É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







26 de out de 2011

CASAMENTO: QUANDO UM QUER, MAS O OUTRO NÃO QUER


O que fazer quando ele não quer casar, quando ela não quer casar? Um namoro deveria rumar pra um compromisso sério, sem passos trôpegos, sem divergências estruturais. Inevitável que, diante dessa divergência de objetivos, aconteça uma cisão, um abalo no relacionamento.
Tenho escutado, feito um mantra em meus ouvidos, a seguinte afirmação: casamento não serve pra nada, pra quê casar? . Quanto mais escuto, mais penso no quanto é importante a comunhão de esforços, o mesmo ritmo, a mesma intenção, para que o relacionamento valha a pena, seja feliz, faça sentido.
Tem que ser bom para os dois. Sem brigas, sem mágoas, sem medos. Tudo claro, simples e conversado. Um não quer casar, o outro quer casar. O que fazer? Há duas alternativas, as mais evidentes: parar ou continuar. Um dos dois vai abrir mão de algo, sacrificar o que deseja pra si, em prol do casal. E quem ama se sacrifica em favor do par. Até que ponto isso é bom? Um casamento que começará assim, com um sacrifício da vontade, abrindo mão do que se quer pra si, poderá ser um casamento feliz?
Dessa falta de união de objetivos, surgem dúvidas que machucam muito aquele que escuta as negativas: será que sou amado? Será que sou amada? O risco, que é natural e sempre existe. Somente o passar do tempo, o enfrentamento das muitas dificuldades da vida, é que fortalecerão a relação. Casando, ou não casando, se vai dar certo ou não, será sabido depois de certo período. Muitos dias de sol, muitos dias de chuva, muita água sob a ponte. O resultado chegará depois de algum tempo.
Acho que a pergunta principal é: quem ama age assim? Quem ama pega trilhas paralelas no caminho da vida? Eu acho que não. Quem ama se transforma em pedra no caminho do par? Claro que não. Quem ama fica ao lado, quem ama quer o bem. Quem ama não se imagina sem o ser amado. E se for preciso casa, não casa, mas faz isso pensando no melhor pra si e pro casal. Sem individualismo, sem egoísmo, sem causar sofrimento, sem sacrifícios que te anulem.
Vale a pena conservar um relacionamento com tamanha divergência de objetivos? Cada um tem que encontrar, por si, essa resposta. Investir em uma relação que causa mágoa, sem harmonia de ideais, isso não vale a pena. Quem ama não solta, não abandona, não machuca, não destrói sonhos, quem ama faz planos bonitos lado a lado. E se não for assim, é um relacionamento oco, sem o ingrediente principal: amor. Tem que fluir com naturalidade, sem fazer muita força, de um jeito gostoso. Não quer casar, mas ele quer. Não quer casar, mas ela quer. Será que o melhor não seja parar tudo e ir procurar alguém que pense parecido com você? A separação dói. Viver em um relacionamento sem ser amado, amada, isso dói muito mais.

Leitores: recebo muitos comentários nesta postagem. Recomendo a leitura desta outra publicação, aqui no blog: Casamento: sim ou não?

ATENÇÃO LEITORES: Os comentários desta publicação continuam a ser recebidos, respondidos e publicados por mim. Vocês ultrapassaram 200 comentários aqui e o blog direciona para uma segunda página. Vocês poderão visualizar seu novo comentário e minha resposta olhando em letrinhas miúdas, abaixo da publicação dos comentários, clicando em "mais recentes". 

282 comentários:

«Mais antigas   ‹Antigas   201 – 282 de 282
Cláudia Cavalcanti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Desculpe demorar para responder, estou de férias. Mas, mesmo assim li seu comentário e quero conversar com você.
Depois de muito viver, aprendi com lições bastante duras que o que mais importa na vida da gente é a nossa família. Pais, filhos, irmãos, avós, tios, enfim... Marido é muito bom, namorado é uma delícia. Mas, esse tipo de relacionamento amoroso é carregado de problemas e muito, mas muito frágil. Ele topou que seu filho morasse com vocês, depois isso parece que começou a desagradá-lo. Qual foi, nesse momento, a sua reação? Porque defender com unhas e dentes, como uma leoa, a cria, isso é fundamental.
Você mora perto dos seus pais, isso é excelente!
O que fazer? Eu o deixaria ir embora e ainda lavaria tudo com sal grosso. Você diz que chora às escondidas e se sente enganada. Não faça isso, por favor! Como eu falei antes, esse tipo de relacionamento é frágil. Quase prego na areia, sabe como é? Se você imaginava que era esposa, pra ele está claro que você não é. Ainda bem, porque se pensar melhor, então ele não é seu marido. Quem merece uma porcaria de marido que não assume seu papel?
Não o deixe ditar as regras, ir embora e ir levando, fazendo as coisas aos poucos pra ver como vai ficar. Qual é a dele?
Não, você não está levando na boa. Não mesmo! Ele te respeita, é íntegro, vocês dois têm muitas afinidades. Oi!!! OIIIIIII!!!! Como que é? Ele não se envolve o bastante, toma uma decisão que é radical e que prejudica o relacionamento, te magoa e não está nem aí com isso e, pra piorar, implicou com seu filho. Garota, ele é um lixo!
Imagino que não está nada fácil pra você, realmente. Mas, tome as rédeas da situação e deixe esse cara ir embora, mas pra sempre. Namorar à distância? Faz-me rir, desculpe. Ele quer é viver a vida dele e, de vez em quando, usar e abusar de sua bondade, sua casa e seu corpinho. Mande esse cara pra fora de sua vida, por favor. E curta sua família, porque é esse amor infinito que faz a vida valer a pena.
Beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

Olá Cláudia, sou a mulher do último comentário. Continuando...Ele resolveu que vai levar todos os seus pertences, uma mudança praticamente (armários, cama, tudo). Eu investi bem mais na casa que ele, mas ele é quem teve a ideia de construí-la aqui. Agora ele quer comecar outro curso em sua cidade, mudar de profissão. Vai me deixar com tudo que construímos aqui e só diz que a vida dele é muito difícil porque está dividida entre a família dele lá e eu aqui. Mas já resolvi que quero uma vida digna pra mim, essa questão de morar juntos sem se casar não é comigo, ele já não liga. Eu o amo, tenho me empenhado demais em tudo, o ajudei muito aqui...Ele diz que me ama muito, mas nem sequer me beija, é só um selinho de vez em quando.Antes me dizia coisas românticas, agora só queixas e preocupações, Só um pouco de carinho. Bem, já escrevi bastante, desculpe o desabafo! Gostaria muito da sua opinião! Obrigada!

