcanti disse...

O tema mais abordado no meu blog - final de relacionamento - pode ser encarado de várias maneiras, que não apenas com dor e lágrimas. Para relaxar, que tal ler A Chama da Paixão? Aqui está o link: http://www.divalativia.com/2014/05/a-chama-da-paixao.html

Anônimo disse...

Cláudia, eu quero uma família, estou na caça só que nenhum homem que eu gosto se apaixonou por mim e estou numa fase gritante !!!!Será que não tem nenhum leitor aqui alto , bonitão ,solteiro , e preparado. Financeiramente , emocionalmente .kkkk. Ah e quanto a carência , imagine você uma mulher que já foi casada ,3anos de matrimônio , e que de repente descobre traição de seu ex marido e pior ele se casa com a amante e já tem filhos. É a vida , estou focada , mas sinto que tem algo errado , depois disso namorei quase casei mas na hora H percebi que não estava feliz e muito menos iria fazê lo feliz , depois disso só conheci tranqueiras como esse último ai , que não quer nada ! Enfim , obrigada pelas respostas seu blog é ótimo. Beijos mil .

Cláudia Cavalcanti disse...

Se eu fosse esse homem desligaria agora mesmo a internet e sairia correndo. Perceba o seu grau de desespero, querida leitora Anônima!
Está gritante, à caça, focada. Sou escritora, imediatamente eu a imaginei com aquelas roupas de safari na África, binóculo em uma das mãos e um rifle de matar elefante na outra mão. Quem é doido de não sair correndo diante de tal situação?

Falando sério, família não se caça. Homem também não se caça!
Essas coisas acontecem, ou não.

Você já assistiu a um filme chamado "Sob o Sol de Toscana"? Se não assistiu, assista e volte a falar comigo. Se já assistiu, assista novamente e também fale comigo.

Calma aí, guarde o rifle e deixe a vida acontecer.

Beijo e tenha juízo, menina!

Anônimo disse...

Oi Cláudia!!!! Assisti o filme! Carambaaa, simplesmente A.D.O.R.E.I. Foram tantas as emoções, ri, vibrei,chorei e me encantei! As coisas que acontecem em nossas vidas de ruins temos que jogar longeeee.Seguir sem esse peso nas costas. Arrumar essa bagunça e continuar em frente, e o que estiver por vir poderá ser bom ou ruim, cabe a nós decidir se queremos continuar e não desistir porque no fim, quando menos se espera o melhor acontece!!!! Simples assim...owww vida ! Que nunca falte um sonho para lutar, um projeto para realizar, algo para aprender,um lugar para ir e ALGUÉM PARA AMAR.!!!! Vem joaninho rsrsrsss. Beijos mil pra vc Cláudia Deus a abençoe sempre , você é uma sabia !!! Te admiro.

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Gosto muito desse filme, Sob o Sol de Toscana. Ela afunda se sentindo triste, sem rumo, amargurada demais. E quando a vida muda completamente, ela tem que buscar até a última gotinha de autoestima e coragem para dar a grande virada. Desejou ter um casamento, uma família na casa imensa onde morava sozinha. E isso aconteceu mesmo, mas de outro modo. A família eram os amigos e o casamento bonito que ali aconteceu foi de dois jovens amigos. O amor chegou, como joaninhas que pousam na gente durante um passeio no jardim. Não adianta procurar as joaninhas, elas simplesmente chegam sem avisar. O amor é assim. Basta ter sempre bom astral e escolher muito bem o seu jardim.
Continue firme, procure ver o lado positivo das coisas ( quase tudo tem um lado positivo). Quem passa por nossas vidas e vai embora, não ficou pouco tempo. Cada um fica o tempo necessário e segue seu caminho. Mesmo os amores que chamam de "amor da vida toda", um dia sofrerá a separação, se não pra vida, será pra inevitável morte física.
Temos que aproveitar a vida com amor próprio, amor ao próximo. Se vai, ou não, aparecer um par que nos ajude nessa caminhada, isso não é possível "caçar". Feito as joaninhas, isso acontece, ou não.

Beijo e vá em frente. Venha sempre aqui, tem muita coisa pra você ler.

Anônimo disse...

Olá. Meu problema é diferente, mas realmente não sei o que fazer. Tenho 26 anos. Namorei uma mulher por cerca de 1 ano e meio, terminamos faz 2 meses por conta de uma série de mentiras bestas e idiotas que contamos um ao outro. Ficamos 1 mes sem nos falar, sendo que tentei contato permanentemente, até que conversamos e conseguimos nos desculpar. Desde então conversamos diariamente. Eu digo que a amo e ela diz que me ama na mesma medida, mas sempre apenas por mensagens ou emails. Nos encontramos uma vez recentemente, conversamos, ficamos juntos, tudo é maravilhoso enquanto estamos juntos, mas ela diz que, apesar de me amar, não quer voltar para mim, que me ama mas que não quer um compromisso. Eu a amo, sei que sou jovem mas ela é tudo que desejo... Eu imagino que ela tema alguma coisa, que cometamos os mesmos erros, que nossos parentes não aceitem a volta. O fato é que ela fala comigo como se fosse namorado, mais depois diz que nao quer. O que devo fazer?
Grato pela ajuda!

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

Você disse que os parentes de vocês podem não aceitar que voltem a ficar juntos. Isso chamou muito a minha atenção. Possivelmente, algo justifica essa possibilidade de rejeição. Gostaria que você refletisse sobre esses motivos deles, ainda que discorde da opinião deles.
Sobre o problema que você está enfrentando com ela, eu acho que, se você não ficar tão disponível para ela ( ao menos como estratégia), ela terá espaço e tempo para sentir sua falta e decidir de um modo mais sério, se quer ou não quer ter um compromisso com você.
Pessoalmente, eu não acredito que relacionamentos findos, por qual motivo seja, tenham a chance de voltar a crescer de modo saudável. Sempre, ainda que demore muito tempo, haverá algo, ou alguém para fazer voltar à tona o motivo da separação. Há casos de sucesso, mas é um caminho de pedras e muito doloroso.
Mesmo assim, se você gosta tanto assim dela, pense na estratégia do afastamento temporário. Torne-se menos disponível pra ela, volte-se mais para seus amigos, estudos, trabalho, viagens, família. Dê tempo ao tempo, se ela quiser algo sério com o tempo ela mostrará isso pra você. Seja forte, mais forte que o amor que você carrega é a sua pessoa, você é mais forte que esse amor. Tome as rédeas dessa situação!
Boa sorte e estou à disposição para conversarmos sempre que quiser.

Cláudia

Anônimo disse...

Ola boa noite Claudia!

Achei fantástico seu blog! Tenho 33 anos e um ex namorado meu também. Namoramos por quatro anos e eu era louca pra casar com ele mas ele dizia que ainda não era o momento. Bem diante disso me mudei de cidade, de emprego, retomamos o namoro a distancia mas sempre havia dificuldades para realmente casarmos (distância de cidades, onde morar)...Fui cuidar da minha vida mudei de estado pra fazer mestrado, namorei outros caras e ele sempre manteve contato por telefone. hj tres anos depois de estarmos separados, ele me pede mil vezes pra casar com ele. A minha duvida é: porque quer casar agora? hj nao o amo mais...que amor é esse que ele sente por mim? peço sua opinião...eu ainda tenho carinho por ele mas lendo seus comentários acho que não devo me casar só para não estar sozinha.

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, boa noite!

Algo que você escreveu resume muito bem o que tento dizer a todos vocês: "acho que não devo me casar, só para não estar sozinha".
Você também disse que hoje não o ama mais.
Por que ele agora quer se casar? Difícil responder. Às vezes, um quer se casar, o outro não está pronto para o casamento. E isso não representa desamor, falta de interesse, nada disso. Tem gente que está estudando, trabalhando, enfrentando algum tipo de dificuldade. E, quando o namoro termina por esse motivo, muitas vezes o que leva ao final do relacionamento é a falta de compreensão, tolerância, paciência, que são qualidades que adquirimos somente com a maturidade. Difícil alguém jovem ter experiência e maturidade. Daí os desenganos, desilusões e desencontros muitos.
Por que ele diz que quer se casar com você? Será que você, de algum modo, deixa uma pontinha de esperança que alimenta nele essa coragem para dizer que ainda quer se casar?
Ele deve gostar de você, ou imagina que ainda gosta.
Mas, se você diz que não o ama mais, então não existe motivo para tentar descobrir os motivos. Ou será que você nutre um sentimento por ele que não é simplesmente "carinho"? Pense sobre o que eu disse, mas principalmente, pense no que realmente você sente.
Obrigada pelo elogio, é sempre muito bom ter o retorno dos meus leitores. Volte sempre que quiser.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

obrigada pelas palavras!

bjo

Cláudia Cavalcanti disse...

Nesta publicação está o coração do meu blog. Aliás, está também o meu coração, em cada parágrafo do texto.
Eu gostaria que vocês sugerissem um texto novo, algum assunto que gostariam de ler. Pode ser sobre este mesmo tema, o sofrimento causado pelo desencontro amoroso. Pode ser sobre outro assunto. O que sugerirem, eu escreverei e publicarei em seguida. Aguardo as sugestões!

Cláudia

Anônimo disse...

Olá Cláudia! Eu estou em um relacionamento a dois anos, moramos juntos,e de uns tempos pra cá eu percebi que ele nunca fez planos comigo, apenas disse uma vez que não queria ter filhos e também não queria se casar pois é muito gasto e não temos dinheiro. Quando chega final de semana ele não quer sair diz que prefere ficar em casa e assistir um filme pois está cansado, então comecei a fazer cobranças quando eu perguntei quais era os planos dele para comigo no futuro ele respondeu que queria ficar comigo e não sabia o que mais eu queria, achei essa resposta muito vazia, estou pensando em me separar o que vc acha?

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Uma vez ele disse que não queria se casar e não queria ter filhos. Ele está cansado, não sente vontade de sair para passear com você. Não faz planos em comum. Não quer, ou não pode gastar dinheiro. Enfim, um combinado bombástico e que leva qualquer relacionamento para o caminho do fim.
Morar juntos, até por lei, é equivalente a casamento. Muita gente faz as malas, vai pra casa do outro e depois de algum tempo descobre que morar sob o mesmo teto tem vantagens do casamento e, se não houver amor e objetivos em comum, isso pode ser uma armadilha perigosa. Explico: morar juntos, para algumas pessoas, equivale a pular uma etapa fundamental. Quem faz questão de ter uma cerimônia de casamento, de ter o status de casada (o), de formar uma família, nem sempre se satisfaz com o fato de morar juntos. E tem aqueles que, de outro lado, usa o fato de estar morando junto como se isso fosse companhia de quarto e não um relacionamento seríssimo, equivalente ao casamento. Moro junto, não sou casado (a). E isso é um absurdo.
Vocês, depois de dois anos, já devem ter tido mil oportunidades para conversar sobre o que pretendiam fazer. Morar juntos sem um plano de futuro é o mesmo que viajar sem destino certo. Pode ser bem legal, mas ninguém sabe ao certo pra que lado está indo.
Acho que não adianta sofrer, nem fazer cobranças. Pé de manga não dá repolho. Por isso, se ele não quer fazer planos, não quer se casar, não quer ter filhos e é duro, sem grana, ou pão duro, o melhor que você tem a fazer é repensar no que a levou a ir morar junto com ele. Se há amor, se esse amor vale o sacrifício de não se casar e nem ter filhos. Se vale a pena continuar com ele, ou não.
Perder o tempo com quem não combina com a gente, isso é perder a chance de ser feliz.

Boa sorte e volte sempre que quiser.

Beijo,

Cláudia

Camila disse...

Olá, Cláudia! Tenho 31 anos e, como outras pessoas que passaram por aqui, tenho uma certeza: quero me casar e ter filhos. Sempre fui muito intolerante em relacionamentos e, com o tempo, fui amadurecendo aprendendo a aceitar as diferenças... óbvio que ainda derrapo rs, mas melhorei muito. Namoro desde muito cedo, acho que até mesmo por conta dessa "supervalorização" de formar uma família.

Meu namorado tem 28 anos, é companheiro, carinhoso (embora não muito dado a grandes demonstrações) e temos muita intimidade, sintonia. Às vezes sinto que nos conhecemos há muito mais tempo, somos o melhor amigo um do outro.
Normalmente, as pessoas dizem que temos pouco tempo de relacionamento... temos 2 anos. Eu não acredito muito no tempo como medida p/ qquer coisa que seja... cada relacionamento é único. Sempre nos colocamos um nos planos do outro e nossa convivência é diária, inclusive em relação às famílias.
Conversando sobre casamento, porém, fiquei bastante decepcionada e surpresa... negativamente.
Ele diz que não enxerga outra pessoa no futuro dele, diz que quer ter filhos, mas simplesmente não sabe quando. Fica só nas palavras, não fazemos nenhum plano nesse sentido... no máximo planejamos nossas férias, nada mais além. Minha preocupação maior é a de que não quero ter filhos logo após casar... acho que o casal precisa de uns bons anos sozinho, viajando, amadurecendo etc. Só que não falamos nem mesmo sobre PENSAR EM FAZER PLANOS. Quando toco no assunto, ele fica monossilábico. Quando questionei abertamente, ele disse que achava cedo p/ falar disso (fazer planos)... e que NÃO era apenas por uma questão financeira. Por outro lado, garantiu que não se trata de falta de sentimento. Foi um balde de água fria, pq essa resposta é totalmente incoerente com o que vivemos na prática. Como entender que uma pessoa que ama, não pode nem mesmo falar sobre FAZER PLANOS???
Li alguns posts parecidos, nos quais vc até aconselhou as pessoas a se desligarem um pouco desse papo de casamento e se dedicarem a outras coisas, até mesmo por conta da "pouca" idade. Eu já tentei colocar isso em prática, mas não consigo. Já fui bem sincera com ele, disse que queria muito ser mãe, que queria casar primeiro e ficar um bom tempo assim, que tenho 31 anos e que pelo menos preciso começar a FALAR com ele sobre isso (veja que meu problema nem mesmo é casar AGORA)! Nada mudou a postura dele. Fico pensando se não estou cega...

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi, Camila!
31 anos é muito jovem, sim! Se eu te contar a minha idade... Eu sou super jovem. Muito mesmo. Mas, o meu RG diz que passei da idade. ;-)
Ser jovem é uma questão de estar bem consigo mesmo, consigo mesma. Sem essa de se afobar e querer um resultado a todo custo. Você mesma disse que está melhorando... Quem sabe ainda falta pra você melhorar essa cobrança por resultados?
O mais importante é que existe amor entre vocês dois. Sem amor a vida não tem sentido. Vai que você desiste dele, encontra outro cara, casa, tem cerimônia bonita, festa legal, viaja pra algum lugar dos sonhos de todo mundo na lua de mel. Pode até ter casa bonita e um monte de filhos. Mas, um dia, descobre que não é amor?! Isso o que eu escrevi acontece com MUITA gente!!!
Existem casais que nunca se casam. Existem casais que escolhem morar juntos sem casar no papel, na igreja. Existem casais que casam de modo tradicional e não podem, ou não querem ter filhos. E existem casais que são muito felizes assim, do jeito que vivem.
O que é mais importante pra você: ter o amor do seu namorado, ou realizar seu sonho a todo o custo, ainda que ele pense no futuro?
Oi, Camila, estamos hoje atravessando problemas tão graves! Problema financeiro, com o país, literalmente no "beleléu". Problemas até mesmo pra quem quer engravidar, ou está grávida, veja a epidemia de dengue, zika e chicungunya. E você desperdiça o momento de hoje pra impor seu sonho de futuro.
Nós temos mesmo que querer progredir, filhos é uma bênção. Mas, quando você os tiver, feito qualquer escolha, eles serão a prioridade. Não viajará quando quiser, o dinheiro será imensamente destinado à manutenção e criação deles. E você será a segunda pessoa mais querida de seu marido, porque os filhos virão em primeiro lugar.
Casar é legal, se os dois quiserem. Ter filhos é bom, quando o casal assim decidiu em comum acordo e está preparado emocionalmente, preparado financeiramente.
Sei que são planos e você, de alguma forma, se sente rejeitada quando ele não dá pulos de alegria ao você falar em se casar e ter filhos. Mas, se isso está acontecendo, ele tem os motivos dele. Não sei quais são, talvez sejam problemas emocionais dele, talvez sejam problemas profissionais. Jovens estão se formando, fazendo pós-graduação, cursando idiomas e até mesmo investindo em cursos no exterior.
Tudo isso vem antes de se casar e ter filhos. E até lá? Até lá tem que curtir pra caramba a vida! Viajar mesmo. Pra tudo quanto é lado! Fazer todos os cursos que puder. Ganhar dinheiro sim, porque dinheiro não é tudo, mas é necessário.
Depois sim, pensar em casar e ter filhos. Hoje mulheres perto dos 50 anos estão dando à luz, até de parto natural e com toda boa saúde e tranquilidade. E você tem 31 anos!