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Demorei para responder, desculpe. Viajei, aliás estou de férias. Mas, cá estou. Acho que, realmente, algumas pessoas saem de nossas vidas e, por mais doloroso que isso seja, lá adiante, quando o tempo passa, a gente até exclama: - Ufa! Ainda bem! - A vida muda demais, amores vão embora e um novo amor chega. Tudo vai ficar bem. Agora você está sentida, entendo que não é fácil atravessar esse momento. Mas, deixe que ele leve o que ele comprou. E não espere dele romantismo, carinho, sentimento bonitinho. E tem mais uma coisa: isso de virar amiguinha dele, ao menos agora neste primeiro momento, é uma enorme roubada. Dê espaço, distância, viva a sua vida e trate de enfrentar a ausência dele com dignidade. Ele não é a última balinha do pacote, nem o último cara interessante do mundo. Aproveite sua vida, os dias, os momentos todos e trate de se recompor. Vai passar!!! Eu te garanto, afinal já passei por tudo isso e hoje estou sã, salva e feliz da vida. Força, fé e feliz 2017! Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Oi Cláudia! Só hoje fui ler sua resposta pra mim...todos os dias eu entrava neste blog mas nem me dei conta que sua resposta estava na página seguinte, só agora vi (as preocupações estão me pirando rs). Quero agradecer-lhe por clarear minha mente! Vivenciando o problema todos os dias, acabo ficando insegura , tive um ex-marido que aprontava muito, por muitos anos, e jogava a culpa do mau comportamento dele em mim! Isso me gerou muita insegurança,prejudicando minhas decisões até hoje. Bom, cada dia me convenço que esse rapaz quer é comodidade pra ele. Ele finje que meu filho náo existe, não se preocupa nem em pagar o que come aqui e por aí vai tudo que lhe contei. Não será simples, mas valerá a pena por um ponto final, vender a casa e, mais uma vez, recomeçar, só que pensando em minha família. Muito obrigada por sua atenção e suas palavras sensatas! Grande beijo!!!

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Estou com um problemão aqui no blog. Meu querido webmaster partiu pro Céu... E eu não entendo muito das configurações do blog. Já pedi ajuda ao Google, ao blogger, mas não tive resposta. Não sei o que fazer! As postagens de comentários são muitas nesta publicação. E agora, mais essa! Quem comenta não consegue com facilidade encontrar minha resposta. Desculpe!
Seja feliz, pense em você! Cada um de nós é responsável pela própria felicidade! Não se culpe, tudo vale como experiência e nos engrandece! Amadurecer não é fácil, né?
Não pire!!! E deixe que ele se vá. Um dia você vai agradecer a ele por ter ido embora, nem que seja apenas em pensamento. Ele se vai, a vida continua, um novo amor chegará.
Boa sorte, um grande beijo e siga meu blog. Há mais de 600 publicações, está é apenas uma delas.

Cláudia

Anônimo disse...

Pq NAO ESTA APARECENDO OS COMENTARIOS MAIS?

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, querido leitor, ou leitora!
Obrigada pelo aviso. Houve um problema técnico, algo que já foi corrigido. Agradeço muito por avisar-me. Se desejar fazer um comentário, por favor, volte a escrever.
Um beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

Ola... Estou passando por uma situação complicada, estou com meu noivo ja faz três anos, temos apartamento juntos e tudo, ele de uns tempos pra ca fala q so quer juntar, ele tem 28 anos, mora com a irmã e é divorciado tem uma filha, meus pais nao aceitam que eu junte com ele sem ao menos casar no papel, e ele falou q casar ele nunca vai mas morar comigo ele vai a hora que eu quiser.. Mas agora me pergunto sera que ele me ama como diz? Agora nao sei mais o que fazer.

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Achei um pouco confuso o seu relato.
Você e seu namorado têm apartamento juntos, mas não moram juntos?
Afora isso, entendi que você quer uma coisa e ele quer outra.
Isso é grave. Tão grave quanto o degelo de um iceberg...
Você tem somente 28 anos. Creia: apesar de ser adulta e não mais precisar dos,pais para proteção e condução (oi!!!), você ainda tem DĖCADAS pela frente para casar e ter casa, marido, filhos e etc.
Ele não quer? Tá! O que importa é o que VOCÊ espera do relacionamento. Se acha que ele é decepcionante, não está à sua altura... Meu bem, dane-se o que seus pais pensam, porque você é uma mulher de 28 anos! E mande esse homem se danar. Ou ele corresponde às suas necessidades e realiza seus sonhos, ou bye, bye!!!
Estou aqui para coversarmos mais um pouco!
Beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

Estou com ele a quatro anos...passamos por muitas coisas.. no início eu não gostava tanto dele.. e ele gostava muito de mim queria namorar em casa eu não queria ...ate que com o tempo eu o apresentei a minha família e estamos juntos até hoje.com o passar do tempo fui me apaixonando cada vez mais por ele ... e a vontade de me casar com ele foi aumentando...o tempo também começou a pesar pois a maioria da minhas amigas em menos de 2,3 anos de relacionamento casava e eu estava na casa dos 3 pra 4 anos anos de namoro e nem um pedido de noivado. Nós conversávamos sobre isso ele dizia quando terminasse a faculdade e fosse promovido iriamos nos casar...logo estas coisas aconteceram ...mas nenhuma atitude dele....quando em um dia eu perguntei para ele: amor qual sua perspectiva de futuro para nós? ele disse que era de casar e tals, mas não agora... eu como sou muito insistente perguntei o porque ?.. ele disse que já sentiu mais vontade de casar comigo do que agora.. :[ ... fiquei arrasada...sai de perto dele chorei muito...pois pra mim significou que o sentimento esta frio.. que ele não tinha certeza se queria estar comigo... mas nao terminei continuei como se não tivesse acontecido nada... só que meses depois no dia da minha em uma festa onde estava a família reunida ele me surpreendeu com o pedido de casamento...fiquei muito surpresa...ninguém esperava muito menos eu kkkkk... só que me vem sempre em minha mente se ele não fez isso para me agradar...se realmente é vontade própria dele...estamos noivos a 5 meses... e ainda nenhuma atitude com relação ao casamento...eu toco no assunto ele fala superficialmente...eu já disse pra ele que não quero passar muito tempo noiva.. eu não quero pressionar ele pra que ele não faça algo que não quer... mas como devo agir nesta situação...?? pois se esperar por ele vai demorar muito... devo tocar sempre no assunto ou deixar ele tomar o tempo dele e casar quando realmente ele estiver disposto?