Eu não sei como rola a situação de vocês, não os conheço. Mas, se eu tivesse 31 anos eu não casaria agora, nem pensaria em ter filhos e estaria pelo mundo, trocando beijos, curtindo meu namorado e estudando, trabalhando.

Quando aconselho alguém, eu que tenho idade pra ser mãe da maioria de vocês, lembro de mim. Fiz tudo tão certinho, mas a vida é caprichosa. E descobri que o mais importante é amar de peito aberto, sem fazer tantos planos e aproveitando ao máximo quem está ao nosso lado. Viva, viva feliz, celebre a vida.
Quando alguém começa a perturbar muito a nossa vida com ideia de casamento e filhos, o relacionamento se desgasta rapidamente. Seja inteligente, ame-se, cuide-se, curta a vida, curta o momento. Sem pressa! No tempo da vovó 31 anos era muito tarde pra se casar. Hoje, você é uma menina. Aproveite a vida!

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Olá! Estou passando por esse problema... Tenho 30 anos e namoro há 03 anos e me sinto preparada para o casamento, meu namorado tem a mesma idade e sempre fala não esta preparado assim. Não quero mais ficar apenas namorando, na última conversa que tivemos sobre o assunto, decidimos separar ou dar um tempo... Já que estou decidida a não esperar mais, pois graças a Deus o impeditivo para a maioria dos casais hoje, não é o nosso problema, como exemplo: problemas financeiros ou com nossas famílias. Possuímos bons empregos e nossas famílias são amigas, acho que ele vive muito confortável e acomodado com a situação que vivemos hoje, pois, temos a liberdade de viajar e estar sempre juntos. Estou muito confusa, ele sempre diz que me ama muito...

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
É um sofrimento grande esse, sei disso. Tanto sei que publiquei este texto. Mas, existem situações diversas que levam à falta de sintonia do casal, falta de comunhão de interesses sobre o casamento. Alguns, nem todos, brigam, sofrem, cometem a traição em vários sentidos. Para esses, sempre, recomendo cautela e que reflitam sobre a possibilidade de separação. Mas, alguns casos são diferentes, por exemplo você e a história que narrou. Costumo dizer aos leitores: eu não os conheço pessoalmente. Você, de modo anônimo, em poucas palavras trouxe uma história longa e que sim, carrega o sofrimento de uma decisão difícil de ser tomada. Se continuar com ele, haverá ainda mais descompasso sobre o futuro a ser planejado? Não posso dizer. Mas, eu esperaria mais, antes de terminar o relacionamento. Esperaria porque você mesma apontou imensos aspectos positivos no relacionamento: ele te ama, vocês não têm os impeditivos da maioria dos casais de hoje, suas famílias são amigas, há liberdade para viajar e estarem sempre juntos. Mas, você está confusa. Talvez, o que você deva refletir cuidadosa e profundamente, antes de chutar o balde, é o seguinte: você o ama suficientemente para se casar com ele?
Porque, depois do casamento, as coisas mudam. Tolice imaginar que não e mente quem disser o oposto. Muda tudo e o amor é testado, duramente provado. Os filhos chegam, que alegria, mas o casal é sim afetado com as crianças. Então, se há dúvidas, fique quieta e pense, pense e, quando tomar sua decisão, faça-o de modo corajoso, por VOCÊ e não por ele, nem pelas famílias de ambos.
Quem me dera, tivesse eu refletido sempre. Quem me dera, pudesse voltar no tempo. Você tem agora essa oportunidade, no futuro não poderá fazer muito, senão lamentar. Portanto, reflita.

Beijo,

Cláudia

katia disse...

olá!Eu tinha um relacionamento de 9 meses e terminamos ha quase um mês. No começo do namoro ele disse que não queria se casar. Disse isso porque ne levou em uma reunião da igreja dele, que é evangélica e obviamente começaram a endaga-lo sobre o casamento. Em vez de ele resolver o assunto com as pessoas la na igreja, ele trouxe isso para mim. Me contou o que tinha ocorrido, disse que pra ele casamento não traz felicidade e que ele não queria se casar. Falou também das colegas de trabalho, que disseram a ele que ele estava me enganando, pois estava namorando comigo sem a intenção de se casar. Procurou deixar bem claro que não estava me enganando, dizendo muitas vezes que nao queria se casar, apenas curtir um momento comigo. Além disso, em tinha passado em um concurso no Rio, mas em cadastro reserva. Avisou isso no início também e apesar de ter dito que poderíamos continuar o namoro depois, nunca mostrou convicçãoem relação a isso, o que me deixou muito insegura. Após 8 meses de namoro, percebendo que ainda não tinha sido chamado no tal concurso, ele resolveu começar a estudar para outro. Me incentivou a fazer o mesmo, o que achei até legal no início, mas com o passar do tempo percebi como issoo tornou distante. Só falávamos sobre o tal concurso, ele ficava comigo no final de semana, mas saía correndo no domingo bem mais cedo do que de costume pra estudar. No começo eu cheguei até a chorar, pois moro sozinha e fico só a semana inteira e aquela situação de ser deixada de lado, estando eu ao lado dele desde o começo mesmo com essas todas questões que mencionei acima, comecou a me irritar muito. Comecei a indagar por que estava ao lado de alguém que não me dava segurança. Parecia que só eu pensava em continuar o namoro após o concurso, a única coisa de que ela falava era de passar na prova, nunca da gente. Me irrirei tanto que comecei a provoca-lo de um modo até infantil para que ter provas do sentimento (ou melhor, da falta de sentimento dele por mim). Bloqueei o acesso a um curso que tinha comprado para estudarmos juntos, ele ficou superbravo, mas, logo em seguida, passei a senha nova e ele, mesmo dizendo que nao queria mais, acessou o site e pegou todas as aulas. Ficou dois dias sem falar comigo e quando faleu com ele, estava tao brava, que acabei jogando isso na cara dele: o fato de ele nao me dar nem bom dia, mas usar as minhas coisas. Bom, já dá para imaginar que isso resultou no fim do namoro, mas como a história foi muito complicada desde o início, ainda estou mal. O que você acha? Foi bom esse término? Ele é mesmo um egoísta, que só queria me usar por um tempo? Perguntei pra ele no dia em que terminamos se ele pensava em ficar comigo apos essa fase do concurso. Ele disse que sim e que eu fui ansiosa e insegura e não soube viver o presente, pensando no futuro. E assim estraguei tudo.
Estou confusa. Peço ajuda para entender esse rolo todo.

Obrigada,

Kátia

Cláudia Cavalcanti disse...

Kátia,

É mesmo um rolo, mas isso causa sofrimento e eu sei disso. Vamos por etapas. Você disse que ele, desde o princípio do namoro, disse que não pretendia se casar, que ele considerava o casamento algo que traz infelicidade. Atrás dessa afirmação dele podem existir problemas sérios, por exemplo, trauma de algum relacionamento do passado, ou mesmo problemas de relacionamento dos pais. Enfim, ele não se sente e, provavelmente, hoje não tem a menor condição de se relacionar com vista para um casamento.
O que chamou muito a minha atenção é que você quis tomar o controle da situação tirando dele o acesso a um curso na internet. Desceu vários degraus ao agir assim, ao invés de controlar a situação, perdeu o controle, ao tirar a senha e depois devolvê-la. Sim, uma confusão. Mas, ele não estava confuso, sabia o que queria: ele não queria se casar.
Você colocou à frente da realidade a sua vontade de se casar. Um rolo!
Vale a pena investir em um relacionamento com uma rachadura enorme no setor "objetivos em comum"? É justo, alguém que quer um dia se casar, se relacionar com uma pessoa que, de cara, queima etapa e diz que não vai se casar nunca? Eu acho que NÃO.

Fez bem em terminar o namoro, sugiro que não volte atrás nessa decisão ( como fez com a senha). E, outra coisa, tire de sua cabeça essa ideia de casamento. Relacionamentos saudáveis, naturalmente, rumam para um compromisso, algo que flui sem pressão, sem cobranças e sem essa diferença de objetivos do casal.
Oito, nove meses, pouquíssimo tempo para se pensar, ou falar em casamento ( há raros casos de sucesso, com tão pouco tempo de namoro).
Estude mesmo, faça mesmo um concurso, tenha sucesso profissional, pessoal, financeiro, se ame, se cuide, curta muito a vida. Pelo caminho, um dia, encontrará alguém que pensa como você, quer o mesmo com você. E esse relacionamento lhe trará somente alegrias.

Um beijo,

Cláudia

Katia Pereira disse...

oi, Claudia. Muito obrigada pela resposta. Foi esclarecedora e rápida. Eu não tinha pressa em casar e não tenho, mas gostaria de ter um relacionamento como vc disse, que nao tivesse começado com um não quando eu nem estava pensando nisso. Ele insistiu muito, não teve como não ficar com isso na cabeça, fora que em qualquer briguinha ele jogava isso na minha cara: "você já está na idade de ter filhos. O que vc espera de mim, Kátia? Não quero me casar, você vai perder tempo comigo?", mas depois vinha correndo atrás dizendo que sentia a minha falta. Eu sempre cedia, mas sempre tinha que ser lembrada de que o relacionamento era momentâneo. Eu perdi um namorado de câncer, que me disse na cama que queria viver pra se casar comigo. Esse que não queria se casar sabia dessa história muito bem e mesmo assim continuava falando de não casar. Acho no mínimo desrespeitoso. Fora isso, perdi minha mae um ano antes do meu ex e ainda hoje tenho um pouco de depressão por conta disso. Tenho angústia por viver só e muitas vezes ele jogou na minha cara que eu o usava para não ficar sozinha, mas não concordo, pois eu gostei dele mesmo, me atraia física e psicologicamente. Além disso, a mãe dele tinha várias ideias de que mulher era a proveitadora (ja que se casou com o pai dele por interesse). Sou independente, moro sozinha, nunca deixei ele pagar as coisas pra mim. Essa atitude dela era ridícula do meu ponto de vista. Procurei me manter longe dela, enquanto ele queria me aproximar da mãe dele e dizia que eu deveria conquista-la. Quanto a relacionamento, ele só teve um de 4 meses. O trauma em relação a casamento não veio da vida amorosa dele, mas acredito que possa vir da dos pais. Ele tem muita preocupação com a estabilidade financeira e me dizia: presta o concurso tb, pq não sou para sempre, mas seu concurso eh. Ele queria me ajudar, eu admirava isso, mas no fundo queria pelo menos fazer parte dos planos mais imediatos dele, pois parecia que assim que passasse no concurso me deixaria. As vezes me culpo por não ter conseguido levar isso tudo sem encanar e ter aproveitado pra estudar com ele, aproveitado a boa vontade de me ajudar. Bom, nesse rolo todo ainda tem dois problemas meus que o irritavam: autoestima baixa e falar muito de problemas (fui muito mimada, minha mae resolvia tudo para mim. Hoje, apesar de me virar, pedia ajuda dele se algo aconteceria, mas ele nunca quis nem ouvir minhas coisas). É, com esse rolo todo e um buraco entre os objetivos de cada um seria difícil dar certo. Hoje não tem nem como eu voltar atrás, pois ele me repugna, fala que faço mal a ele por falar de problemas e que ficou com medo da relação. Quis explicar melhor, porque a situação é tão confusa que é difícil até de explicar. Muito obrigada, Claudia.

Cláudia Cavalcanti disse...

Kátia,

Não se sinta culpada por buscar a sua felicidade. Você está bastante dolorida e bastante confusa. Perder sua mãe e perder seu namorado para essa doença, que eu chamo de "doença maldita" ( perdi meus pais e um irmão com ca), isso faz qualquer fortaleza se abalar. Sua autoestima está baixíssima, essa necessidade de ter a presença de alguém, para não se sentir sozinha, é uma armadilha perigosa e causada justamente pela baixa autoestima. De fato, pense: chegamos a este mundo absolutamente sozinhos. Na verdade, apesar de termos tantos seres ao nosso redor, estamos "sozinhos" nesta vida. E, um dia, inevitavelmente, deixaremos este mundo "sozinhos". Falei esta última frase sem qualquer menção às religiões, ou a fé em um Ser Superior, apenas para lembrá-la que a vida é uma viagem solo, cada um é responsável pelo próprio destino. De onde vem tamanho medo? Eu, quando perdi meus pais, depois meu irmão, precisei de ajuda. Dentro de mim, que sempre fui muito forte, havia um sofrido terremoto. E fiz psicoterapia. Quem sabe, você de modo breve e para superar este momento difícil, se autoconhecer, encontrar dentro de si as respostas a tantas perguntas, não mereça procurar um bom psicólogo, ou psicóloga e fazer uma análise desses sentimentos, que agora estão confusos e te ferindo tanto?

Quanto ao ex. Ele foi um acidente de percurso. Pense assim. Aliás, todos que passam por nós deixam algum ensinamento. Apegue-se à seguinte ideia: ele me ajudou a perceber o quanto estou confusa.
Um homem, ou uma mulher, para ficar ao nosso lado tem que fazer conosco parceria. E parceria significa andar lado a lado, sem puxar, sem empurrar e sem desaparecer. Quem anda lado a lado não ameaça nos abandonar depois daquela curva. Quem anda ao nosso lado deixa em seus passos a marca do amor e do infinito. Portanto, Kátia, antes de mais nada, vá cuidar de suas emoções. Somos humanos, de vez em quando é preciso curar as emoções, principalmente depois de perdermos pessoas amadas. Busque ajuda profissional de um psicólogo. Depois, quando você se sentir mais fortalecida, aproveite que não tem problemas financeiros e vá passear. Sim, passear, viajar. Eu, pessoalmente, não vejo sentido na vida sem viajar, conhecer novos lugares. Na volta da viagem a gente volta forte, feliz e com a alma lavada.
Eu criei um blog para escoar meus sentimentos. Foi um dos caminhos que encontrei para não mais represar dor, alegria, esperança, medo, culpa, raiva, bom humor, paixão... E, para minha felicidade, nessas palavrinhas que derramo, pessoas queridas como você esbarram na minha vida. Acho que todos podem encontrar um caminho similar, seja através de um hobby, das artes, da dança, da literatura, um esporte, um novo curso.
Por falar em curso, vá em frente, você é capaz e merecedora de sucesso. Esqueça esse namorado, ele te fez e faz muito mal. Uma pergunta interessante para você se fazer é: por que me encantei tanto com um homem que me deu amor pela metade? Por que eu me considero merecedora de uma mísera migalha de afeto e não de um amor quente, gostoso e só pra mim?

Estou sempre aqui, se quiser continuar o papo: claudiacavalcanti2014@gmail.com

Um beijo, força e lembre-se: a solidão é uma ilusão. Você não está sozinha.

Cláudia

Katia Pereira disse...

Claudinha, muitíssimo obrigada! Por enquanto você disse tudo o que precisava ouvir. Obrigada mesmo. Estou no início de um processo de terapia e confiando muito no sucesso dele. Você é uma bênção, pois quando estamos confusas poucas pessoas nos entendem. Muito obrigada e que Deus te abençoe. Se eu sentir necessidade, mando-lhe um e-mail sim. Um beijo enorme.

Cláudia Cavalcanti disse...

Kátia,

A vida, a casa instante miudinho, é um belo convite para sermos felizes. Permita-se ser feliz. Obrigada por compartilhar conosco sua história, mais pessoas aqui chegarão, vão ler, algumas escreverão, outras vão refletir e compreenderão que suas dores da alma, o momento difícil que atravessam, tem saída, pode ser enfrentado com força e coragem. Não se sinta sozinha, não procure um namorado, marido, com a falsa ilusão de estar se sentindo sozinha. Mais uma vez, obrigada por dividir conosco algo tão importante de sua vida.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Olá, Cláudia!

Eu tenho 37 anos, e ele tem 25. Namoramos um ano e dois meses, e ele não pensa em planos para o futuro. Diz que está mais focado no trabalho e nos estudos (ele está cursando uma segunda faculdade). Eu dou muita força pra ele em tudo, e dou razão quando ele diz que precisa se dedicar à sua vida profissional, mas acredito também que quando amamos, não imaginamos uma vida sem a outra pessoa.
Muitas vezes me sinto errada querendo que ele faça planos comigo, já que tenho 12 anos a mais que ele... Mas e eu? É justo comigo estar me dedicando a uma relação temporária? Sei que devo focar em mim e na minha vida também, mas quando gosto de alguém, cuido dessa pessoa, imagino uma vida com ela, não mantenho um relacionamento com alguém com quem eu não me veja durante muito tempo na vida. Acredito que nos relacionamos para isso, para construir junto.
Às vezes tenho a impressão de que ele está comigo por enquanto, sabe? Como um momento da vida dele, se preparando para um futuro que ele imagina que não será comigo. Triste demais isso.
Como estar com alguém que pensa em fazer tudo para si mesmo e não nos inclui nos seus planos futuros? Eu sempre penso nele no futuro. Temos um descompasso de ideias e parece até que eu gosto mais dele do que ele de mim. Ele não sabe explicar seus próprios sentimentos. Estranho isso. Ou não sabe, ou não quer. Mas alguns sinais me mostram que ele não está comigo para construir um futuro ao meu lado e não tem grandes problemas em imaginar uma separação algum dia, como se fosse algo real, algo mais óbvio.
Então resolvi terminar com ele, mesmo amando muito. Porque eu tenho total segurança dos meus sentimentos. Não tenho dúvida nenhuma do que quero. Quero um futuro ao lado dele. Consigo imaginar isso tranquilamente. Mas ele não.
Prefiro a dor da separação à dor da incerteza e da insegurança.
Porém, estes dias de separação têm sido muito dolorosos... e parece que para ele também. Ele veio aqui em casa ontem trazer algumas coisas minhas e quando eu perguntei como ele estava, seus olhos se encheram de lágrimas. Existe aquela vontade de abraçar, de tocar... ele veio e tocou meu braço, dizendo que queria me sentir, que estava com saudades. Depois me abraçou e ficamos assim um tempo. Combinamos de passar um dia durante o feriado de Páscoa juntos, pois sempre estivemos juntos nos tempos livres, como feriados e fins de semana, e sempre foi tudo perfeito! Sentimos falta disso...
Eu só não sei mais o que fazer... se eu me coloco firme na minha decisão de me separar dele e viver este momento sozinha, me dando espaço e oportunidades de conhecer alguém que esteja na mesma sintonia de vida; ou se vivo este sentimento tão gostoso que tenho por ele, que me faz bem quando estamos juntos, e que só me incomoda quando nos imagino separados.
Devo ser forte e me manter firme na minha decisão da separação?

Beijos,

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Desculpe a demora da resposta.
Acho que você idealizou um "final feliz" e, de todo jeito, quer colocar o príncipe em cima do cavalo branco, o sapatinho de cristal 5 tamanhos menor, à força, no seu pé. E se ele não quiser casar, não souber responder tudo o que você gostaria de escutar, você é capaz de transformá-lo em sapo.
Sabe, a gente tem mesmo essa mania. Eu sou assim também. Se não tiver meus sonhos realizados, puxo a descarga e acabo com o relacionamento. Mas, li várias vezes seu comentário. Você disse algo que chamou muito a minha atenção. Primeiro, que ele te faz bem, que que é um sentimento tão gostoso. Disse que estão sofrendo assim, separados. E disse também isso: "Mas alguns sinais me mostram que ele não está comigo para construir um futuro ao meu lado e não tem grandes problemas em imaginar uma separação algum dia, como se fosse algo real, algo mais óbvio".
Menina, a vida é breve. Não pense que isso é filosofia. É fato, essa é a dura realidade. Passa tão depressa! E tudo o que nós realmente temos é o instante de agora, este exato segundo. Se houver um tsunami, terremoto, se um cometa cair em cima de nossas cabeças, se o avião despencar, ou se não olharmos para os dois lados da rua... Já era. Somos frágeis, passageiros, breves até demais.
O mais difícil nesta vida é encontrar alguém com quem seja gostoso estar, quem aquece nosso coração, quem mexe de verdade com nossos sentidos. Você encontrou!
Casar, não casar, ter filhos, não ter filhos. Por que você não aproveita a vida com ele, ao invés de querer casar? Pra quê casar?
Falou da diferença de idade, poxa... É machista a ideia que é tão enraizada: homens podem estar com mulheres mais jovens; mulheres não podem estar com homens mais jovens... Oi? Isso é pura hipocrisia de quem assim pensa. E você está acima disso. Não é?
Portanto, eu se fosse você deixaria essa ideia de querer que ele assuma compromisso pra lá. De lado, de preferência pra sempre. E viveria o que ainda existe. Se o amor de vocês vai durar um segundo, ou por toda a eternidade, só o tempo dirá. Viva a sua felicidade. Sem preconceito, sem ideais de contos de fadas, sem se sabotar tanto.
Estou aqui para continuarmos a conversar.

Um beijo, muita sorte. Vá se feliz, garota!

Cláudia

Anônimo disse...

Olá, Claudia! Muito obrigada pela resposta! Vim ler apenas hoje e fiquei feliz com o que li. Derrubei umas quantas lágrimas também, porque eu tenho tentado uma reaproximação com ele, até hoje mesmo o convidei para almoçar, mas desde o dia seguinte em que ele veio aqui em casa e trouxe minhas coisas, ele tem se posicionado firmemente na ideia de que estamos melhor separados. Ele disse que não quer ser egoísta e me manter ao lado dele quando ele não tem intenção de fazer planos comigo e prefere me deixar livre para encontrar alguém que esteja melhor preparado para mim. Eu até falei que admiro essa postura firme que ele vem tomando, porque me parece uma atitude adulta, de alguém sensato, mas ao mesmo tempo eu é que estou sofrendo muito. Não sei se ele sofre do mesmo jeito, porque ele não me procura mais tanto. Parece que tem levado seus dias muito decidido em seguir em frente.
Na Páscoa deixei um cartão na caixa de correios da casa dele, e depois avisei por mensagem. Ele leu e veio agradecer, confessando que tinha chorado. Eu disse umas quantas coisas, ainda por mensagem, dizendo que tudo que vivemos foi muito lindo e que eu quero que ele seja feliz.
Percebi que agora eu estou querendo uma chance para o que tivemos e que ele não quer mais.
Choro sempre. Dói bastante. Tenho feito minhas coisas com o coração na mão. Hoje mesmo saí mais cedo de uma aula com falta de ar.
Enfim, essa é a nossa história de amor. Eu pressionei, terminei, ele aceitou o fim, eu me arrependi e agora ele não quer mais voltar.
Um lado meu diz para eu dar tempo ao tempo, deixá-lo viver este momento sozinho, com os amigos, com novas garotas, deixá-lo solto, sem procurar saber dele.
Porque eu sei que se ele me ama mesmo, não vai muito longe sem mim.
Quero também um botão de "resete" no coração. :)
Beijos e obrigada pelas palavras tão belas!

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

Acho que você já sofreu o bastante. Já teve falta de ar, colocou na caixa de correios dele uma correspondência, já chorou, se acabou de tanto sofrer. Não acha que chega de tanta tristeza, de tantas lágrimas, de tanto sofrer? Eu acho que sim. Chegou a hora de erguer a cabeça e seguir a vida. Com ele, ou sem ele. Aliás, sem ele, por mais impossível que pareça ser a ideia de viver sem ele, isso é sim possível e até pode ser a abertura de um caminho para outra história que acontecerá mais adiante. Ninguém é o sol da vida de ninguém! Ele não é seu oxigênio, por isso: VOLTE A RESPIRAR!
Cuide de seus afazeres: estudos, trabalho. Vá fazer o que sempre faz, o que deve ser feito para ter sua vida dentro da mais total ordem e normalidade. Amigos nessa hora podem ajudar muito. Sair, ou simplesmente bater um papo ( sem essa de usar o ombro das pessoas para chorar, isso ninguém aguenta).
Ou volta com ele, ou esquece e segue em frente. Mas segue mesmo, com força e determinação. E seja feliz, porque gente chorona não consegue ser feliz e, pior, afasta todo mundo ( é o que eu disse: ninguém aguenta).

Ele vai mesmo viver a vida dele, claro que sim. E você também tem que viver a sua vida. Agradeça o que viveu, acorde pro dia de hoje e comece a traçar seus planos de futuro. Sem ele, evidentemente.

Um beijo, nada de choro e, não esqueça: respire!

Eloá disse...

Olá, Claudia, tenho 30 anos e meu namorado 40, namoramos há 5 anos, há uns 3 anos saiamos pra boate( adoro dançar) com amigos, mas agora cada um tomou um rumo na vida e não saimos mais, ainda gosto muito de sair, as vezes vou com minhas amigas sem ele, pq não quer ir, e isso me encomoda, fora o fato de que eu vou nos shows que ele gosta, mesmo não gostando, e fico feliz, pois estou com ele. Outro dia falei pra ele que queria ir em um show sertanejo (antes, ele gostava, agora sei lá pq, não gosta mais)e ele falou assim: vamos em qquer um, não gosto msm...me deixou muito triste.Parece que não se esforça por mim, e eu faço bastante por ele....no aniversário da minha tia, inventou muitas desculpas p não ir... nossa q raiva, nem se que disse: se vc quiser ir vou com vc, mas não to afim, eu entenderia, neh!!Outro ponto e que quero casar,mas ele não fala sincero, vamos casar então, marque a data vou com vc!! Ele já tem estabilidade financeira, no momento estou desempregada, mas ele sabe que não vou ficar por muito tempo, acho que quem ama realmente se esforça pela outra pessoa, se quisesse casar, mesmo comigo, não seria problema. Não sei se fico ou não com ele, gosto e amo meu namorado, mas to desgastada... Obrigada, bjos

Cláudia Cavalcanti disse...

Eloá,

Você disse que agora cada um tomou um rumo na vida. Que isso a incomoda. Que você faz bastante por ele, mas parece que ele não se esforça por você. Sentiu raiva pelas muitas recusas dele acompanhá-la em eventos sociais, shows, boate. Você está desempregada. Quem paga, ou pagaria essas despesas? Ele tem estabilidade financeira, tem 40 anos. Mas, ele parece ser mais recluso, mais acomodado, não gosta muito de ir a shows, de ir a boate, de eventos familiares. E eu posso te dizer, com total segurança e mesmo sem conhecê-los, que o problema não está nisso. Não mesmo. Ele não quer sair, você quer sair. Algo mudou muito nesse relacionamento e, possivelmente, vocês dois ao longo de cinco anos mudaram muito também. As pessoas mudam, ninguém permanece exatamente a mesma pessoa que era depois de algum tempo. Por isso, os relacionamentos se modificam incessantemente. E esse é o X de toda questão. Ele mudou, você mudou, o relacionamento mudou.
Só posso responder por minha própria experiência. É chato, para dizer o mínimo, ter que sair com alguém apenas para agradar a pessoa, ou para manter o relacionamento "em ordem" e sem atritos. Ter que ir para não ser anti-social, nem ser visto como antipático, chato, mala... Enfim. Por outro lado, a falta que faz a presença de alguém ao nosso lado é mesmo desastrosa. Ter um par, mas sair por aí ímpar é um tanto estranho. Ainda que ter amigos e sair com amigos seja algo bom e natural.
O relacionamento, talvez, esteja mesmo desgastado, mas não especificamente porque um quer sair, o outro não quer. Talvez, por falta de entendimento, de poder sentar e conversar, ser ouvido, ser compreendido. Não há uma solução favorável para os dois, quando o assunto é o abismo que se abriu e acolheu a divergência que você expôs no seu relato.
Acho que quando existe esse tipo de problema, não é recomendável dar passos mais sérios, como se casar. Casamento, penso eu, tem que acontecer em duas situações: ou no fervor da paixão ( algo que acontece no começo do relacionamento), ou de modo muito planejado, pensado e sem haver problemas nesse relacionamento. Há problemas no relacionamento de vocês.

Hoje em dia, sair está muito caro. Eu mesma pouco saio, porque cada saidinha custa, no mínimo, 200 reais. Ele tem a vida financeira estável, mas... Será agora o momento de querer tanto sair? Você está desempregada! Eu adoro ficar em casa, receber amigos, fazer comidinhas novas e especiais, coisas do tipo jantar japonês, comidinha mexicana. E é divertido, pode ter certeza.

Enfim, se o problema for esse, o de sair, há solução, como essa que sugeri acima. Mas, sinceramente, acho que o problema de vocês dois é mais profundo. Algo mudou, tudo mudou, vocês dois mudaram ( isso é inevitável, todo mundo muda). E é preciso se ajustar, ou dar um tempo na ideia de se casar. Não é o momento de pensar em se casar.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Muito obrigada pela sua resposta! Adorei! Já fiz print e guardei comigo, para ler neste momento de cura sempre que necessário.
Ontem foi mesmo um dia muito especial. Li sua ultima resposta, estive com uma amiga querida e fizemos um passeio no parque, aproveitando o sol bonito de manhã bem cedo, e isso tudo foi uma terapia! Meu dia começou muito bem. Fiz minhas aulas mais contente e decidida e estou assim agora.
Obrigada por nos ajudar com suas palavras tão sinceras!
Um grande beijo!

Cláudia Cavalcanti disse...

Quem tem que agradecer sou eu. Acho que todos nós temos o dever de ajudar uns aos outros e, quando essa ajuda é dirigida a alguém que não é amigo, parente, que não sabemos quem é, creio que tem um valor muito significativo, muito especial. Seja sempre muito feliz e volte mais aqui. Tem bastante coisas pra você ler!

Um beijo,

Cláudia

Eloá disse...

Olá, Cláudia, namoro ja faz 5 anos, tenho 30 anos e meu namorado 40, mas parece que ele não me dá atenção suficiente, não me valoriza, eu gosto muito de dançar e sempre arruma uma desculpa pra não ir, há uns 3 anos iamos com nossos amigos, mas hj cada um tomou um rumo na vida e ele não quer ir mais, eu vou nos lugares que ele gosta, mesmo eu não gostando muito, mas vou pq gosto de ver ele feliz e estou na compnhia dele, já ele quando é pra ir em algum show ue eu gosto, fala que por ele tanto faz, que não gosta (no caso sertanejo), mas meu se ama a pessoa, faz por ela... E nem de casar ele fala... Gosto muito dele... não sei que fazer... Obrigadaa

Cláudia Cavalcanti disse...

Eloá,

Respondi seu comentário anteriormente. Se você rolar a página encontrará minha resposta, no dia 01/04.


Cláudia

Eloá disse...

Obrigada Cláudia, acabei de ver..srsr é realmente temos que nos ajustar, pensei muito o que vc disse, não sei se vou levar adiante, eu gosto muito dele, ele tbm gosta de mim, mas mesmo assim, não sei se é pra casar.... triste... obrigadaaa, beijos

Cláudia Cavalcanti disse...

Eloá,

Acho que gostar não é o bastante, quando o assunto é casamento. É um compromisso muito sério, que além exige total dedicação e exclusividade ao par. É preciso muita maturidade, paciência, tolerância e ter mais do que amor, porque os dois precisam estar de acordo quanto a uma série de assuntos: despesas, onde vão morar, se terão filhos ou não, o que cada um espera desse relacionamento. O amor é lindo, mas ele não é o bastante. Enfim, que bom que está pensando. Não fique triste, a gente de vez em quando vê as pessoas partirem de nossas vidas e somente no futuro entendemos o quanto isso era necessário.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Olá, tenho 31 anos e meu namorado 38 namorados há quase 6 anos e moramos em cidade diferentes em torno de 40 minutos, quando nos conhecemos morávamos na mesma cidade, enfim nos falamos de casamento porem meu namorado quer casar em dezembro de 2017 e eu esse ano em dezembro, desde 2014 temos conversado sobre isso e já era certo que iriamos nos casar esse ano, enfim meu namorado ultimamente tem usado desculpas como a atual crise e a correria da rotina dele entre trabalho e estudo para adiar para o próximo ano, eu já estou literalmente perdendo a paciência com essa espera, não tenho o sonho de fazer festa de casamento a única coisa que quero é casar e construir uma família junto com ele, porém sei que não devo pressionar ele, mas estou a fim de conversar com ele e falar ou nos casamos esse ano ou adeus...as vezes eu penso que de repente estou perdendo tempo com ele, pois somos bem resolvidos financeiramente e profissionalmente por isso não vejo motivo para nos casar esse ano.