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Você queria que ele a pedisse em casamento. Ele pediu. Estão noivos. Agora você quer se casar.
O que eu acho? Que você é personagem de algum filme de época,do século 18,ou 19, que viajou no tempo e enviou para mim esse relato. É sério isso! Porque você se comporta de modo passivo, como as coitadinhas das mulheres do passado, aquelas que usavam espartilho, saia comprida até o pé e desmaiavam a cada desgosto. Moça, por favor, acorde!
Deixar que ele tome o tempo dele quando realmente estiver disposto? Você nunca toma uma decisão firme, nunca toma as rédeas da situação? Você responsabiliza o rapaz por tudo, sabia? Quem não toma decisões acaba por terceirizar essas mesmas decisões e, portanto, não assume responsabilidades!
Porque suas amigas se casaram, então você quer se casar? Quer dizer que se suas amigas tivessem pulado do alto de um edifício, você também ia querer pular?
Sabe o que vai acontecer se você continuar assim, lastimosa, carente, dependente dele e, pra piorar, deixando o rumo dos acontecimentos fora de seu campo de decisão? Ele vai te dar um pé. Sim, sim! Seja agora, seja depois do casamento ( o que vai ser pior).
Eu sou contra isso de pedido de casamento, noivado. Muito contra! Não vejo lógica nisso. Mas, se você fez questão e se faz sentido pra você, aproveite o momento. Aproveite, curta. Não estrague tudo querendo dar um passo que é seríssimo e depende de dinheiro, de férias no trabalho, depende de momento bom no relacionamento, depende de ter casa própria, depende de tantas coisas, que se você pensar bem, casamento é muito mais um contrato que envolve patrimônio, do que algo lindo e fofo feito por amor.
Pense em tudo isso o que eu falei. Pense bastante. E pare de ficar à sombra dos fatos, como personagem coadjuvante da própria vida.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Olá Cláudia! Meu nome é Ana Paula e Adorei seu post e achei muito linda a sua dedicação em responder todos os comentários desde que foi publicado (desde 2011!!!). Bom, espero que ainda esteja em tempo de eu receber seus sábios conselhos.

Namoro um rapaz há 7 anos e meio. Nós temos uma relação muito boa com altos e baixos como todo relacionamento, mas sempre superamos tudo sem precisar ficar terminando e voltando... O fato é que eu penso em casar e construir uma família. Ele também demonstra que quer. Mas segundo ele o problema é que nós dois não temos emprego. E de fato isso é um problemão, mas fico pensando, será que se ele realmente quisesse casar comigo não já teria dado um jeito, sei lá trabalho em qualquer coisa.... Eu vejo que a gente está acomodado com a situação. Vejo ele sem metas, sem objetivos de vida. Ele diz que quer arrumar um emprego e casar comigo, mas poxa 7 anos já teria dado tempo de ele arrumar alguma coisa não? Ai Claudia, será que eu tô paranoica e devo esperar mais ou agir e terminar e seguir sem ele?

Tenho 24 anos e ele 29...
Um beijo!

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá, Ana Paula!
Costumo responder aos leitores dizendo que para se casar é necessário mais do que amor e vontade. É preciso que os dois trabalhem e sejam independentes financeiramente. É preciso ter casa própria. É preciso uma grande organização nas vidas dos dois porque casamento é um evento caro e depois do casamento tudo parece ficar mais complexo e trabalhoso. Por exemplo: vocês farão supermercado, feira, almoço, jantar, terão que deixar a casa limpa e em ordem. E pagarão muitas contas! Acredite, isso atrapalha o romantismo e se não houver dinheiro, esqueça!
Você tem uma profissão? Curso superior? Não está trabalhando agora por qual motivo? Disse que ELE está sem trabalho e acomodado, mas... Oi, Aninha! 2017, século 21, mulheres são independentes. fortes, as princesas são guerreiras e não mais as bobalhonas do vestido até os pés e príncipe encantado.
Vá estudar, porque estudar é pela vida toda, nunca terminam os estudos. E trabalhe muito, sempre, por toda a vida.
Namorar é bom. Continuem namorando. Um dia, se tiverem condições, voltem a falar em casamento.
Beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

ow querida!! É a Ana Paula de novo. Muitíssimo obrigada por responder. Você está certíssima. Bom o motivo de eu não trabalhar é por falta de oportunidade mesmo. Aliás é o motivo dos dois.. Nós moramos numa cidade bem pequena de 15 mil habitantes e aqui é mesmo muito difícil arranjar emprego... Eu sou formada em Química desde 2015 (assim que terminei tentei mestrado, especialização, concurso,mas por algum motivo não consegui passar em nada e olha que eu sou conhecida por ser uma nerd kk). A gente tinha planos pra casar quando eu terminasse o curso crente que eu iria arranjar emprego. Assim, eu iria exercer minha profissão e ele continuaria trabalhando com meu pai na agricultura (que é o ramo que sobra quando não se tem oportunidade). Mas como eu não arranjei emprego e o que ele ganha no sítio é pouco a gente resolveu parar de falar em casamento. O que me incomoda é o tempo, sabe? Quase oito anos de namoro é muito tempo, pelo menos pra mim. Eu sinto que a gente está acomodado pq acho que ele (e eu tbm) poderia sair dessa cidade e arranjar alguma coisa fora, mas por causa da gente não vai...
É um impasse, uma inércia que às vezes eu fico pensando se não seria melhor cada um seguir seu caminho, mesmo a gente se amando tanto...

Mais uma vez muito obrigada por me responder... Vou ficar olhando se você responde mais este comentário.
Um grande beijo e fica com Deus <3

Cláudia Cavalcanti disse...

Ana,

Nesta vida a gente se reinventa. Quantas pessoas, neste momento de crise econômica, estão encontrando alternativas bem legais? Por exemplo, plantar alimentos orgânicos. Um dia desses assisti a um Globo Repórter e fiquei encantada com o agricultor que ousou investir na produção de vinhos, isso no interior de São Paulo. Conheço pessoas que mudaram de profissão, que se tornaram chefes de cozinha. Meus sobrinhos, todos formados em universidades públicas, super graduados, foram pra Europa e trabalham em profissões muito mais simples do que trabalhariam aqui no Brasil e estão felizes, realizados. Tente encontrar algo que a tire dessa situação ruim. Dinheiro é tão bom, ter a possibilidade de comprar o que precisa e gosta, de ter segurança e sossego. Eu adoro. Dinheiro honesto, vindo do trabalho, isso é sensacional!
Eu, por exemplo, sou advogada e escrevo. Ser escritor não é rentável, ainda bem que sou advogada ( ufa!). Mas, eu poderia dar aulas de dança de salão, cuidar de idosos, de cães ( amo!), poderia criar bijuterias lindas, ou ajudar alguém a fazer a monografia da faculdade. Isso algo que pensei rapidamente. Pense, Ana!
Quem ama não desiste do amor, quem ama se reinventa!

Beijos,

Cláudia

Anônimo disse...

Cláudia,


(Aplausos, muitos aplausos!!!) Falar com você me deu um ânimo que você nem imagina... Muito obrigada! Vou pensar kkk Aliás essa dica de ajudar alguém a fazer a monografia da faculdade é o que eu tenho feito! É o que não me deixa ficar o tempo todo parada. Depois de suas dicas acho que o próximo passo é falar com meu namorado e pensarmos juntos no que fazer para superar essa situação financeira ruim e assim ver no que dá. Adoraria ir para a Europa como seus sobrinhos, mas acho que é querer demais (por enquanto) kkk...

Grande abraço e obrigada por tudo!

Ana.

P.S.: Adorei a frase final; vou levá-la para sempre no coração.
"Quem ama não desiste do amor, quem ama se reinventa!"

Cláudia Cavalcanti disse...

Ana,

Obrigada! Siga meu blog, tenho aqui quase 700 textos publicados, a maioria contos e crônicas.

Beijo,

Cláudia

Duvidosa disse...

Oi. Quando li o post nao achei que tanta gente estivesse na mesna situação. Namoro ha dois anos . Antes ele era noivo namorou 11 anos. Por causa disso toquei no assunto irmos mais sério e ele sugeriu 2090! Apos meu espanto ele disse que estava brincando. Ontem mandei whats tocando no assunto novamente pedindo que ele pensasse no assunto e a resposta foi um "ta bom". Depois disso esta me evitando no whats e pedi para falarmos pessoalmente hj e ele disse que eu estou o irritando!!! Estou perdida sem direção

Cláudia Cavalcanti disse...

Duvidosa,

Olá! Essa questão, infelizmente, é muito comum. E muito séria também!
Vou começar pelo nome que você escolheu: Duvidosa. Está em dúvida. E, quando alguém está assim, com dúvida, a minha sugestão é: não faça nada! Não envie WhatsApp, nem e-mail, não telefone, não o chame agora para uma conversa olhos nos olhos. Enfim, dê um tempo que seja suficiente para que ambos digiram o ocorrido.
O que vai acontecer daqui em diante, depende daquilo o que você quer para a sua vida. Espero que tenha metas bem definidas, bem traçadas.
Namorar, desde que seja um namoro que envolve amor, costuma levar o relacionamento para o casamento. Seja o casamento no papel, ou não. Morar juntos, talvez. É natural que seja assim. Mas, não adianta reclamar, forçar a barra, resmungar, bater o pé. Não adianta. Aliás, é pior.
Ele vem de outro relacionamento, bastante longo. Como terminou esse relacionamento e por qual motivo? Talvez ele não se sinta, ainda, preparado para assumir um compromisso tão sério quanto o casamento. Sei que você não tem nada com isso, mas se gosta dele, compreendê-lo é fundamental.
Não envie outro WhatsApp. É infantil isso! Tratar de algo sério com mensagens em smartphone é desvalorizar o amor que sente.
Quando for oportuno, depois de deixar a água rolar debaixo da ponte durante alguns dias, converse pessoalmente com ele. Sem pressionar. Ninguém suporta isso, viu?
Estou aqui para continuarmos a nossa conversa.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Li este comentário e me identifiquei muito. Estou quase no seu caminho. Quero casar, e ele não quer. Quero ter filho, e ele diz que não é o momento. Lendo seu comentário, vi que preciso tomar uma decisão. Mas infelizmente não consigo.

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Para tomar uma decisão é preciso serenar a alma, a mente. E ter paciência, porque o tempo que demanda uma decisão nem sempre nos pertence. É preciso viver o relacionamento com alegria, conhecendo mais e mais o par. O rumo do relacionamento poderá, ou não, ser o casamento, mas isso será uma decisão tomada por ambos, por livre vontade.
Nem todo namoro ruma para o casamento. O que importa é o dia de hoje, a qualidade do namoro, sem que um puxe, ou empurre o outro.
Entendo muito bem o quanto é decepcionante não ser pedida em casamento, com flores, anel de brilhante, violinos tocando. Ou mais ou menos isso. Mas, às vezes, toda a idealização romântica disso se sobrepõe ao amor. E atropela a relação de um jeito fatal.
Você falou em ter filho. Mas, pelo que entendi, nem casados são! Veja só o quanto você é afobada(o)! Viva o dia de HOJE! Olhe para essa pessoa com quem pretende se casar, tem que haver uma troca de afeto natural, gostosa. Senão, nem há o que se falar em casamento e muito menos no que poderá vir, ou não, mais adiante: filhos!
Acho que você, como muitas outras pessoas que aqui chegam, tem a ideia fixa de se casar e tenta fazer o par se encaixar nesse sonho, que muitas vezes não é a numeração dele. E soca o coitado nisso, estragando o que há de melhor: a paz, a leveza.
Ou você deixa o tempo passar, sem cobrar, reclamar, lamentar e vive o namoro sem muito planejamento, ou desiste e arrisca um dia encontrar outra pessoa que tope embarcar no mesmo sonho com você.
Viver é ser responsável pelas decisões que toma. Quem decide o que quer, não fica à mercê da vontade alheia e sempre encontra a solução para todos os problemas.

Beijo,

Cláudia

Duvidosa disse...

oi. Gostei muito do seu conselho. Talvez ele nao esteja preparado mesmo apenas 2 anos ... ja que namorou 11. Nos encontramos pessoalmente apos essa conversa de whats . Ele nao tocou no assunto agiu como se nada tivesse ocorrido. É muito bom estar com ele e viver o que temos. Tenho 37 anos e perceber que o tempo passa e talvez nao ser mais mae mexeu com minha cabeça. Eu o amo e queria passar maus tempo com ele. Acho que ele me ama , o nome duvidosa nao foi por isso, mas duvidosa no sentido : por que será que ele nao quer? Infelizmente nao sei a resposta! Vou dar o tempo dele que talvez ele precise, mesmo eu ficando chateada. Obrigada!!!!