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia, olá!
Vocês dois moram em cidades a 40 minutos de distância. Pertinho!
Inicialmente falarei sobre isso. Por exemplo, eu moro na cidade de São Paulo. Minha família mora em um bairro próximo, se pudesse ir a pé (se fizesse isso certamente seria assaltada) eu levaria em torno de 30 minutos para chegar ao local. Porém, é necessário ir de carro, ou pegar um ônibus. Leva uma hora e meia para chegar nesse bairro, que fica a uns 5 km da minha casa. É perto, ou é longe? Vocês dois estão a apenas 40 minutos um do outro. Se um dia vierem morar na minha cidade, cada um em um bairro diferente, saberão o que é morar perto/longe ao mesmo tempo.
Por que essa mudança de cidade te incomoda? Gostaria que ele ficasse sob o seu olhar 100% do tempo?
Agora o outro assunto, esse muito mais grave. A crise jamais será uma alegação. Ela é um fato. A realidade de todo e qualquer brasileiro honesto e trabalhador é esta de agora: destruíram a economia do nosso país. Quem tem emprego tem que elevar as mãos pro céu, porque muita gente está desempregada. Quem tem seu próprio negócio está na iminência de "quebrar", ou tem que reduzir despesas drasticamente. Portanto, fazer um plano seríssimo como se casar, se isso puder ser adiado, não por desamor, mas por RESPONSABILIDADE, está CERTÍSSIMO.
A correria da rotina do trabalho, não sei em que ele trabalha, mas dependendo da fase profissional de cada um, assumir um casamento pode ser bom, ou não. Por exemplo, um médico recém-formado não terá tanto tempo para estar em casa, viajar, passear. É só um exemplo.

Vai pressioná-lo. Se ele disser que sim, você vai casar com ele quando quiser, do jeito que quer. Se ele disser não, vai voltar aqui e dizer que está sofrendo, ou vai sofrer sem vir aqui.

Você me desculpe, mas o seu relato é de quem quer tudo ao seu modo, sem se importar com o que realmente está acontecendo. Não os conheço, não sei em que trabalham, não sei como está o relacionamento de vocês. Mas, a vida não é assim! As coisas não funcionam dessa forma.
Ou ele se casa com você, ou adeus. Sinceramente, acho que ele vai te dizer adeus. Esse tipo de pressão é algo tão asfixiante que até eu me senti mal quando imaginei a "forçada de barra".

Pode até ser que seu relacionamento esteja em um mau momento. Que seu namorado tenha, em parte, perdido o interesse por você. Mas, não será fazendo pressão e cobranças que você o conquistará, ou reconquistará. Você não está se dando conta, mas está destruindo qualquer chance de um futuro com sua postura. Quem vai querer construir uma família com alguém que não o compreende, nem entende que este não é o momento melhor para se casar?

Sinto muito, acho que você está errada.

Um beijo,

Cláudia

Unknown disse...

Obrigada pelo resposta rapida Claudia, mas vou pensar no que me disse!
Bjus!

Cláudia Cavalcanti disse...

Pense muito e venha sempre aqui.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Boa noite! Parabéns pelo tema que abordou!!! Tô nesse dilema! Sonho em me. Casar e meu namorado diz que isso não é important ele diz coisas q realmente me magoaram! Pra ele morar junto basta! E isso tá colocando em "cheque" nosso relacionamento!! Sei lá essas coisas são complicadas! Não sei ao certo o que pensar!

Cláudia Cavalcanti disse...

Boa noite!
Uma situação muito difícil. Mas, com certeza, há algo em comum com todos aqueles que enfrentam esse problema. Quando existe dúvida, quando um dos dois não quer se casar, o certo é não assumir um compromisso ainda mais sério. Tem que resolver a questão, deixar o tempo passar. Forçar a barra nesse instante é pular em um poço sem fundo. Cada um que aqui chega e comenta sua história está magoado, sofrendo. Mas, insistir nessa ideia de casamento em momentos assim é um atentado contra a própria felicidade.
Não insista, é tudo o que posso te dizer. Morar junto é algo novo, que socialmente se tornou bem aceito recentemente. Mas, também acho que não é o mesmo que se casar, não pra quem é jovem e sonha em ter uma cerimônia na igreja, pra quem acredita que algo formal seja importante pra si. Por isso, não tome nenhuma atitude sem antes ter certeza do que sente por ele, do que ele sente por você.
Beijo, boa sorte e obrigada pelo elogio.

Cláudia

Anônimo disse...

Boa noite Claudia!
Tive a ler vários comentários e respostas suas e acho que muitas vezes as pessoas têm vergonha de assumiR! É o meu caso!
Namoro à quase 3 anos e vivo à um ano com o meu namorado! Não pensava em casar mas mudei de ideias! Todas as minhas amigas se casaram e tenho ido às cerimónias e fiquei com vontade de viver esse momento também! Estarei assim tão errada por querer agora?
O meu namorado não quer casar. Diz que sabe que sou a mulher da vida dele mas que não quer casar (porque saí muito caro)!!
Fiquei completamente de Rastos! Não esperava que ele tivesse esta reação. Agora as dúvidas surgem na minha cabeça! Não quer me fazer feliz? Será que afinal não é este o nosso destino?
Não consigo assumir perante ninguém que ele não me quer! Que não quer casar comigo...

Cláudia Cavalcanti disse...

Boa noite!
Ele não quer se casar. Casamento é um compromisso muito sério, para alguns é uma espécie de aprisionamento. Há aqueles que moram juntos e, quando formalizam a união, se casam, o relacionamento se deteriora e termina. E entre o relacionamento se deteriorar e terminar demora um tempo que pode parecer infinito.
O fato de outras pessoas se casarem, da cerimônia e tudo o que envolve o momento ser bonito, isso não justifica você também se casar. Entendo que é um sonho que você acalenta, mas quando você se imagina casando é, de fato, com ele?
Casar pode ser bom, mas com quem nos ame profundamente. Tem que ser o desejo dos dois, sonhado pelos dois, realizado pelos dois. Sem um puxar ou empurrar o outro.
Se ele não quer, não insista.
Você tem duas alternativas:continue com ele sem mais pensar em formalizar a união com um casamento formal. A outra alternativa é assumir que ele não quer se casar e fazer um movimento difícil, doloroso, sem prazo determinado: desligar-se dele.
Não estou te aconselhando a romper com seu namorado, absolutamente. Mas, se ele não quer, ainda que seja apenas neste momento, se ele não quer se casar, não insista. Isso poderá levá-lo a romper o relacionamento, a brigar com você, ou algo pior: se casar só pra te agradar. Aí sim, você vai sofrer, porque casamento, como eu disse antes, tem que acontecer pela vontade enorme dos dois.
Estou por aqui, se quiser continuar a conversa escreva. Boa sorte, pense muito. Um beijo.

Cláudia

Anônimo disse...

boa tarde estou passando por um momento complicado meu namorado de quase 4 anos nao quer se casar,ele quer que agente mora junto e pronto,nao sei o q fazer,estou pensando em ate terminar o relacionamento....

Cláudia Cavalcanti disse...

Boa tarde!
Fiquei aqui um tempo pensando e pensando no que escrever pra você. É sim complicado o seu momento. O que posso te dizer, espero muito que isso possa ajudá-la, é algo que aprendi ao longo da minha vida. Jamais devemos tomar decisões importantes, ou decisões que são definitivas, quando estamos tristes, ou com raiva. Nunca, jamais.
Acho que você está desapontada, acho que está triste. Não decida nada agora.
Já conversou com ele com clareza, já disse pra ele que está pensando em terminar o relacionamento?
Eu acho que uma boa ideia é você conversar com alguém de sua confiança. Podem ser seus pais, se os tiver. Um irmão, um amigo, um tio que seja legal. Alguém que a escute e, sem julgamento algum, se coloque ao seu lado para o que der e vier, seja qual for a sua decisão. O que você precisa é de APOIO!
Estou aqui, a gente não se conhece. Mas, por favor, só tome a decisão sem a emoção negativa da tristeza, ou da raiva.

Beijo, escreva de novo se quiser falar comigo!

Cláudia

Gato Prateado disse...

Ola Claudia, vejo q este assunto rola desde 2011, e vc com muita educacao ainda responde a tds... por isso resolvi relatar o meu caso.
tenho 35 anos e ele 27, desde o começo a gente fica constrangidos com essa historia de idade e mentimos para mais ou menos. rsrs. ele é uma pessoa muito introvertida e timida, eu tbm sempre fui uma pessoa solitaria , entao nos combinamos bem.
sempre tivemos um relacionamento saudavel e com muita amizade, viajamos e sempre que podemos estavamos juntos... porém apos quase 3 anos nao conheci a familia dele pessoalmente, ele ja conhece a minha e nesse periodo já briguei com relaçao a isso, achando q estava sendo enrolada... ele disse q familia coreana nao apresenta assim para a familia e q ele nao gosta do que a familia se meta na vida dele... no fim das contas voltamos... em setembro de 2015 aproveitando q uma amiga q morava comigo parou de dividir a casa comigo para morar com seu namorado, resolvi tentar fazer a cabeça dele de casarmos/e ou morar juntos... desde entao ele alega q nao tem dinheiro para bancar um casamento e eu disse q me contentava em morar juntos sem casamento, e ele diz que isso é errado nos costumes dele , que teria que casar e depois morar juntos. ele trabalha com a familia e disse q nao tem condicoes financeiras de tomar essa posicao.
em fevereiro tomei uma decisao radical e joguei no tudo ou nada e disse q se nao tivesse casamento ou morar juntos iriamos separar. e separamos, ele nao aceitava e chorava muito e sempre vinha e eu tomei a decisao de sumir, bloquear nas redes sociais .no começo estava bem brava e decidida... mas com muita dor no coração, hoje eu sinto falta e talvez arrependida... mas o orgulho esta grande demais para voltar atrás. em sua ultima msg ele disse que ainda sente muita dor no coraçao ao lembrar mas que ja estava se acostumando.
fui influenciada sim por sociedade, familia, pessoas... mas estava feliz e hoje estou triste, mas tb ja estava cansada de tanta enrolaçao, e com 35 anos, nao sou mais uma menina.. quero ter familia e filhos, mas cada dia q passa vejo esse sonho cada vez mais distante... e hoje em dia esta muito dificil de achar algém honesto , fiel e trabalhador. tomei a decisao errada?

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Tudo bem? Você escreveu pra mim nesta semana tão romântica, que os chatos dos afortunados chamam de "semana dos namorados". Eu sou casada, consegue calcular a falta de romantismo do dia dos namorados pra mim? Não? Portanto, se você não consegue calcular, considere-se uma felizarda! Escapou do coreano e do seu destino cruel ao lado de um babaca que seguiu os preceitos de sua moral e costumes. Menina, esse cara nunca, jamais te mereceu. Porcaria de namorado! Fez bem demais ao mandá-lo ir "pastar". Força aí, fora pra caramba! Supere, não vá atrás, não olhe perfil dele nas redes sociais, não fale com ele de jeito nenhum, nem por telefone, muito menos telepatia! É um babaca que não te merece. 35 anos? Uma garota!!! Quer trocar comigo? kkkk ( brincadeira, melhor não, sou bemmm mais velha!!!). Vá em frente, garota! Essa porra de semana dos namorados deixa muita gente a sofrer. Seja feliz, sozinha, em casa, lendo um livro, tomando sopa, comendo miojo. Ou com amigos. Com a família. Com um gato ocasional, o que vc quiser. Mas, esqueça esse tal de coreano!

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Boa noite Claudia!
Olhando pela internte encontrei seu blog e vi q mesmo depois de tanto tempo ainda responde as pessoas e estou precisando de uma opniao.

Bem eu tenho 29 faco 30 em agosto, meu namorado tem 21 faz 22 em novembro, sao 8 anos de diferenca. Nunca isso me incomodou ou incomoda. Nos conhecemos na faculdade e namoramos a 2,5 anos. Estamos passando por um momento delicado da relacao, estamos pensando em como sera o futuro do nosso relacionamento e confusos e com medo disso estamos dando um tempo.
O problema comecou na mente dele e agora tb na minha, a nossa preocupacao é se daki 4 ou 5 me bater a vontade de casar e nele nao por ser novo ainda.....ele tem medo de me enrolar, e eu agora tb estou com esse medo. Pq na vdd ele nao pensa em se casar quando estiver com seus 26/27 anos e eu ja com 34/35, se acha novo pra isso ou q nao vai estar preparado financeiramente.....eu entendo o lado dele de vdd.....e um rapaz inteligente mto responsavel e quer mto crescer profissionalmente... e apoio ele demais em relacao aos sonhos dele, e eu tb quero td isso pra mim....ate hj nao me bateu essa vontade de casar mas e quando bater? O que farei se ele nao estiver preparado? Vou esperar ele estar preparado pra isso e correr o risco nesse meio tempo de nos separarmos e eu ficarei solteira aos 35 sem um relacionameto ou perspecriva de casamento a frente?.
Isso esta nos atormentando e nao conseguimos nos decidir se corro o risco ou nao?
Porem nos gostamos mto, somos mto amigos, nos damos mto bem, tem respeito demais as familias de ambos gostam um do outro enfim quase "perfeito" se nao fosse esse probleminha q anda acabando com a gente...queremos voltar e ficar juntos porem de repente vem esse medo de novo e nao decidimos. Estamos sofrendo com isso....o que nos aconselha??

obrigada

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi, tudo bem?
Minha mãe, que já faleceu, costumava me dizer que preocupação é pré ocupação, ocupar-se antecipadamente de algo que ainda não ocorreu e, talvez, nunca acontecerá.
Sábia a minha mãe!
Você está pré ocupada. Preocupada com algo que não aconteceu. Não está aproveitando o que existe realmente, que é o dia de HOJE.
O futuro é incerto. Não sabemos o que vai acontecer daqui a um segundo. Você está lendo este texto e, quando o terminar, tem 100% de certeza que estará vivo? Não, meu blog não é um filme de terror, mas qual é a certeza que temos do porvir?
Quem tem um amor HOJE tem que viver esse amor HOJE.
Se quer se casar, case-se AGORA. Se quer ser feliz, seja AGORA.
Terminar um relacionamento satisfatório porque está pensando no que poderá acontecer de negativo é sabotagem!
Se ele não tem os mesmos planos que você, aí sim, isso é outra história. Vale sentar, conversar, ser bem direta e perguntar: Daqui a tanto tempo ( o tanto tempo você pode estimar) vamos nos casar?
Se ele não pretende se casar e se você pretende se casar, eis o X da questão.
Porém, pessoalmente, fosse eu hoje uma moça com 29, 30 anos de idade, eu estaria fazendo planos diferentes. Eu estaria fazendo um curso novo, estaria ousando além do casamento. Porque já vivi o suficiente para saber que tudo isso é muito bom, mas muito incerto. Eu investiria em mim mesma. Viajaria, estudaria no exterior, faria algo pelo próximo ( um trabalho voluntário, algo pelos seres humanos, pelo meio ambiente, pelos animais). E hoje eu faço isso, viu?
Casar é lindo, mas quando existe TOTAL comunhão de ideias e intenções. Quando um dos dois tem dúvidas, ou não quer, pise no freio.
Vale continuar o namoro. Na boa, sem fazer planos contundentes, que causem abismos e divergências entre os dois. Se ele não quer se casar e você gosta dele, fique com ele. Mas, deixe pra lá isso de casamento. Ele é bem novinho. Ninguém com 20, 22 anos de idade, tem maturidade pra assumir serenamente um compromisso tão sério.
Por que não juntam dinheiro e vão viajar? Esse é o meu conselho, um conselho de alguém bem mais velha, mas que já passou por coisas que justificam essa sugestão, aqui oferecida com todo o carinho pra você, minha leitora anônima.
Tranquilize seu coração, viva o momento de agora, com toda a alegria e toda a serenidade possível. O dia de amanhã não nos pertence. O futuro é uma expectativa, só isso e nada mais.
Estou sempre aqui, à disposição para conversarmos mais.

Um beijo, viva o seu amor!

Cláudia

Anônimo disse...

Bom dia Claudia!

Mto obrigada pela atencao sou a moca de 29 quase 30 com o namorado de 21 quase 22 anos.....rsrsrs
Realmente concordo com vc q isso e uma preocupacao antecipada, e que nao sabemos nem o dia de amanha, o que dira daki um ano ou mais neh!! Rsrsrs
Estou pensando muito em deixar essa preocupacao de lado, e viver o hoje, e nao deixar de viver esse amor q é tao bom.
Mas sempre vem esses questionamentos a cabeca, sera q é a decisao errada a tomar? Sera q se se der td errado la na frente vou estar solteira com 34 ou 35 anos as coisas estarao mais dificeis pra mim? Arrumar outro relacionamento, familia a questao filhos nao vai ser mais dificil? Eu nao sairei perdendo se isso acontecer por conta da minha idade? Sao pensamentos que me assombram e assombram ele tb, pq ele gosta muito de mim e nao quer me prejudicar quer sempre o meu melhor. Ele diz que nao vai ser hipocrita e dizer q o pensamento dele nao pode mudar em relacao a idade pra ele se casar, que pode acontecer, mas isso nao e uma certeza. Emfim estamos bem perdidos, ele quer voltar e continuar pelo nosso amor e td que temos, mas tem esse medo de me "enrolar" ou "prejudicar" la na frente, e eu tb quero voltar e viver td o q temos, mas tb tenho medo desse futuro incerto de pensar q posso prejudicar ou prejudicar ele q quer trilhar muitas coisas ainda. Mas ai penso o que e certo ou errado? Eu tb tenho sonhos e tenho muito a fazer ainda me formando agora.m as tenho medo tb.
A duvida que nao sai da cabeca, e cruel isso....nos desgasta e doi.
O que acha?