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi, Duvidosa!
O que eu sinto é que muitas pessoas, assim como você, colocam o objetivo que têm à frente dos passos que precisam ser dados, do caminho a ser trilhado. Feito quem anda olhando para além do semáforo vermelho em um cruzamento de ruas bem movimentadas. E vai em frente, causa um baita acidente. Entende? É preciso viver o momento de agora, cuidar do passo atual, com uma direção certa, mas muita atenção por onde vai, sem distrações. Querer se casar é natural. Quem está casado, muitas vezes, quer ter filhos. Também é natural. Mas nada disso é regra, nem é o que de fato acontece na vida das pessoas! Tem gente que nunca se casa. Tem gente que se casa e, por motivos diversos, não tem filhos. Em comum acordo, ou não.
Amar e querer passar mais tempo junto. A vida é corrida pra todos. Trabalho, estudos, família, momentos necessários de solidão voluntária, amigos. Não que o par seja resto, sobra, nada disso. Mas muito mais vale ter momentos bons, de qualidade, do que ter uma quantidade enorme de momentos vazios, ruins, sem qualidade. Por isso, passar mais tempo juntos, talvez, pudesse ser trocado por momentos melhores, mais intensos, felizes, plenos de amor e cumplicidade. Que tal?
Por que será que ele não quer? Pode ser que ele não esteja andando no seu ritmo. Que não tenha as mesmas necessidades que você. E, certamente, não tem a mesma percepção que você tem. Pra ele, possivelmente, está bom assim o relacionamento. Pra você, apesar de gostar muito dele, falta algo hoje ( mais tempo) e falta planejamento do futuro.
Quem se relaciona, invariavelmente, tem que abrir mão de alguma coisa. Um dos dois vai abrir mão dos planos ( ele quer permanecer solteiro, sem filhos; você quer se casar e ser mãe).
Você é jovem, 37 anos. Mas é uma idade que, às vezes, já é preciso recorrer a métodos de fertilização para engravidar. Nem sempre, mas isso é comum. E é justo que queira um posicionamento dele perante essa sua necessidade. Não sei como foi até aqui o relacionamento de vocês dois, se desde o início você deixou claro que tinha essa pretensão e que se relacionava com vista para casamento e gravidez planejada. Então, eu não sei se ele está sendo desleal. Se isso surgiu de repente dentro de você, sem que nunca o tema tenha sido abordado, é uma novidade pra ele. E vale uma conversa adulta, séria, sem WhatsApp, sem mensagens escritas, algo solene, sério, em um ambiente seu, sem mais pessoas para participar da conversa. E falar abertamente o que quer, com objetividade, sem choro, sem discussão, sem aumentar a história. Ir direto ao assunto: gosto de você, tenho 37 anos, minha intenção é me casar e ter filhos ( assim, sem dizer que casar COM ELE e ter filhos DELE). Se você não quer isso, eu não vou ficar com você até ter 40 anos e descobrir que não poderei engravidar facilmente. Isso é o que você quer pra sua vida. E é você quem tem que decidir, se vai ficar com ele e abrir mão do futuro que sonhou, ou se vai seguir com ele.
Quando li sua primeira mensagem, achei que fosse uma menina, com uns 20 anos de idade, talvez porque falou da conversa no WhatsApp ( desculpe, mas é muito juvenil isso, falar algo grave no Whats).
Pare, reflita, pondere. A vida voa, não perdoa nossas dúvidas, medos, nada. Pense no que você quer, pra que amanhã você não tenha arrependimentos.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Bom meu caso é que ele ja foi casado e tem um filho, casamento dele diferente do que vivíamos, pois sou pra frente Alegre trabalhadora, formamos um ótimo para lutando correndo lado a lado no sexo também compramos o apartamento com 10 meses de namoro hoje temos 2 anos e meio o apto ta saindo... Ele Ele minha irmã discutiram bêbados no outro dia ele disse que pedia desculpas e que estava terminando por ali nosso relacionamento pois estava inseguro medo de me fazer passar vergonha la na frente que não sabe se quer casar se novo..... o que estou fazendo dando um gelo nele to magoada pois fez isso, não tenho dúvida que me ama pois éramos demais juntos porém ele ta inseguro e eu triste dói demais estou com 30 sou doida pra ser mãe quando olho as fotos do meu apto perto de sair dói muito

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Como eu digo muitas vezes aqui: tenha calma!
Uma discussão embriagado. Pior, pelo que entendi sua irmã também estava embriagada. Portanto, ninguém tinha razão naquele momento.
Sabe, não sou hipócrita. Um vinho, ou uma cervejinha, isso enquanto a gente ouve boa música, ou quando está bem acompanhado, pode ser relaxante e é mesmo muito gostoso. Com limites! Uma, duas doses. E olhe lá!
Acho que você precisa ver isso com muita atenção e cuidado. O álcool em excesso destrói vidas, relacionamentos, oportunidades. Acaba com a felicidade!
Nada termina porque um sujeito bebeu e discutiu com a irmã que também bebeu. Nada disso. O problema não foi, simplesmente, esse episódio lamentável. Não sei o que houve, não os conheço. Mas, a questão é outra. Ele deve estar inseguro por outra razão e despejou isso naquele momento de bebedeira. Medo de te fazer passar vergonha por que? Por qual motivo? Você deve saber!
Dar um gelo? Você tem que resolver em primeiro lugar o problema do álcool. Em segundo lugar se decidir, se quer uma vida dessas, ou se quer uma vida promissora, com equilíbrio, respeito e paz. E isso elimina o excesso de álcool e impõe a serenidade, a responsabilidade sobre a própria vida e o futuro de seu lar. Quer ter filhos? Se ele bebe e perde o controle do que faz e diz, como ter filhos com ele? É vendo isso que seu filho será educado?
Pense bem, querida. Casamento exige muita, mas MUITA responsabilidade. E chegar ao ponto de beber, brigar com a cunhada, dizer que tem medo de te fazer passar vergonha lá na frente, isso não é bom sinal. Isso não seria bom pra uma criança, realmente, não!
Melhor começar do zero, com ele ou com outra pessoa, ou sozinha. Desse jeito, impossível pensar em casamento.
Beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

Olá Td bem eu vou casar esse ano e estou inseguro em casar tenho medo de não conseguir o q eu e minha noiva precisa e minha sogra força a barra pra casar o q faço?

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Por que está com esse medo? O que acha que não vai conseguir?
Se puder falar um pouco mais sobre isso, quem sabe trocando ideias a gente possa diminuir esse sentimento ruim?
Sobre a sogra: não permita que ninguém interfira negativamente no relacionamento. Isso vale pra qualquer pessoa, seja ela a sogra, ou alguém da sua família.
Estou aqui pra gente conversar mais.
Beijo,
Cláudia

Anônimo disse...

Oi, Cláudia! Sou a Lolacita (nome fictício, pois não consegui entrar com um nome diferente de "Anônimo"). Parabéns pela imensa ajuda que vc oferece a quem recorre aos seus sábios conselhos...
Tenho uma história que se enquadra muito bem na temática e, se vc puder me dirigir algum conselho, ficarei muito grata.
Namoro há 8 anos e casamento não está nos planos do meu namorado. Moramos juntos há pouco mais de um ano, por decisão dele. Não era o que eu queria, mas imaginei que pudesse ser um passo certo, em rumo do nosso casamento e da construção da nossa família. Mas ele não pensa assim. Ele não quer casar por nada. Nunca quis, na verdade. Mas só hoje percebo isso com clareza. Em cada fase do relacionamento em que discutimos isso, ele tinha uma desculpa diferente. E, pior que isso, ele também não quer ter filhos. Hoje, com 31 anos, isso me chateia demais... Por que continuei com ele mesmo sabendo disso? Bem, algumas vezes ele chegou a falar sobre casamento e filhos como algo distante. Como eu não tinha pressa, aceitei de boa. Outras vezes, quando eu percebia que ele não queria mesmo e só me enchia de desculpas, eu imaginava que com o tempo isso mudaria. Que, com a idade e nossa convivência, ele mudaria de opinião. Mas não. Ele tem 41 anos hoje e não mudou em nada seus pensamentos. Ele me parece querer levar uma vida totalmente individual para sempre. Trabalha muito e está financeiramente muito tranquilo, mas não quer abandonar, por nada, a tranquilidade de, além do trabalho, preocupar-se apenas e dormir (passa os finais de semana todos dormindo), ver seus filmes e ler seus quadrinhos de super-herois. Ele tem uma sobrinha linda de 7 anos, gosta muito dela, os dois se dão super bem, mas ele não quer filho, não quer responsabilidade...
Também não gosta de estar com a minha família. Moramos há duzetos quilômetros da minha cidade natal e ele deve ter ido pra lá comigo umas três ou quatro vezes, quase à força (porque fomos padrinhos de casamento de parentes e amigos meus de lá). Inclusive, em uma dessas vezes, quando ele viu que a noiva, de quem éramos padrinhos, tinha 6 casais de padrinhos, ele brigou comigo dizendo que não precisávamos ter ido, já que ela tinha vários padrinhos, nós não faríamos falta (!).
Ele não gosta de viajar. Prefere ficar em casa vendo filmes e lendo. SEMPRE. Sinceramente, não consigo entender como isso é possível, para alguém quer tem condições de fazer a viagem que quiser, quando quiser...
Eu juro que pensei que conseguiria faze-lo ver a beleza que ele estava perdendo em não querer essas coisas todas... eu queria convencê-lo, não o forçar. Mas fracassei. Fracassei feio. Ele não quer sair do mundo dele e percebo agora que não posso fazer mais nada.
O único plano de futuro que fizemos juntos, foi quanto à minha carreira profissional. Ele me apoiou muito a parar de trabalhar para fazer alguns investimentos profissionais que precisava. Mas, passado algum tempo, ele parece que, na verdade, usou isso para me manter com ele mesmo não tendo os mesmos planos que eu. Nosso relacionamento é conveniente para ele. Afinal, um profissional com o porte dele, com 41 anos, deve ter alguém para chamar de namorada ou, às vezes, de esposa (detesto quando ele faz isso).
Mas, apesar de todos os pesares, somos ótimos amigos. Super parceiros. Ele sempre me ajuda com tudo (ou quase tudo) o que preciso e eu tb sempre estou à disposição dele. Mas o desgaste dessa falta de planos por parte dele está batendo muito forte. Gostamos de ficar junto, mas não temos uma noite romântica há nem sei quanto tempo... Eu amo ele, e sei que o sofrimento será dilacerador quando nos separarmos. Talvez para ele também. Afinal, depois de tanto tempo, é difícil acostumar-se sem a pessoa ao lado. Mas sei que é isso que devo fazer. Voltar ao mercado de trabalho, readquirir minha independência financeira e seguir minha vida, enquanto há tempo. Mas dói. É difícil, muito difícil...

Cláudia Cavalcanti disse...

Lolacita,

Agradeço a sua participação, a questão enviada. Li atentamente o seu relato. Direi o que penso a respeito.
Não conheço vocês dois, portanto a parir da minha própria experiência ( tenho idade para ser sua mãe), direi o que achei disso tudo.
Você não está trabalhando. Meu Deus! Juro que quase caí da cadeira, derrubei o notebook, engasguei com o café que estava bebendo. Não posso acreditar nisso! Uma moça inteligente, articulada, escreve bem. Volte imediatamente ao trabalho, por favor! Se vai ficar com ele, ou não. Se vão se casar, ou se separar, apesar do que houver, volte a trabalhar! Ninguém pode depender de ninguém! Nada pior que passar por um drama pessoal desses e não ter como dar os passos seguintes, por estar paralisada, criando limo no mesmo lugar.
Sobre o relacionamento de vocês dois. Ele não é obrigado a duas coisas: querer ter filhos, querer estar com sua família e seus amigos. Isso seria ele deixar de ser ele mesmo, apenas para agradá-la. Por maior que seja o seu sonho de casamento, filho, etc, ele não é obrigado a fazer nada disso. Ninguém é obrigado a nada disso e não há erro, defeito, nenhum mal nisso. A sua atitude perante isso, Lolacita, é imatura, é muito mimada. Uma mulher de 31 anos que não trabalha e age como uma adolescente birrenta: eu quero, quero e quero!
Ele já tem 41 anos, ninguém muda, muito menos nessa idade. Como eu falei, ele é quem ele é. E não é obrigado a nada.
Morar juntos, muitas vezes ( ouso dizer que quase sempre) encerra a possibilidade de casamento formal, aquela coisa romântica da igreja, véu e grinalda.
Super parceiros, é? Em que? Você quem compra as histórias em quadrinhos pra ele, é isso? O cara não gosta de nada que você gosta. Não está nem aí para a sua tristeza, se você espera mais dele e do relacionamento. Não e não mesmo, você não é esposa dele. Ele não a considera esposa, só seria esposa se a situação fosse agradável, confortável, satisfatória para ambos. Não está assim.
Ele se acomodou, pra ele está bom do jeito que é. E você não tem mesmo que aceitar, desde que não esteja feliz.
Mova-se, mexa-se, atreva-se! Ouse ir além, não fique aí parada, esperando que ele mude de ideia, ou que a solução caia do céu. Você terá que estudar, trabalhar e ir buscar a solução sozinha. Fazer a sua vida. E se vai continuar com ele, ou não, disso dependerá o amor, que esfriou pra caramba, ser reativado.
Ser amiguinha e parceira do cara que não quer se casar com você, nem quer ser pai dos seus filhos, isso combina com o fato de estar aí, fora do mercado de trabalho.

É o que tenho pra te dizer. Estou à disposição para falarmos mais sobre isso.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

OLA EU NAMORO A QUASE SEIS ANOS E NO FINAL DO ANO PASSADO FIQUEI NOIVA SO QUE MEU NAMORADO NAO FALA DE CASAR ELE ME ENROLA MUITO NAO AGUENTO MAIS EU BEM MAL POR ESTAR PASSANDO POR ESSA SITUAÇÃO O QUE DEVO FAZER?

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

Você e seu noivo já se conhecem faz tempo. O relacionamento evoluiu para o noivado. Deve existir entre vocês dois um elo que permita conversar sobre esse assunto. Se esse elo não existe, se você não consegue dizer pra ele o quanto isso a preocupa e magoa, então é melhor você analisar com muita seriedade o que há de errado no relacionamento. Tem que existir confiança, tem que ser possível falarem sobre tudo e entrarem em acordo. Será assim ao longo do casamento diversas vezes, sempre buscando ajustar as diferenças e entrar em acordo sobre diversos assuntos.
Se você ainda sente amor por ele, afinal depois de tanto tempo de namoro pode ter havido desgaste da relação, converse com ele. E sinta a reciprocidade dele, se ele te ouve, se ele te compreende e se tem como traçarem os planos do casamento sem que nenhum dos dois se sinta prejudicado.

Converse com ele, é o que penso. Volte aqui sempre, para conversarmos mais vezes!

Beijo,

Cláudia

Mariana disse...