Obrigada mais uma vez.

Grande abraco!

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia, moça de 29 e quase 30!
O amor é para quem é simples e corajoso. A simplicidade de viver o dia de hoje, sem muita estratégia. E a coragem de se responsabilizar por todo e qualquer resultado, bom ou não.
O que aconteceria se você tivesse medo de atravessar uma rua, mas precisasse chegar ao outro lado? O que você faria? Começaria a imaginar o próprio atropelamento, a dor das fraturas, a chegada do resgate, sua possível morte, o velório e... Nossa, a imaginação produz resultados inesperados, bons e maus. E você está fazendo isso mesmo, pensando no velório do seu relacionamento.
Não acha que é mais simples e corajoso amar sem esperar o fim do relacionamento? Atravessar essa rua e enfrentar esse medo?
E se o relacionamento terminar? Tudo na vida tem um ciclo. Nasce, vive e morre. Até nós mesmos! O relacionamento também: nasce, vive e morre. Vai enterrar esse relacionamento ainda vivo, é isso?

Enfrente a vida. Viva a sua vida HOJE. Sem ficar especulando o futuro. Se vão, ou não vão se casar, isso só o passar do tempo responderá.
Acho que você está sim supervalorizando a diferença de idade do casal. O que é preconceituoso e vindo de você mesma é venenoso ( sei que não age por mal, mas olha só o que está acontecendo agora!).

Pra quê tanto desgaste? Poderiam estar namorando, vivendo momentos bons, divertidos, românticos, gostosos. Mas, estão aí, pensando no E SE? E se... E se terminarmos? E se eu ficar velha pra casar? E se ... E se...

Que tal acabar com esse sofrimento sem razão, simplificar a vida e ter a coragem de viver o relacionamento como ele é?

Sua idade e fogo! Aos 29, 30 a gente tem a falsa impressão de estar velha. Vou te contar um segredo: tenho 55 anos de idade. Não espalhe... E sou uma garota, viu? Porque eu não me sinto velha, nunca vou me sentir velha. Tem velha de 30 e garota de 55. Tudo depende do jeito de enfrentar a vida, de se aceitar, de se amar.

Coragem aí! Beijos, vá namorar!

Cláudia

Anônimo disse...

Boa tarde Claudia!

Ja estou ate com vergonha de voce, deve estar pensando essa moca nao sabe o q quer da vida, meu Deus! Mas e q o dilema ta complicado de ser resolvido, novamente sou eu a moca dos 29 quase 30....rsrsrs
Bom eu amei td o q me escreveu me coloquei a pensar em.tudo e realmente eu concordo com voce. Resolvi mandar td o que conversamos para o meu namorado, pra ver o que ele achava, derepente ajuda e muito a clarear as ideias. Vai fazer tres semanas que estamos dando um tempo meio separados, mas conversamos todos os dias....e mto sobre o que resolveremos. Pois bem, mandei o que nos duas conversamos ele gostou tb e entendeu tudo, mas disse q ficou pensando nessa parte que vc escreveu: " Se ele nao tem os mesmos planos que voce, ai sim, isso e outra historia. Vale sentar, conversar, ser bem direta e perguntar: daqui a tanto tempo ( o tanto tempo voce pode estimar) vamos nos casar? Se ele nao pretende se casar e voce pretende, eis o X da questao."
Mas nao conseguimos nos resolver ele nao sabe se vai ou nao estar preparado, se vai ou nao querer, tem medo, eu tb tenho, nao sabemos se vale ou nao o risco , so temos duvidas em cima de duvidas :( nao conseguimos resolver o X da questao.
Enfim ta bem complicada essa questao.
O que acha?

Grande abraco!!

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!

Vocês dois não são mais crianças. São adultos. Ele é jovem, mas já é um homem e é adulto. Ele não sabe o que quer? Por acaso ele não tem ideia de que um relacionamento existe para haver cumplicidade, lealdade e que colocar barreiras equivale a destruir o amor?
Já que ele lê, porque você manda pra ele, então envie a pergunta. Não os conheço, mas chegaram até aqui e, portanto, estamos conversando sobre algo seríssimo.
O X da questão, ele não vai levar o relacionamento a sério, ou seja, viver o dia a dia com vista para um casamento no futuro?
É o mesmo que fazer faculdade e não querer o diploma. Que tirar passaporte e não viajar. Que planejar uma festa e não convidar ninguém. Enfim: pra quê namorar, se não quer se casar? Melhor, então, ficar avulso e sair pegando todos e todas. Sem dor de cabeça e sem compromisso. Esse é o X da questão. Não é mais um menino, já passou dos 20, é adulto e daqui a pouco ele é quem vai ter 29, quase 30.
Você está demais dependente do que ELE quer. Tem que ver o seu lado o que VOCÊ quer. Uma mulher da sua idade, jovem, mas adulta, não pode mais ficar nessa lenga-lenga toda.
A complicação foi criada por vocês dois. Algo bom, legal, simples e fizeram esse enrosco todo!
Pra você casar é essencial? E ele não quer se casar?
Então agora é com você. Vai ficar com ele? Ou ele vai mudar de ideia? Não poderei resolver por vocês. Os dois terão que conversar e resolver.
Se ele é assim tão novinho, quando ficar mais velho ficará pior, viu?
A não ser que ele mude de planos e resolva assumir o namoro e você pare com essa mania de se achar velha, porque não é.

Um beijo, boa sorte e espero que consigam uma solução que faça bem para os dois.

Cláudia

Anônimo disse...

Olá Cláudia!
Estou passando por um momento crítico em meu relacionamento...
Tenho 45 anos e ela 23 e lidamos super bem com a diferença de idade...eu quero muito construir uma vida com ela...desde o inicio do relacionamento fazemos planos para viver uma vida a dois...eu a amo muito e ela também me ama com certeza...mas um dia fiz a proposta séria a ela e ai depois de alguns dias ela me chegou dizendo que quer só namorar e que ainda não se sentia preparada para sair da casa dos pais e que pensa sim em morarmos juntos mas não agora porque primeiro quer se formar e ter um emprego fixo...só ressaltando que tenho meu emprego,minha casa,moro só...
Fiquei super triste...porque quero um futuro ao lado dela...
Até uns meses atrás ela não podia nem dormir fora de casa uma noite,mas agora ela ja vai pra minha casa e passa vários dias comigo...
Estou precisando de uma opinião ou conselho seu...

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Eu acho que quando alguém diz que não está preparado pra qualquer coisa, isso traz consigo sinceridade. Difícil admitirmos que não estamos preparados pra alguma coisa, não acha? Mas, ela admitiu.
Entendo que você ofereceu algo precioso e tinha a expectativa dela se sentir felicíssima com a possibilidade de ter uma proposta séria sua. Mas, ela admitiu que hoje ela quer estudar, quer trabalhar.
Entendo que você tem seu emprego. Mas,veja bem o pronome: seu! É seu o emprego. Tente, por favor, se colocar no lugar da moça. Já imaginou você não trabalhar e depender financeiramente de alguém? Eu, pessoalmente, acharia isso um pesadelo. Não seria bom, nem pra você e nem pra ela essa dependência. Já ouviu falar que gente feliz não amola a gente? Pois é! Nada como ter sua vida pessoal, algo individual e satisfatório. Casamento, união feliz, é feita por duas pessoas livres, realizadas com a própria vida e um não se escora no outro, em sentido nenhum. Você gostaria de tê-la escorada em você? Pense!
Mora só. Ok. Mora só, mas não é sozinho, não está só! Morar só tem um lado muito bom. Já tem 45 anos, pense nas coisas positivas de morar sozinho. Privacidade, poder ficar quieto sem ter que conversar quando não está a fim, poder dormir no sofá, no quarto bagunçado, ou deixar a louça pra lavar amanhã. Sem crise... E esses são pálidos exemplos do quanto pode ser bom morar só.
Não fique triste, a não ser que ela tenha sido grosseira, ou que você tenha compreendido que ela não quer mais continuar o relacionamento!
Aproveite essa fase gostosa do namoro. Os dois juntinhos de vez em quando, cada um na sua casa. Aproveite bastante. Você ainda é jovem, tem tempo para deixar o barco correr e, um dia, quem sabe o relacionamento evolua para um casamento? Hoje ela admite que não está preparada, merece todo o respeito.
Estou aqui para continuarmos a conversa, se você assim quiser.
Um abraço,

Cláudia

Anônimo disse...

oiiii, que bom que encontrei seu blog, gostei muito.
Meu caso é um pouco complexo.. eu namoro a 5 meses, e meu namorado quer casar comigo, só que eu ainda estou na faculdade, e pretendemos nos casar quando eu terminar ( 2 anos e meio), até ai tudo bem, o problema é que ele nao quer casar na igreja, diz que tem muitos gastos, e que a família dele mora longe ( em outro estado) e por isso seria melhor casarmos somente no civil.. mas poxa, isso é um sonho de toda mulher... quando um homem ama uma mulher ele realiza os desejos dela,, certo?.. mas tudo isso me leva a pensar, será que ele realmente me ama :(
Pq problemas financeiros ele nao tem, já é formado e é funcionario publico federal, so eu que sou mais pobre mas posso juntar dinheiro e fazer um casamento na igreja, sem festa.. pelo menos isso eu queria.. eu nao sei se tento compreender ele ou nao.. o que vc acha dessa situação? obrigada, fique com Deus,..

Anônimo disse...

Oi Cláudia vi e amei seu comentário...
Jamais quero ela ao meu lado se sentido constrangida seriamos infelizes com certeza...o dificil é encarar que não fazemos parte das prioridades do amor de sua vida nesse momento...ainda estou um tanto triste e chateado...mas estou tentando entendê-la porque apesar de não ter aceitado minha proposta em nenhum momento quiz terminar o namoro,pelo contrário disse que queria ficar comigo,que me ama e não quer me deixar...
Ela é especial sim e a admiro por ter sido sincera...

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Obrigada pelo retorno, pra mim é uma satisfação enorme saber que o comentário por mim respondido foi lido e bem aceito pelo leitor.
Sobre a história de vocês dois, tenha paciência. Muita! Paciência com ela e paciência com esse machucado que se abriu no seu coração. Tudo isso vai passar!
Relacionar-se com alguém exige isso mesmo: paciência, tolerância e uma dose extra de compreensão 24 horas por dia, todos os dias, sempre.
Talvez, o amor de sua vida não o tenha colocado de lado, nem deixado de tê-lo como prioridade. Ela está cuidando do futuro, algo justo quando se tem 23 anos de idade. Está demonstrando responsabilidade!
Acho que você a conheceu um pouco mais. Relacionar-se também é desiludir-se, vez ou outra. Temos a mania de idealizar o ser amado, ao nosso modo, atendendo aos nossos anseios. Mas, cada um, com uma identidade só dela.
Tire proveito disso tudo, aproveite que mora sozinho e curta isso! Se você apoiá-la, a chance de ser feliz ao lado dela e, quem sabe, casar-se com ela, se multiplicará!
Um abraço, estou sempre por aqui. Boa sorte, viu?

Cláudia

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, você que quer se casar na igreja, mas o namorado não quer!
Acho que se você conversar com ele com mais calma e explicar que, pra você, é fundamental a cerimônia religiosa e tradicional, ele entenderá.
Não acho que um homem tem que realizar todos os desejos de uma mulher, ou vice-versa. Ninguém é o gênio da lâmpada, ou a fada madrinha. Mas, é preciso compreender, aceitar, respeitar a vontade um do outro, tudo pelo bem do casal e do relacionamento.
Converse com ele com clareza, não desista de seu sonho, isso não seria justo com você. Como eu disse: se você ficar firme na decisão, ele terá que repensar a ideia.
Boa sorte, volte sempre aqui!

Cláudia

Anonima disse...

Poxa Claudia, foi tão bom sentir que essa situação não é exclusivamente uma questão minha ou do meu relacionamento.. Namoro ha 4 anos, tenho 27 anos e ele 31, ambos estáveis financeiramente (dentro do possível nessa crise econômica). Eu moro com meus país e ele com os avós. Por não me ver nos planos de vida dele a médio prazo, rompemos nosso relacionamento por um tempo. Após muitas conversas e ele se manifestar e me incluir em seus planos, voltamos o nosso namoro há 2 meses. Ontem tentei introduzir o assunto de planos e projetos de vida com ele, e o que escutei foi o mesmo que me fez romper o namoro há tempos atrás: "quero morar sozinho por um tempo... Casamento talvez daqui há uns 5 anos, quem sabe...."
Sabe, ele tem todo o direito de morar sozinho, de ter as experiências dele.. Mas depois de tantos anos juntos e tantas conversas, me ver sozinha fazendo planos para um "nós" e ele focado apenas no "eu", sem menor perspectiva de compartilhar seu espaço.. Me magoou novamente.

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia!
Casamento é união de almas, esforços, planos. E é feito no dia a dia, enfrentando tudo de difícil e compartilhando alegrias e tristezas. Às vezes, aqui, eu tenho vontade de publicar algo sobre isso: apenas se case com alguém que cuidaria de você em uma situação muito adversa, algo do tipo guerra ou doença. Afinal,casamento é pra isso mesmo!
Você fez o certo. Nem sempre o que é certo é reconfortante, nem sempre o que é certo é fácil de se fazer. Mas, afastou-se dele quando o viu voltado apenas para si, para seus anseios, deixando de lado o relacionamento e te deixando de lado também. Se ele quer fazer voo solo, que faça e voe pra longe, deixe-a livre para encontrar alguém que divida a vida, divida os sonhos, as forças e o coração com você.
Vocês dois voltaram. Tenho um irmão que diz algo interessante: o mar mareia, o vento venteia ... Acho que podemos completar com algo mais ou menos assim: o egoísta egosteia.
Ele é egoísta. Estar com você nos momentos presentes é muito legal, mas não quer casar, nem quer fazer planos. E deve se sentir "pressionado" quando você toca no assunto.
Não, não vou mesmo te sugerir que mande seu namorado voar solo, mas deixei aqui a minha opinião. Você merece um homem de verdade. Ele é um homem assim?

Beijo, volte mais vezes, sempre respondo os comentários dos leitores. Tem mais de 600 textos de minha autoria aqui no blog.

Cláudia

Anônimo disse...

Olá Cláudia. Costumo sempre a vim por aqui,mas nunca comentei nada. Apenas leio os comentários e suas respostas. Mas hoje estou a precisar de uma palavra amiga, se puderes me ajudar ficarei muito agradecida. Sou divorciada a 6 anos e tenho 2 filhas ja crescidas .tenho 36 anos.Recentemente mudei para outro país. Conheci uma pessoa que tem a minha idade e nos envolvemos porem ele solteiro e sem filhos. Nos damos muito bem. Apaixonei me por ele perdidamente, nao sei se por estar carente, ou tanto tempo sozinha ou se por ele ser uma excelente pessoa e também muito carinhoso.tudo ia maravilhosamente bem. Até que há uns dias atrás comentei com ele que o meu tempo de ficar no país estava vencendo. Ele disse o que precisa pra não ires embora eu te ajudo. Eu disse a única coisa que podias fazer para me ajudar seria casar se comigo. Eu toda empolgada como besta que sou pensei que ele ia aceitar e a situação estava resolvida. Porém ele disse nao tenho planos de casar e nunca de ter filhos. Não me peças para fazer algo tão grande a esse ponto porque não estou preparado.. enfim aquilo me destroçou por dentro terminei a relação com ele faz 15 dias . Mas o amo e sei que ele gosta muito de mim. Namoramos apenas 6 meses mas foram muito intensos. . As pessoas próximas estão sempre a me dizer que sou egoísta que só pensei em mim. Que temos pouco tempo de namoro. Mas eu penso se ele realmente me amasse como eu o amo Faria isso para me ajudar.. o que você me diz? Por favor me ajuda..

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Li, reli e pensei um bom tempo aqui, antes de começar a escrever uma resposta para você.
Há uma pergunta que preciso lhe fazer: onde estão suas filhas? Você tem 36 anos de idade. Qual a idade delas, que você disse que são "já crescidas". Elas estão com você?
Isso é muito importante, porque muito mais do que um coração partido por um romance findo, por uma decepção amorosa, há a questão de suas filhas. E, se quiser, poderá voltar a escrever pra mim e falaremos mais sobre isso.

Sobre o namoro com o estrangeiro que não quer se casar com você. Entendo que é muito duro compreender que alguém não corresponde às nossas expectativas. Que estar apaixonada e não ter a correspondência amorosa da pessoa é triste, frustrante, difícil, doloroso. Mas, ninguém é obrigado a se casar com a gente, assim como nós não somos obrigados a casar com ninguém. E, quer saber? Ainda bem! Porque a paixão é muito frágil e passageira, apesar de, muitas vezes, ter um efeito violento e devastador na vida de algumas pessoas. A paixão, de vez em quando, se sobrepõe aos sentidos, à razão, ao bom senso. E nos tira do nosso caminho, nos afasta daquilo o que é mais importante, o que é mais precioso e do que vai durar pra sempre em nossas vidas.
Não, ele não te ama. E você, um dia, perceberá que sim, estava carente, que se jogou nos braços de alguém que não tinha a menor condição de viver uma vida legal, feliz com você.
Se seu tempo nesse país está se esgotando, talvez agora seja o momento de você usar sua energia para resolver isso, de um modo racional e simples. Voltar ao seu país. Ou, se tiver condições que estejam de acordo com as normas desse país ( visto de permanência), seguir seu caminho sem o tal do estrangeiro, que parece não ter os mesmos objetivos que você.
Paixão é algo forte, tão forte quanto o ódio. O que vale nesta vida é o AMOR, que é a mais bela e potente energia que existe. Amor, como o puro e insuperável amor entre pais e filhos.
Volto a te perguntar: e suas filhas? Porque filhos, podem crescer, mas não se tornam crescidos jamais. Sempre precisam de nós e seguem nossos exemplos. Filho é tudo na vida da gente!

Siga em frente sem ele. Sem essa paixão. Isso já te causou uma decepção, se você insistir, poderá acontecer uma tristeza ainda maior.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Ola Cláudia muito obrigada por responder. As minhas filhas estão comigo . Na verdade so mudei de país porque elas quiseram vim estudar fora. Ambas fizeram 18 anos. Mas ainda vivem comigo. Na verdade sua resposta so me deu mais certeza que fiz a coisa certa em terminar essa relação. No momento ainda estou a sofrer muito por isso porque entrei de corpo e alma nesse relacionamento. Ele frequentava minha casa convivia com minha família . Mas nunca me convidou a frequentar a casa da família dele. Nunca me apresentou para eles. Ele ainda me manda mensagens a dizer que sente minha falta e tudo mais. Mas agora começo a entender que apenas eeu que dei tudo nessa relação e ele nada.Tentarei resolver as coisas sem ajuda dele. E prefiro seguir minha vida e esquece lo de vez. Mais uma vez muito obrigada. Bjs

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi, bom dia.
Você é muito jovem. 36 anos é uma idade que te permite ainda começar tudo de novo, seja um novo casamento, uma nova profissão. Mas, você está sim carente e isso é muito perigoso.
Ser seletiva, escolher suas companhias com severidade, isso seria um bom exemplo para suas filhas. Elas são muito meninas ainda, 18 anos é muito pouca idade. E ser seletiva, principalmente ao permitir que alguém estranho se aproxime de sua casa, sua família. Seis meses é pouco tempo de relacionamento, é impossível conhecer bem alguém em tão pouco tempo.
Você está em um país estranho, fora de casa. Minha sugestão é: esqueça a opção "casamento" como forma de preencher sua carência. Nesse buraco que está a vida, coloque o amor pela família, uma carreira, investimento em si mesma, seja espiritual, profissional, amigos fraternos. Não permita que seu coração a traia dessa forma. E, repito: proteja sua cria, suas filhas. Não permita novamente que um estranho entre assim na sua vida e se aproxime das meninas.
Filmes, livros, estórias de amor são coisas fictícias. Amor de verdade a gente encontra em braços, palavras e gestos de pessoas que nos amam verdadeiramente. Pais, irmãos, amigos, filhos. Não espere isso de um homem em um país estranho.

Um beijo, volte quando quiser conversar.

Cláudia

Anônimo disse...

As pessoas precisam parar de achar que casar é a solução para os problemas, se o namoro vai bem, fortifique-o, estou passando por situação parecida, ela me pressiona demais para casar, mas vivemos brigando (ela é muito amarga), eu a amo, tem um filho pequeno de outro casamento, cuido como se fosse meu, mas numa brica feia que tivemos a primeira coisa que me jogou na cara foi, ele não é seu filho, reatamos agora, tratando com amor, ela agora pede a criança de me chamar pelo nome, eu antes era o papai (nome), me sinto dimiuído, quero fortalecer o relacionamento, mas 2 dias após reatar me intimou, e agora, responde, vamos? Eu estou em silêncio, amo-os, mas não sei se vai dar certo, quero ver se ficaremos sem brigas, casar pra ficar brigando, pra separar? Não quero assim, acho que esse é o nosso fim... Para as pessoas que querem largas o campanheiro que os ama por esse motivo um conselho, vá fortificando, deixando o relacionamento mais forte, se tiver que ser será, não pressione, machuca, uma hora cansa, e o relacionamento acaba...

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Realmente, o que tiver que ser, será! Está certo em não aceitar ser pressionado e compreendo sua decepção. Aliás, da parte dela falta respeito à criança, imagino a confusão na cabecinha do pequeno. Filho é sagrado.
Brigas não combinam com felicidade e, sim, se há brigas agora tudo certamente vai piorar durante um casamento.
Mas, há situaçòes diferentes da sua e, algumas vezes, o homem despreza o amor da mulher e se nega a deixar o relacionamento fluir para o casamento. E é comum isso.
Uma pena, parece que tanta liberdade e modernidade não ajuda alguns casais a ser felizes. Falta amor, sem o qual o relacionamento afunda em problemas e ressentimentos.
Espero que vocês dois encontrem uma solução e sejam felizes. Juntos, ou
Um abraço.

Cláudia


Anônimo disse...

chorei tanto lendo esse post,moro com um homem a 5 anos e já faz 9 que estamos juntos e o meu sonho sempre foi ver ele me esperando no altar,ter filhos,mas ele me disse que não quer casar e que todo ano adia mais 3 anos para ter um filho comigo.ele disse que não sabe dizer que me ama e que eu me chama de desesperada toda vez que digo que quero casar.Estavamos marcando de ir jantar com minha família no dia do meu aniversario e ele disse que se alguém tocasse no assunto casamento tava tudo acabado.Eu sei que ele não me ama,mais n consigo me separar,nem eu sei o que estou esperando dele..nossos sonhos são ao diferentes.Ele não quer nada comigo,nem casar e nem ter filhos,diz que não dar para ter filhos agora por causa da crise no pais.Tudo desculpas.

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Não chore! Se você sabe que ele não te ama, então você está enxergando
o que é mais difícil de ser visto e compreendido: o amor acabou.
Acho que tanto sofrimento: o seu, o de tantas pessoas, acontece porque
atribuem ao amor romântico uma característica que ele não possui: eternidade.
O amor romântico nasce, vive e um dia morre. Pode morrer e se transformar em
amizade. O que são, afinal, os casais unidos há muitos anos? Eu sei: amigos ou inimigos!
Entendo que é duro tomar decisões, romper um relacionamento antigo. Mas,
você está sofrendo e merece ser feliz!
Coragem! Não aceite migalhas! Lute pela sua felicidade. Com ele, ou sem ele.
Volte aqui pra gente conversar mais um pouco.
Beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

bom dia.
confesso que não li todos os comentários,
mas também estou a passar por uma situação semelhante.
namorei 4 anos, sendo que moramos juntos 3 anos. eu sempre falei em querer casar e ele em não querer casar. eu cedi no católico para o civil e ele disse que so queria casar comigo depois de eu engravidar.
davamo nos muito bem, não tenho mais nada a apontar a não ser esta proposta que achei indecente, e não aceitei. separamo nos há 15 dias e foi definitivo é o que sinto e o que dizemos. ele é teimoso leva sempre as dele para a frente. mas senti que posso ter perdido o amor da minha vida apenas por esta discrepância que fez toda a diferença. e havia amor, se dizem que quem ama cede porque ocorreu assim?

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia!

É doloroso terminar um relacionamento. E esse tema, a divergência de intenções do casal sobre o futuro, sobre o casamento, é especialmente doloroso.
Não se culpe, não faça isso. É recente a separação e, sei disso, neste momento você está se sentindo muito, muito triste!
Ele não quis se casar, aliás você cedeu e deixou de lado seu sonho de se casar na igreja. Aceitou casar-se somente no civil. O que me deixou impressionada foi a proposta que ele te fez, de você primeiro engravidar, para depois vocês dois se casarem. Isso é mesmo absurdo e você considerou indecente. Com toda razão!
Não vejo a menor chance de um relacionamento ser feliz quando as concessões, o ato de ceder, mutila um dos dois. Destruir sonhos, desejos, embarcar na vontade alheia, isso não é ceder, é arrancar pedaços do próprio coração para satisfazer as vontades de alguém egoísta.
Isso aconteceu porque amor não é o suficiente. É preciso haver a mesma vontade, sonhar os mesmos sonhos, desejar a mesma coisa.
Sinto muito por você! Mas, acho que fez bem ao terminar o relacionamento diante de uma proposta absurda de você primeiro engravidar, para que ele depois aceitasse formalizar a união com um casamento. Creio, ele não se casaria com você nem assim. E, não posso deixar de dizer que filho é sagrado, não é moeda de troca em um relacionamento. Já pensou você sozinha e com um filho nos braços?
Força, uma porta se fecha e muitas outras portas se abrem na vida da gente. Tente se fortalecer, investir em si mesma, cuide bem de seus afazeres, volte-se para amigos, família, estudos, trabalho. Esse é um momento que requer todo o carinho consigo mesma. E você, com certeza, vai superar este momento tão difícil.
Um beijo, estou aqui para conversarmos mais, se você assim desejar.

Cláudia

MARIA NA DÚVIDA disse...

OLÁ DEPOIS DE PROCURAR NA NET ALGUEM COM CASO PARECIDO AO MEU, ENCONTREI ESSA PÁGINA QUE ME INTERESSOU MUITO. EU TENHO 29 ANOS E MEU NAMORADO TEM 30. ESTAMOS JUNTOS HÁ 6 ANOS E SEM NENHUMA PERSPECTIVA DE QUANDO IREMOS NOS CASAR. ELE DEMOSNTRA INTERESSE MAS TEM UMA AVÓ COM PROBLEMAS DE SAÚDE E QUE ELE ACOMPANHA TODAS AS NOITES, HÁ UNS 2 ANOS A IRMA PASSOU A MORAR COM ELE E A MAE, SENDO QUE TEM 2 SOBRINHAS MENORES DE 5 ANOS QUE ELE ESTA CRIANDO COMO FILHA. O FATO É QUE, EMBORA SEJAMOS JOVENS, SEMPRE TIVEMOS UMA VIDA CHEIA DE RESONSABILDADES, EU PERDI MEUS PAIS CEDO E HÁ UNS 10 ANOS MORO SOZINHA. SINTO MUITA NECESSIDADE DE CONSTITUIR MINHA FAMÍLIA, MAS MEU NAMORADO NAO QUER LARGAR A DELE DE JEITO NENHUM. MUUITAS VEZES PENSO EM TERMINAR. TENHO MEDO DE PRESSIONA-LO A AGILIZAR O CASAMENTO E A VÓ FALECER QUANDO ELE SAIR DE CASA. O QUE FAÇO?

MARIA NA DÚVIDA disse...

AH!! ELE PAGA ESCOLA AS SOBRINHAS E SO ANDA APERTADO FINANCEIRAMENTE, AO MEU VER, ELE DEVERIA PENSAR NA VIDA DELE TAMBÉM. DESSE JEITO ELE NUNCA TERÁ UM FILHO, SO SE DEDICANDO AS SOBRINHAS.

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi, Maria na dúvida!

Compreendo que você tem um desejo urgente, quer se casar. Mas, ele cuida da família dele.
Se eu puder te dar um conselho muito importante, ele será o seguinte: não o pressione, em hipótese alguma.
Sobre ele cuidar das sobrinhas, como se fossem filhas dele. Que tio maravilhoso, que filho maravilhoso, que irmão maravilhoso, que neto maravilhoso. Provavelmente, ele é um ser humano maravilhoso.
Porém, ele não tem hoje a disponibilidade que você busca e ouso dizer mais: você teria que embarcar nessa, que assumir essa família como se fosse a sua, isso se você casasse agora com ele.
Não irá afastá-lo da família, essa é uma tentativa inútil e, desculpe, mas seria abominável.
Ele pensa na vida dele, sim. A vida dele é essa família!
Sim, a vovó poderá até morrer se ele sair de casa. Espero, sinceramente, que você não seja a causa de uma saída dele!
Você também tem responsabilidades, deve de algum modo compreender a postura dele.
Talvez, ele não seja "pra casar"! Pela vida dele, pelas escolhas dele.
Senti uma pontinha de mágoa ao ler que as sobrinhas podem ser motivo pra ele nunca ter filhos. Será mesmo? Acho que ele vai sim se casar um dia e ter filhos, mas com quem o compreenda e apoie.
Não coloque sua vontade à frente de tudo. Casamento é divisão. E aquela coisa de na saúde, ou na doença, que o padre diz, isso vale para as respectivas famílias.
Nem tudo na vida é como gostaríamos que fosse.
Se o que você sente por ele é amor, tente entender o que ele está fazendo. Pode desistir de se casar com ele, mas nunca conseguirá fazê-lo mudar quanto ao que faz agora pela família. Se você fizer algo nesse sentido, destruirá o seu relacionamento.
Eu, no seu lugar, daria muito tempo ao tempo antes de tomar qualquer atitude decisiva.

Boa sorte,

Cláudia

Anônimo disse...

Ola

MARIA NA DÚVIDA disse...

Cláudia, muito obrigada pela orientação. O meu maior problema é justamente por o amar muito e ver que pelo menos nos próximos 10 anos ele não terá tempo pra gente, e como disse, eu sou sozinha, meus pais sao falecidos e tenho a necessidade de constituir a minha família. é uma situação muito delicada. Que ele é um ser humano sensacional eu nao tenho dúvida, mas so pra vc ter nocao, namoramos ha 6 anos e nunca viajamos pra dormir fora pq ele é o tempo todo com a familia na cabeça, acho que tudo tem que ter uma ponderação. Muito obrigada por dar atenção e responder. Abrraços

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi, Maria!
Entendo que você gostaria muito de viver um relacionamento sem tantos obstáculos, uma vidinha mais simples, quem sabe comum. Mas, ele cumpre esse papel de cuidar da família dele. Aliás, como não admirar alguém que faz aquilo o que todo mundo deveria fazer? Já imaginou um mundo melhor, um cuidando com todo o amor do outro?
Vocês namoram faz 6 anos. Bastante tempo. Ele desde o princípio cuida da família dele.
Quer de novo um conselho? Se não consegue viver com essa limitação de desejos simples, como viajar, dormir fora, reflita cuidadosamente se quer continuar no relacionamento com ele.
Entenda uma coisa, ele não vai mudar isso pra estar com você. Ou você embarca nessa situação e aceita as coisas como estão, ou se torna amiga apenas e segue sua própria vida.
Eu sei que gostaria que fosse diferente, mas a vida é assim. E, apesar de entender muito bem o quanto te causa tristeza esse problema, eu fico contente de saber que neste mundo ainda existe alguém que cuida da própria família, abrindo mão de si e de seus próprios anseios. Eu mesma fui assim com minha mãe, com outras pessoas próximas de mim. Pra você ter uma ideia, às vezes encontro pessoas que passaram esses anos todos viajando, indo a eventos diversos e eu lá, dentro de casa, cuidando de pessoas que necessitavam não apenas do meu cuidado e dinheiro, mas de mim, do meu coração. Não me arrependo, ao contrário, agradeço hoje por ter vivido essa parte da minha história e ter engrandecido meu coração, aprendido o sentido do que é ter amor ao próximo. Portanto, seja como for, ele está vivendo o que cabe a ele viver. Se pra você é difícil hoje, enquanto são namorados, enfrentar essa barra que é ele se voltar pra família e não te encaixar em planos que deveriam naturalmente acontecer entre vocês dois, imagine se vocês dois se casarem e tiverem filhos?
Pense bastante. Você é jovem, tem sim uma vida longa pela frente. Talvez, seja o momento de decidir se quer viver essa vida de agora por muitos anos, ou se pra você esse modo de vida não serve.
Lembre-se: ele não vai desistir de nada disso por você. Pior, se ele fizer isso, tudo um dia se voltará contra você.

Abraço, boa sorte e estou sempre aqui para conversarmos.

Cláudia

MARIA NA DÚVIDA disse...

Obrigada pelo conselho!!!!Abracos!