Oi Claudia, tudo bem? Nossa, estou admirada com a sua atenção destinada as leitores. Já agredeço imensamente.
Meu caso é parecido com vários relatados. Comecei a namorar aos 20 anos, durante a faculdade, e hoje em dia já estamos juntos há quase 9 anos. Ele nunca foi de planejar nada, inclusive, esse já foi motivo de várias briguinhas no inicio do relacionamento. A questão é que até pouco tempo, não tínhamos condições financeiras para nos casamos, e por isso, todas as minhas tentativas de fantasiarmos um pouquinho sobre o casamento foram frustradas. Atualmente ainda moro com meus pais e ele mora com um colega do trabalho, numa cidade próxima, pois passou em um concurso público e teve que mudar. Nossa condição financeira está melhor e sinto que está na hora de começarmos a planejar nosso futuro. Conversando hoje com ele, soube que casar, com direito a papelada e igreja, não está nos seus planos (e eu imaginando um possível pedido de casamento) ele considera que a diferença entre namoro e casamento é o fato de morarmos juntos, então, não precisaríamos nos casar formalmente. Nunca fui a mais fanática por casamento, mas sempre pensei que casaria. Depois disso, minhas expectativas foram parar no chão. Como lidar com isso? Imagino que algum de nós terá que ceder, para ficarmos juntos, né? Será que eu, caso decida apenas morar junto não vou, no futuro, pensar em como poderia ter sido o casamento?
Por outro lado, do que adianta uma cerimônia linda, se o noivo não fizer questão de estar ali?
Acho que é muita ingenuidade esperar que ele também queira se casar da mesma forma que eu, né? As pessoas são diferentes.
O que acha?
Muito obrigada,
Beijos
Mariana

Cláudia Cavalcanti disse...

Mariana,

Bom dia! Você, no fundo, sabe as respostas para todos os seus questionamentos. Vou copiar aqui algumas perguntas suas e excluir o ponto de interrogação que você deixou no final da frase. Vamos lá:

Imagino que algum de nós terá que ceder, para ficarmos juntos, né (?) Será que eu, caso decida apenas morar junto não vou, no futuro, pensar em como poderia ter sido o casamento (?)
Por outro lado, do que adianta uma cerimônia linda, se o noivo não fizer questão de estar ali (?)
Acho que é muita ingenuidade esperar que ele também queira se casar da mesma forma que eu, né (?) As pessoas são diferentes.

Mariana, eu sou de outra geração, muito anterior à sua geração. Certamente, você tem idade para ser minha filha. Eu tinha sua idade na década de 80. Naquela época a gente não podia transar com o namorado antes de se casar, claro que todo mundo fazia isso, mas era sigiloso, às escondidas, a família nunca poderia saber. Por isso mesmo, morar juntos era algo absolutamente impensável. Era preciso se casar para poder sair de casa, morar juntos e transar em paz. Tudo parecia muito repressivo. Por exemplo, não podíamos uns dormir na casa do outro, quando íamos pra casa de veraneio da família, cada um era obrigado a dormir em um quarto diferente do outro. E a gente tinha um monstro que nos perseguia: o medo de engravidar, isso seria uma desonra que nos forçaria a casar às pressas, com os pais indignados e sofrendo a pior vergonha.

Apesar disso, quando eu me lembro de momentos que vivi na década de 80, aos 20 anos de idade, eu sinto uma saudade absurda. Nunca fui tão feliz assim, porque a vida muda, as pessoas vão e vêm, nada mais foi igual.
Não é raro eu tentar imaginar como teria sido, se eu fosse hoje uma jovem de 20, 30 anos de idade. Eu teria ido morar com aquele rapaz com quem me casei. Nós dois dormiríamos um na casa do outro. Todos os problemas que tive depois de casada seriam antecipados, alguns amenizados, outros agravados. Certamente, não teríamos nos casado formalmente, no máximo teríamos ido morar juntos e isso detonaria rapidamente o relacionamento. Por outro lado, teríamos observado claramente que o casamento era algo precipitado, que não daria certo casar antes de termos concluído, ambos, pós-graduação e o dois termos empregos lucrativos e estáveis.

Voltando para o século 21: você também trabalha? Ele é concursado, mas e você, o que faz? Cursou alguma faculdade, tem profissão? Porque casamento, Mariana, ao contrário do que a gente imagina quando ainda não entrou nesse caldeirão fervendo, não é uma coisa linda, segura, fofa e com garantia de felicidade. Ao contrário. Casamento é uma corrida de obstáculos em uma montanha bem alta e íngrime. Detalhe: a corrida é no escuro, na descida e sem cordinha pra segurar. A maioria despenca lá do alto.

Somente se case quando o casamento, de um jeito bom e natural, for o resultado da soma de esforços em comum, o desejo de ambos, algo claro, positivo, sem que um peça pro outro ceder, mudar de ideia. Você espera dele um posicionamento que ele provavelmente não terá. Não irá mudar de ideia. Porque ele construiu uma realidade gostosa pra ele viver. Ele tem o trabalho dele, mora em outro lugar, está com você sem precisar descer aquela montanha íngrime, saltar obstáculos sem soltar sua mão. Entende?

As pessoas são mesmo diferentes. Mas, apesar de muitas diferenças, somente é possível se casar quando o amor é equivalente, os valores morais são equivalentes e o desejo de casar é equivalente. Se ele não faz questão, cuide de seu bem mais precioso: VOCÊ! Invista em sua profissão, em novos projetos, novos horizontes. Apesar dele não querer um casamento formal, você poderá ceder e ter com ele uma vida em comum, até morar juntos em uma união estável. Mas, só faça isso se for confortável, agradável, se isso te satisfizer plenamente. Ceder nem sempre é algo bom. Às vezes é algo violento, que corrompe sonhos, que contamina definitivamente a felicidade de uma pessoa.

Estou à sua disposição para voltarmos a conversar.

Beijo, boa sorte.

Cláudia



Anônimo disse...

Olá Claúdia!
Tenho 25 anos, e ela 31 anos. O nosso namoro dura apenas 1 anos, 4 més e 4 dias, eu ja conheci os pais dela, ela tem um casal de filhos, e nós nos damos bem! (ela já foi casada há 4 anos). Bom, eu admito que sou apaixonado por ela, eu a amo, fico com ela nos momentos tristes e alegres, compartilhamos a nosso amor. Ela mora com os pais dela, depois da separação, sempre visito.Mas o problema, quando toca no assunto de casamento, ela fica me forçando p eu casar com ela. Só fico conversando com ela, numa boa, -veja bem, meu amor, o que penso neste instante é na estabilidade financeiro, ou seja, procuro o emprego, trabalhando p ter mais responsabilidade, p eu ser um homem maduro. Mas prometo que vou te namorar até chegar o momento certo p a gente casar!
To no limite, cara! Já arrumei o emprego, ta tudo bem por aki! Mas, quem toca no casamento é ela novamente! Só p falta uma coisa p ser completa, um carro e uma casa. Agora fica só insistindo!
O que eu tenho medo é perder a minha princesa que eu amo tanto, a gente se atrae um pelo outro. Mas, ela fala, se eu nao resolver estas coisas, vai terminar comigo. É só pegar ou largar! Só q eu nao falei q eu fui demitido da empresa.
Minha amiga, me diga o que faço? eu amo muito a minha deusa!
Tudo tá dificil só p mim!