Anônimo disse...

Oi,bom noite.
amei muito seu post.
pois vivo a mesma coisa,estou há 3 anos e 9 meses com meu namoraso e 1 ano e 3 meses morando com ele,ele ao menos se quer toca no assunto. e quando vou querer falar sobre 'casamento' ele fica surpe chateado e diz que está inseguro.eu realmente nao entendo o porque disso,cuido muito bem dele e o respeito muito. oque eu faço?

Cláudia Cavalcanti disse...

Boa noite!
Talvez o X da questão seja descobrir por que ele está se sentindo inseguro. E isso depende de jeito, de amizade, de carinho, de muito cuidado quando tocar no assunto, afinal é um sentimento que envolve a vida de vocês dois, não apenas a vida dele.
Por que ele fica chateado? Como são essas conversas de vocês dois?
Vocês resolveram morar juntos. Conversaram antes sobre o que esperavam dessa fase? Alguma vez, antes de habitarem o mesmo espaço, falaram sobre um dia se casarem?
Eu acho que se ele está inseguro, o que virá daqui pra frente vai depender de vocês dois darem um tempo nessa ideia de casamento. Sei que é ideia sua, não dele. Mas o que você trouxe aqui foi a insegurança dele e o fato dele ficar chateado.
Não force, não puxe, não empurre, não destrua a chance de tentar compreender o ponto de vista dele, sem tentar colocar à frente de algo sério, como o fato dele não estar confortável com a ideia de se casar agora, a sua própria vontade.
Relacionar-se é ceder. Relacionar-se é dividir dúvidas, medos, expectativas, sonhos, alegrias, tristezas. Relacionar-se é ser tolerante. Relacionar-se é enfrentar adversidades muitas. Às, vezes, relacionar-se é saber compreender, saber esperar.
Se você gosta dele, pense nisso.
Um beijo e volte a falar comigo quando quiser.

Cláudia

Anônimo disse...

Boa tarde. Quero me separar do meu marido ele me trata mau e ninguem me ajuda por que ele finge que me ama. Não casei no papel e tenho medo de me separar e ir morar na rua me ajude

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Seu relato é um dos mais graves que recebi nesta postagem. Disse, em poucas palavras, que enfrenta o medo que sente de seu marido.
Você, por lei, tem direitos, ainda que não sejam casados no civil ( no cartório, ou no papel). União estável é uma relação amparada por lei e que "dá direitos" iguais ao casamento. Por exemplo, você tem medo de sair de casa e ir morar na rua. Não se preocupe, não acontecerá isso. Fique calma, não se desespere!
Disse que ele finge que te ama. É possível alguém fingir amor? Finge por que?
Sobre ele te maltratar, isso é horrível! Seja fisicamente, ou emocionalmente, sofrer esse tipo de violência é algo que é crime! Já ouviu falar da Lei Maria da Penha?
Ninguém te ajuda? Quem são essas pessoas? Parentes seus? Amigos?
Minha sugestão é que você procure um advogado. Se não tiver dinheiro para pagar os honorários desse advogado, na sua cidade deve existir uma universidade, igreja, uma delegacia de polícia, um fórum. Algum desses lugares, seguramente, te indicará um advogado gratuito, para que você procure judicialmente fazer valer seus direitos.
Evite confrontos verbais, brigar com ele. Se ele causa medo em você, certamente ele é agressivo. Procure o advogado e volte aqui para falar mais, se quiser, se precisar.
Boa sorte, um beijo.

Cláudia

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Seu relato é um dos mais graves que recebi nesta postagem. Disse, em poucas palavras, que enfrenta o medo que sente de seu marido.
Você, por lei, tem direitos, ainda que não sejam casados no civil ( no cartório, ou no papel). União estável é uma relação amparada por lei e que "dá direitos" iguais ao casamento. Por exemplo, você tem medo de sair de casa e ir morar na rua. Não se preocupe, não acontecerá isso. Fique calma, não se desespere!
Disse que ele finge que te ama. É possível alguém fingir amor? Finge por que?
Sobre ele te maltratar, isso é horrível! Seja fisicamente, ou emocionalmente, sofrer esse tipo de violência é algo que é crime! Já ouviu falar da Lei Maria da Penha?
Ninguém te ajuda? Quem são essas pessoas? Parentes seus? Amigos?
Minha sugestão é que você procure um advogado. Se não tiver dinheiro para pagar os honorários desse advogado, na sua cidade deve existir uma universidade, igreja, uma delegacia de polícia, um fórum. Algum desses lugares, seguramente, te indicará um advogado gratuito, para que você procure judicialmente fazer valer seus direitos.
Evite confrontos verbais, brigar com ele. Se ele causa medo em você, certamente ele é agressivo. Procure o advogado e volte aqui para falar mais, se quiser, se precisar.
Boa sorte, um beijo.

Cláudia

Anônimo disse...

Ola meninas,sei que sou mega jovem, tenho 20. Porém quero compartilhar com vocês e até mesmo pedir uma certa ajudinha.
Namoro a 8 meses com um homem de 32, antes de começar o namoro ele me contou que iria ter um filho da ex (ela estava grávida de 6 meses ja). Achei bacana sua atitude de me contar logo a verdade, desde então antes dele poder ver o filho porque ela não deixava até mesmo depois do filho ter nascido. Nós fazíamos planos de casamento ja tínhamos até visto algumas casas pra que possamos comprar pra morar juntos estava tudo maravilhosamente bem. Sempre fazíamos esses planos e sempre colocávamos o filho dele nos nossos sonhos e vontade.
Quando ele conseguiu por justiça ver o filho dele, simplesmente tudo isso acabou, ele nem comenta no assunto de casamento, agora tudo é questão de casa dele, carro dele, bem individual. Eu continuo tendo o mesmo sonho, de casar e conseguir tudo juntos, porem é algo que me machuca muito, eu fico sonhando sozinha e isso dói. Ele diz que se um dia a gente terminar ele jamais voltaria com a mãe do filho dele, eu tenho tanto medo de levar esse relacionamento mais a fundo e me machucar. Alguém poderia me dar algum conselho? Talvez eu tenha esse medo por ser tão jovem, e porque desde o começo imaginava uma coisa e estou vivenciando outra. Obrigado desde ja!

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
A vida, às vezes, nos coloca em situações que bem podem nos fazer pensar melhor e rever nossas escolhas. Você leu os comentários desta publicação? A maioria das pessoas sofre muito, porque mora com alguém e o casamento deixou de ser um plano, passou a ser um sonho irrealizado. Vocês dois iam morar juntos sem casamento, não é?
Será que a vida está te dando a oportunidade de refletir, se realmente quer arriscar a possibilidade de ir morar junto e, talvez, ele nunca se casar formalmente com você?
Sobre o problema dele, a separação da ex e o filho recém-nascido. É uma situação que, pra ele, deve ser muito delicada e muito difícil. Ter filhos muda muito a cabeça da gente, demais! Filho nos torna responsáveis por outro alguém, mexe profundamente com nossos sentimentos, pensamentos, atitudes. Pode ser que ele precise de tempo, para se aprumar novamente, para voltar a fazer planos de felicidade. Isso não significa, necessariamente, que ele esteja interessado na ex-mulher.
Aproveite esse intervalo, a fase atual, para pensar melhor no que você decidiu. Morar junto, ele com um filho pequeno e prováveis problemas com ex, algo que envolverá uma criança que é dele.
Você é muito jovem, tem toda a vida pela frente. Estou aqui para conversar mais, se assim quiser.
Um beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

Olá,namoro há 9 anos ao todo noivados há 3 anos...tenho 22 anos ele 23...Temos empregos vida estabilizada ,casa já levantada apenas faltando finalizações e o meu noivo não fala em casar parou a casa na etapa que está tem material pra terminar porém ele não liga mas...pergunto uma data melhor para o casamento já que a casa esta na etapa final e ele nunca responde minhas perguntas viver nessa já se tornou esgotante para mim...nunca dormimos juntos em 9 anos de relacionamento por escolha nossa...o sonho era nossa casa acredito que hj pra ele não é mais.
Acabei o relacionamento há 9 dias ele me mandou 1 mensagem dizendo que nem casou e nem pretende casar.
Não vi motivos pra continuar ...sempre tento conversar mas é como falar com a parede não escuto uma palavra dele sequer.
Tô triste foram muitos anos mas bola pra frente.

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Imagino a sua tristeza.
Fiz as contas e, de acorfo com a idade que você informou e o tempo de relaciomento, vocês estão juntos desde a adolescência. Uma vida quase toda!
Converse com ele. Espere um tempo, se for preciso. E use esse tempo para fazer um balanço dos seus sentimentos.
Por mais que seja difícil enfrentar esse problema atual, você tem força e determinação, apreciei isso em suas palavras. Deixe a poeira descer e tenha uma conversa que afaste dúvidas e um possível remorso de ambas as partes no futuro.
Volte a falar comigo!
Beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

Gostei mt do comentario de todas.o meu quer ter. Mais Filho mais nao quer casar.pq ja foi casador.e ja estamos juntos a 11anos.preciso de um solucao.pq decidimos em gravida agora. Em dezembro 2016.tou em segura tenho 31,ele 41

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

A solução somente vocês dois poderão encontrar. O que eu acho é que você deve estar insegura quanto a ter um filho com ele, sendo que ele não quer se casar, mas já foi casado anteriormente. O passado é dele, não é seu. Será justo com você ele agir dessa forma? Será feliz ao lado dele, ou depois da chegada dessa criança vocês dois terão problemas no relacionamento, já que ele não quis se casar?
Tudo isso tem que ser muito bem pensado e muito conversado. Porque filho é sagrado e merece um lar feliz, equilibrado, amoroso e seguro. Estão prontos para terem esse filho, mesmo se ele não quiser se casar com você?
Pergunte a si mesma tudo isso, pense muito. Depois converse com ele.
Boa sorte e volte aqui sempre que quiser.
Beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

Oi Cláudia, não sei lembra do meu caso. Postei como MARIA NA DÚVIDA, sobe o namorado que cuida da família. Postagem de 22/08, passei aqui hj pra reler seu comentário, por mais que me faça sofrer, vc esta certa. Não posso obrigá-lo a deixar d cuidar da família mas tb nao to disposta a dividir o tempo todo, pode paraecer egoísmo, eu não sei. Mas hj por exemplo passei o dia mal pq ele nao pôde me ver, nao me sinto muito bem na casa dele pq a educacao de lá é muto diferente da minha. Passei esses anoos todos ao lado dele, sem sair, so vivendo em casa com ele e a familia mas agora nao aguento mais. Ele tem ate vindo na minha casa, mas nossas vidas sao muito diferentes mesmo. Agora assim, o que eu discordo no fato dele abir mao da vida dle é porque a avo nao tem so ele, moram todos na mesma casa, minha sogra, a avo, a cunhada e ele tem q ta la o tempo todo? enquanto eu fico sozinha? Como disse a ele, se ele morasse sozinho com a avo eu ate morava com ele, ajudava, ams uma casa cheia de gente e ele nao da responsabilidade a ninguem so assumindo tudo?

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, Maria!
Sobre ele cuidar da família, isso é admirável. Mas, se te afeta tão negativamente, se isso em seu ponto de vista prejudica o relacionamento, também te prejudica, será que a questão não é o relacionamento em si e não a forma como ele cuida da família dele?
Porque, parece assim, ele não tem muita disponibilidade para o relacionamento, para você.
EU não posso cometer a leviandade de te dizer que, na minha opinião, você deve terminar o relacionamento, ou pressioná-lo a agir de uma determinada forma. Relacionamentos bons são relacionamentos de cumplicidade, de harmonia. Tudo o que faz um relacionamento ser bom e sobreviver ao passar dos anos é o casal ter os mesmos gostos, vontades, objetivos. Coisas simples e complexas, desde gostarem de conversar até unirem esforços para a aquisição de bens materiais. Relacionamento tem que ser gostoso, tem que ser bom! Mesmo com impedimentos, dificuldades que podem surgir pelo caminho, ambos precisam estar felizes na relação. Parece que você não está feliz!
Somente termine com ele se estiver certa do que está fazendo. Você demonstra muita incerteza, insegurança. De certo mesmo, somente a sua frustração, afinal ele não tem disponibilidade suficiente pra você!
Se me permite, acho que o seu erro é focar no que ele deveria, ou não deveria fazer quanto à família. Se morasse apenas com a avó, ou se há outras pessoas que poderiam se encarregar das obrigações que ele assumiu. Isso é algo inviolável, algo exclusivamente dele e da família dele. Você, sinceramente, não tem o direito de questionar isso! Esse eu entendo que é o seu erro mais grave. Porém, quanto ao relacionamento de vocês dois, isso sim está no seu total direito de ser questionado. Se ele não vai se entregar de corpo e alma a você e ao relacionamento, então não é um relacionamento, porque quando o assunto é namoro, casamento, uma andorinha sozinha não faz verão. E você, parece, tem se sentido sozinha nessa relação.
Não adianta questionar o comportamento dele quanto à família dele. Mas, as atitudes dele quanto a você sim, isso é seu direito querer a presença, a energia dele voltada para vocês dois. Acho que ele, infelizmente, não percebe isso. Se ele vai, ou não vai mudar esse comportamento, não posso dizer. Mas, você pode tomar decisões que encerrem o relacionamento, ou então abrir mão de seus desejos, suas necessidades e se engajar nessa história familiar dele. 8 ou 80, porque ele não vai abrir mão desse tipo de comportamento, se o fizer será para se revoltar contra você futuramente ( cuidado com isso).

Sinto muito pelo problema sério que está vivendo. Não posso te dizer: Maria, faça isso; Maria, faça aquilo. Como eu falei acima, isso seria leviandade minha. Mas, eu posso te dizer que, com certeza, você merece um relacionamento satisfatório, inteiro e que não te traga tristeza e solidão.

Estou aqui para voltar a conversar comigo sempre que quiser.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Obrigada pela disponibilidade de me responder em um tão longo e sincero texto. Você falou tudo. Na verdade o meu erro em questionar como ele age com a familia, é pq na verdade ele nao dedica tempo pra gente, eu fico com as migalhas. Nunca pensei passar por algo assim. Obrigada mesmo.

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi, Maria!
Se vocês dois se casarem, você vai ter que ficar com as migalhas. E gostar das migalhas. Você ajudará a cuidar das pessoas que hoje ele cuida, sem poder se esquivar. Serão compromissos familiares obrigatórios, com sua participação e seu empenho para realizar tarefas e engolir não apenas as migalhas, mas sapos enormes e feiosos. Está disposta a isso?
Às vezes, a ideia de amor romântico é tão fantasiosa, tão cruel e colocada em nossas cabeças desde a infância, que parecemos princesas do século 18, buscando um príncipe encantado montado em seu cavalo branco. O tal do felizes para sempre soa tão necessário, merecido, atingível.
Mas, de fato, as princesas do século 18 se casavam com príncipes na marra, casamentos acertados entre países, as coroas se uniam para seu fortalecimento. E esses príncipes eram uns caras gordos, sem dentes, que não tomavam banho. Mas, alguém resolveu inventar uma estória bacana sobre isso tudo e lá vieram os contos de fadas.
O sentimento de solidão, o temor de ficar sozinha, isso é uma arma apontada para a cabeça do ser humano. Engana-se quem se sente só, porque não estamos sós, ainda que temporariamente a gente possa estar sem alguém amigo, ou conhecido ao nosso lado. Temos a nós mesmos. E nós mesmos merecemos ser amados, bem cuidado por nós mesmos. E não somos dignos de migalhas miúdas e sujas, atiradas por quem se imagina o príncipe porcalhão que mencionei acima.
Escolha ser feliz, Maria!

Beijo, se cuide bem e volte sempre aqui!

Cláudia

Anônimo disse...

estou passando por isso, quero casar mais meu namorado não quer... estou namorando a 3 anos, mês que vem era pra noivar e do nada ele mudou de ideia cada dia é um obstaculo que ele coloca, estou sem saber o que fazer, pois ele me alimentou muito com essa historia de casamento e agora não quer! alguém me ajuda

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia!
Não conheço vocês dois, mas pela minha experiência, o que sei é que as coisas não acontecem "do nada". A gente pode não reparar que algo está contaminando, ou encerrando o relacionamento, algo lento e indolor. Um dia, de repente, "do nada" a gente percebe que ele, ou ela, não quer se casar, está colocando barreiras no relacionamento. E, sei disso, é muito difícil não se sentir vítima nessa história. Porém, Anônimo(a), alimentar-se de falsas expectativas equivale a alimentar-se de refrigerante e salgadinho de pacote. Os problemas físicos que ocorrem nesse exemplo bem podem ser comparados ao alimento ineficaz e nocivo dos momentos felizes, sem raiz sólida, de um relacionamento com expectativas, esperanças que não têm força suficiente para construir uma relação que irá durar muito tempo e ser satisfatória.
Ele não te iludiu. A ilusão é algo que permitimos, quando somos adultos e livres para escolher o que queremos. Você se alimentou com esse "refrigerante e salgadinho de pacote". Não será a hora de mudar isso, buscar mais qualidade, felicidade para si? Seja dentro desse relacionamento que adoeceu, seja sozinha, seja com outra pessoa.
A única pessoa que poderá ajudá-la é você mesmo(a). Valorize-se e não aceite menos que os melhores frutos desta vida para alimentar sua vida e seu amor. Não adianta sonhar com noivado, casamento. Aliás são apenas eventos de poucas horas, momentos breves, fases curtas e que são sucedidas da realidade, com contas para pagar, problemas do dia a dia, aborrecimentos que se não forem bem administrados acabam com o relacionamento. Se ele não quer, ótimo! Esse é o momento de você refletir e pensar melhor na escolha que fez, na qualidade ruim do relacionamento e em tudo o que ocorreu pra que hoje ele sequer queira dar sequência aos planos de futuro ao seu lado.

Estou aqui para voltarmos a conversar.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Oi Cláudia!
Queria te pedir um conselho.
Eu moro a dois anos com minha namorada.
A gente teve um começo complicado, pois eu estava solteiro, estava ficando com 3 meninas e uma delas era ela. Ela foi me conquistando com o cuidado e carinho dela. No final acabamos namorando e até morando juntos. Ultimamente a gente anda brigando por besteiras, e isso me irrita muito. Então após várias brigas fiquei e ainda estou indeciso do que fazer. E para piorar as coisas, o tem ela me pediu em casamento e eu falei que não era o tempo certo ainda pra mim. Com isso ela está muito magoada e só chora o dia inteiro. Eu tô muito triste com a situação pois ela não merece passar por isso. Me dói muito ver ela assim e não adianta nada do que falo pra ela melhorar. Ao contrário parece q só atrai mais briga. Ela é alguém que me ama muito, mas eu até o momento nao sinto q estou preparado pra casar, por mais que a gente ja esteja levando uma vida de casados praticamente.

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Quero saber se VOCÊ merece passar por isso. Afinal, em primeiro lugar em sua vida tem que estar VOCÊ. A vida é assim, ou a gente se ama, se adora e se cuida super bem, ou nada mais funciona direito.
Estava solteiro, por fim escolheu ficar com ela. Namoraram, estão morando juntos. E, parece isso, se sente culpado porque ela não parece feliz com sua decisão de não se casar. Essa decisão não deveria gerar culpa em você. NINGUÉM É OBRIGADO A SE CASAR COM NINGUÉM. Repita isso duzentas mil vezes e, então, recomece.
Ela parece mimada, um tanto manipuladora. Não conseguiu o que queria então está por aí arrasada, magoada chorando o dia todo. Pelo amor de Deus, como você aguenta isso?
Ela não te ama, ela ama a ideia de se casar com você. Duvida? Diga a ela NÃO VOU ME CASAR COM VOCÊ. Saia de perto porque vai ser um terremoto. E espere só pra ver a confusão que ela vai aprontar.
Francamente, casamento não é nada disso. E você deve repensar tudo, porque quando um dos dois não quer, o melhor é parar tudo e reavaliar os sentimentos.
Não sofra. Pense em si.

Um abraço,

Cláudia

Anônimo disse...

Olá Cláudia
Com 18 anos comecei a frequentar uma igreja evangélica, e dali em diante acreditei fortemente que o que Deus queria para a minha vida era que eu me casasse com uma pessoa que tivesse a mesma fé, a pessoa certa pra mim.
Mas, aos 21 anos eu acabei me afastando de Deus e decidi sair dessa igreja, pois já não concordava mais com tudo que era dito lá. Nisso, eu conheci o meu atual namorado, e ele era ateu. E ele é uma pessoa incrível, ele me apoiou muito em todo esse processo de deixar essa igreja, foi um amigo muito importante, e depois de um tempo acabamos nos apaixonando um pelo outro e começamos então a namorar, hoje temos 2 anos de namoro quase.
Apesar das diferenças religiosas, nós dois somos muito parecidos em quase tudo, nos damos muito bem, somos muito felizes juntos, e a nossa diferença religiosa acaba nao atrapalhando em nada, pelo fato de que ele era evangélico e eu era ateia, então nos entendemos um ao outro, e admiramos muito um ao outro também.
Quando começamos a namorar ele me disse que nao acreditava em casamento, que ele achava que quando as pessoas se casavam elas continuavam juntas nao por causa do amor, e sim por conta do casamento. E que pra ele as pessoas deveriam estar juntas porque se amam e não por conta de uma aliança dourada no dedo. Ele me disse desde o começo do nosso relacionamento que o sonho dele é ter uma vida simples e feliz comigo, que ele quer que nós dois moremos juntos e que ele sabe que eu sou a pessoa certa pra ele. Ele também diz que quer que nós tenhamos um filho no futuro, diz que ele encontrou a mãe perfeita, mas que ele não quer se casar, pq ele acha que isso poderia atrapalhar o nosso amor, e fazer com que estejamos juntos por obrigação e não por amor mesmo.
O problema é que eu sempre sonhei em me casar, e apesar de respeitar a opinião dele, alguns dias eu fico muito triste em saber que esse meu sonho de ser pedida em casamento não vai se tornar realidade. Eu o amo muito, e sou muito feliz ao lado dele, mas as vezes quando eu vejo fotos no facebook de alguma amiga se casando, ou noivando, eu fico muito triste por saber que isso nunca vai acontecer pra mim.
Ele mudou de ideia uma época, disse que era o certo se casar comigo, mas depois de um tempo ele disse que se casar voltou a assustá-lo, acho que o fato dos pais dele estarem juntos mais por causa do casamento do que pelo amor, e não serem felizes por isso contribui pra que ele não goste da ideia de se casar.
Eu sei que ele pode mudar de ideia um dia, e querer se casar, mas eu prefiro sempre olhar pra ele pra como ele é, e aceitá-lo da forma que ele é, o problema é que isso me machuca as vezes, eu não consigo ser aquela pessoa que tanto faz pra casamento, eu gostaria muito de me casar, apesar de saber que não existe tanta diferença assim entre ter um papel comprovando uma união ou não.

Um abraço

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Inicialmente, não posso deixar de observar isso, você narrou que você era evangélica e ele ateu. Adiante, em seu texto, você inverteu isso e disse que você era ateia e ele evangélico.
Seja como for, a questão não é a religião, mas sim a divergência do casal sobre o casamento.
É importante pra você se casar? Será importante pra você ter um filho dentro de um casamento formal?
Muitas pessoas escrevem para mim nesta postagem do blog. Querem que eu diga a elas o que fazer. Eu acho que, no seu caso, tudo estaria bem, não fosse você observar que isso a machuca. Se machuca não é bom.
Você parece estar sob a vontade dele, realizando a vontade dele e deixando de lado a sua vontade, que na sua vida deveria vir abaixo somente da vontade Daquele que ficou lá, na igreja evangélica que você deixou ( isso se você era evangélica e não ateia).
Papel é só papel. Mas, casamento é muito mais que assinar papel. Casamento é união de duas vidas para ajuda, cuidado, respeito, dividindo e multiplicando o amor que brota diariamente. Ele parece ser seu mentor, alguém que você admira, e que decidiu que você será ótima mãe, esposa, mas sem casamento. Sem casamento... Que triste isso.
Ninguém é obrigado a se casar com ninguém. Mas a sua história não parece feliz, você não parece estar feliz.
Quer ter filhos sem ser casada com o pai deles? Pense nisso.

Um abraço,

Cláudia

Unknown disse...

Acho que depois de 4 anos casada posso lhe da a minha respota. Eu queria casar e ele não, eu queria filhos e ele não, então forcei a barra, engravidei para obrigar ele a casar e assim casamos. E depois desses 4 anos vejo minha vida infeliz por minha culpa, passei a não culpalo por esse sofrimento meu, pois foi minha culpa. Poderia ter dado um fim no namoro e ter esperado encontrar alguem que tivesse os mesmos objetivos. Sou infeliz e a culpa é toda minha.

Anônimo disse...

Sempre forcei a barra para casar e ter filhos, a familia dele sempre foi contra, na minha frente ele fazia planos e sonhava, quando estava com sua familia ele falava que nao iria casar tão cedo, que queria curtir, enfim, chegou um ponto que cansei e terminei, foi ai que ele me jurou que iria começar a me ajudar a comprar nossos moveis para casarmos e então eu voltei pra ele. Dias depois as juras tinham ido pelo ralo. Ele tinha acabado em passar em um concurso, começou a ganhar bem e via os familiares dele dizer que era hora dele curtir, ele ja tinha comprado a casa própria e então ele resolveu alugar para um casal, na época acreditei que ele tinha feito isso por pressão da sua família mais hoje sei que foi ele mesmo que quis, pois realmente nao queria casar. Então engravidei para poder forçar ele a casar e assim casamos, ele nao queria festa e mais uma vez obriguei ele a fazer. Enfim, hoje vivo infeliz e depois de tanto culpar ele por isso, hoje vejo que a culpa é toda minha. Deveria ter terminado e esperado encontrar alguem com os mesmos sonhos e objetivos. Eu sempre paguei esse relacionamento e hoje nao tenho mais como pagar. Não temos os mesmo planos, não dormimos juntos, não dividimos os problemas, nao conto das minhas angustias,nao confio em contar meus segredos, brigamos, efim, acho que isso deva ser o fim.

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Você repete várias vezes que se sente culpada. Esse sentimento não irá modificar os fatos, nem irá conduzi-la a uma situação mais tranquila e menos sofrida. Nem sempre os relacionamentos são felizes, nem sempre alguém que desejamos corresponde aos nossos sentimentos. E é preciso ter lucidez para aceitar isso sem se culpar, ou culpar outras pessoas. O amor nasce e não tem garantia de durabilidade. Pode durar um segundo e ser eterno esse segundo. Pode durar a vida toda e enfrentar imensos desafios e dificuldades. Mas, não dura além de seu tempo.
Talvez, ele a tenha amado. Mas, ele é outra pessoa, alguém que merece respeito, assim como você também merece respeito. Respeitar-se, amar-se e não se culpar dessa forma!
A vida não termina quando um relacionamento acaba. Pode ser triste, duro demais, mas a vida segue em frente.
Você tem uma criança, pelo que entendi. E essa criança precisa do amor dos pais, ainda que talvez separados. Cuide bem do bebê e ame-se, porque se você não tem o amor de seu marido, é a sua autoestima que poderá ajudá-la nesta hora.
Estou aqui para voltar a conversar comigo.
Um beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

Me sinto culpada e ao mesmo tempo o culpo por tudo, essa dor que chega a ser fisica esta me matando, ele não vai embora e nao queria voltar para a casa de meus pais. Fico me perguntando se ainda existe amor, estamos a 2 meses dormindo em quartos separados e sem trocar uma palavra em casa. Temos 2 filhos a mais nova de apenas 1 ano.

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Você não imagina o quanto é difícil, para mim, dizer algo que, de modo efetivo, possa ajudá-la.
Por um lado, ninguém é obrigado a ficar com ninguém, casamentos podem acabar. A vida está aí pra ser vivida.
Por outro lado, você o amou tanto que fez loucuras para se casarem. E ele é seu marido, vocês têm 2 crianças e sua família depende muito de paz, de amor, de respeito. Pais que brigam, ou que sofrem dessa forma, causam marcas profundas nos filhos, especialmente nessa fase da infância.
Ou você reconquista seu marido, que afinal é seu marido ainda, ou assume que acabou, aceita isso, procura um advogado e se separa. Mas, por favor, preserve as crianças de todo e qualquer problema entre vocês dois.Não deixe que as crianças escutem, vejam, sintam nada que não seja a serenidade e o amor que elas tanto precisam.

Cláudia

Anônimo disse...

Oi Claudia, belo post.

Deixou-me muito pensativa.

Recentemente meu namorado colocou ponto final em nosso relacionamento, como o argumento de que gosta de mim, mas não o suficiente para casar.
Nosso namoro durou 6 anos e nasceu de uma amizade no trabalho. Temos muitas afinidades, gostamos de muitas em coisas em comum.
Tomou essa decisão depois de conversar como colegas e amigos que, em sua maioria, tiveram experiencias amorosas ruins.
Diz que o sentimento não evoluiu. Para ele nosso namorou virou uma "amizade colorida".
Ele tem uma vida confusa com filhos e mães de filhos.
Sempre morou com a mãe. Ah! Tem 36 anos, vale destacar. Eu, 35 anos.
Eu, segundo ele, era uma fuga, por que sou calma, paciente e sempre o ajudei em todos os assuntos.
No dia do término, fomos ao shopping, ele comprou presente de natal, adorei o presente. Mas no final desse mesmo dia ele terminou o namoro. Não aceitei levar o presente, afinal, qual o significado de um presente marcado pelo fim de um relacionamento.

No inicio desse ano nos separamos ficamos 3 meses afastados. Ele refletiu eu também, percebemos naquela época a falta que um sentia do outro e que havia sentimentos. Reatamos e agora, próximo ao natal decidiu se afastar novamente.
Não vou insistir, não vou procura-lo. Estou triste, pois achei que realmente rumávamos para o casamento. Mas...

Estou sofrendo, gosto dele, queria casar. Mas ele não, ele queria somente a amizade que nos uniu.


Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Aqui estou a pensar por onde começar. Porque, talvez, pareça pouco o que você contou, mas é muita coisa e preciso não perder nenhum detalhe.
Vou começar pelo presente que você devolveu. Não deveria ter devolvido, eu teria pegado o presente e vendido. Aliás, não aceitaria menos que um anel enorme de uma joalheria bem cara. Por que? Porque existe uma coisa chamada indenização por danos morais e não é qualquer presente que pode indenizar um dano desse tamanho todo.
Já que você decidiu assim, eu gostaria de dizer que ele não reflete. Não mesmo. É burro! Só mesmo um burro age dessa forma.
Até quando você vai permitir que esse cara entre e saia da sua vida? Por maior que seja a sua tristeza, tudo tem um limite, dignidade tem limite!
Queria casar com ele? Entendo. Mas ele provou A + B que não tem a menor condição de se casar com você. Esse cara não te merece!
Com filhos? Com ex? Menina, você se livrou de um problema que era dele e um problema enorme.
Sua autoestima parece não estar nada bem!
Pense melhor nisso tudo. Ele não é o sol da sua vida, o ar que você respira. Portanto, ele é dispensável e substituível.

Força aí, você merece coisa melhor!

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Cláudia, entrei nesta página e admirei muito sua paciência é dedicação com as pessoas que escrevem. Parabéns! Passo por um problema parecido. Há 3,5 anos namoro um rapaz mais novo. Sou divorciada e ele solteiro. Morávamos em cidades diferentes (ele em Santos e eu em Sorocaba) e a distância e a dificuldade de nos encontrarmos nos levou a construirmos uma casa juntos na mesma cidade. Ele transferiu seu trabalho pra minha cidade e dizia que, assim que a casa ficasse pronta, nos casaríamos. Aí surgiram alguns problemas- as condições de trabalho dele pioraram, passou a sentir falta dos pais e não se habituou com meu filho morando junto (apesar de ele ter insistido pra que ele morasse conosco, mesmo ele sendo um rapaz independente ). Agora ele resolveu voltar pra sua cidade, tem um projeto individual, mas diz que me ama, que vai sentir muitas saudades ficando longe, etc. Eu tenho minha vida aqui, meu trabalho, meus pais. Construímos a casa juntos, cuido de todas as coisas pra ele...mas a partir do momento que ele desistiu de se casar, resolvi que levaríamos a vida como simples namorados, dormindo separados e tudo mais, só que morando na mesma casa, pois é dele também é estava trabalhando aqui. No próximo mês ele se muda pra cidade dele. Estou quieta, aceitando de boa porque penso que devo respeitar sua decisão. Por ele, continuaríamos a namorar . Mas por dentro estou indignada, me sentindo enganada, cuido dele como uma esposa e não estou casada! Tenho chorado às escondidas, tentando criar coragem pra nunca mais falar com ele, vender a casa e mandar a parte dele. Mas me sinto insegura. Ele é um homem que me respeita muito, muito íntegro, temos muitas afinidades. Não sei se ele está esperando eu terminar tudo ou se não quer que isso aconteça. Quando toco no assunto de como vai ficar, ele diz - a gente continua o projeto, vai melhorando a casa, vamos ver como faremos... Não está fácil pra mim.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 234   Recentes› Mais recentes»

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!