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Você é muito apaixonado por ela, a mulher que considera uma "deusa". Mas, tire uns dias para refletir sobre tudo isso. Se não puder viajar sozinho, simplesmente fique quietinho, sem encontrar sua deusa, sem telefonar pra ela. Use esse tempo para fazer um balanço do relacionamento.
Aqui muitas moças chegam pedindo ajuda porque querem se casar, mas o namorado não quer se casar. A sua situação é o lado masculino, como se sente um homem que sofre a pressão, cobrança para casar com alguém.
Costumo dizer aqui que é preciso primeiro ter uma boa situação financeira, o casal tem que estudar, trabalhar, ter casa própria e não ter dívidas. Isso para começar, porque senão, os problemas serão muitos e a separação vai acontecer depressa.

Tire uns dias somente para pensar. Depois desse período, procure sua "deusa" e diga pra ela que foi demitido. Isso não é uma vergonha, ao contrário. Infelizmente, hoje em dia é bastante comum perder o emprego. Diga pra ela e peça que, por favor, não continue a insistir sobre o casamento, já que primeiro tem que ter estabilidade financeira para tanto.
Se ela o deixar, compreenda uma coisa: todos somos livres para nos relacionarmos com alguém, bem como somos livres para encerrar o relacionamento. Atração um pelo outro é bom, mas é pouco. Se não houver respeito, se ela não te escuta, se você não consegue dizer que está sem trabalho, se os dois não podem esperar alguns anos para o casamento, então não é amor. Não mesmo! Se ela terminar com você, volte aqui pra conversarmos novamente. E seja firme, forte. Ok?

Um beijo,

Cláudia

Mariana disse...

Oi Claudia, tudo bem? Vim agradecer seu post anterior. Muito obrigada por suas palavras e tempo.
Vim contar um pouquinho mais sobre minha vida profissional, não acredito que não mencionei nada sobre mim no post anterior. hehe
Nossa vida está ainda sem muita definição justamente porque eu estou ainda estudando em São Paulo. Sou Bióloga, professora e atualmente sou bolsista de doutorado, cuja previsão de término é em meados de 2019. Ou seja, por mais que eu queira casar, entendo que ainda não é o momento, pois não poderia me mudar para outra cidade e até mesmo
o pensar em possibilidades fica difícil pois intenciono, assim que terminar o doutorado, prestar concursos públicos para dar aula em alguma universidade, para sabe lá Deus onde. hehe
Portanto, acho que as coisas vão acabar ficando do jeito que estão, até lá.
Nossa relação é muito boa, aprendemos a lidar com a distância. Ele é extremamente paciente e compreensivo, apóia meus estudos e torce para eu conseguir um bom emprego no futuro. Talvez não estava em seus planos casar formalmente, mas viver juntos, sim.
Por fim, acho que só saberemos sobre o fututo, quando ele chegar, né?
Um beijo
Mariana

Cláudia Cavalcanti disse...

Mariana,

Sei o quanto é importante pra você ser feliz no seu relacionamento. Mas, muito antes disso, invista em VOCÊ. Acredite em mim, um dia você vai lembrar disso tudo, talvez daqui a quinze, vinte, trinta anos. E então, vai dizer baixinho: poxa, por que eu não fui pro exterior cursar uma pós-graduação? Ou, por que não fui de cabeça em algum projeto ligado à minha área de biologia, pesquisas, algo inovador? Eu era tão jovem, o mundo todo aos meus pés! Então, Mariana, olhe-se no espelho. Vai lá, vá se olhar no espelho... E quando você enxergar ali a Mariana, abra um lindo sorriso. Você é seu bem mais precioso. Você é seu MAIOR AMOR. Cuide de sua carreira, da sua profissão e abrace o mundo.
Amor é tudo na vida. Claro que sim...Mas, não devemos confundir amor com paixão. E, muito menos, relacionamentos problemáticos com amor.
Creia nas minhas palavras, você merece ser feliz. Faça seu doutorado, invista pra valer nisso. E ele? Ah, ele... Ele que corra atrás de você, se puder.

Beijo, o dia de hoje vale mais que mil futuros!

Cláudia

Anônimo disse...

Olá Claudia, boa tarde tudo bem?
Então me chamo Kamila tenho 26 anos e meu namorado 27 sou formada e trabalho na área. Namoramos a mais ou menos 2 anos entre idas e voltas.
Quando começamos a namorar moravávamos na mesma cidade após uns 8 meses de namoro por alguns problemas terminamos e eu me mudei de cidade que fica a uns 290 km de distância. Mas nesse período em que eu estava me mudando (me mudei por que minha família queria ir para uma cidade mais tranquila) voltamos a conversar e consequentemente voltamos a namorar, mas nosso relacionamento não deu certo devido à distância. Após esse termino ficamos separados uns 7 meses mais ou menos, mas conversávamos através de redes sociais, na verdade ele voltou a conversar comigo e como sempre fomos bem amigos temos muitas conversas em comum.
Um tempo depois, voltamos a nos ver e ele me chamou para voltar e morar com ele. Como eu gosto muito dele de cara disse que sim que eu iria porque no fundo sempre esperei alguma atitude dele que me provasse que ele me amava realmente. Mas como nada na vida é fácil isso foi ficando complicado. Minha família é muito conservadora e nem dormir na casa dele eu podia, pois iria acarretar um clima desagradável em casa e ele nunca gostou dessa parte porque ele sempre teve liberdade e pela idade diz que não está disposto a seguir regras já que ele é um adulto e eu também nisso até concordo, mas sou um pouco insegura e sempre fui muito mimada por minha família. Hoje a gente se encontra de 15 em 15 dias e por uma cobrança da minha família com ele, as coisas foram ficando complicadas tanto para mim quanto para ele. Ele diz que não acredita em casamento e que serve para afastar as pessoas, conversei com ele e chegamos à conclusão de que esse namoro a distância não iria funcionar que a gente precisa tomar uma atitude, ele quer morar junto e eu queria casar nem que fosse no civil por causa da minha família e também pra sentir mais segurança no nosso relacionamento sei que esse compromisso é muito sério e que não será um mar de rosas pelo contrário sei que teremos dificuldade, pois vou ficar longe da minha família e começar uma vida nova totalmente diferente, só que morar sozinha não é minha primeira opção não tenho condições emocionais (financeiramente me viro sozinha) de voltar pra minha cidade e morar sozinha nem meus pais aceitariam isso. Mas o momento que estamos vivendo ou tomamos uma atitude para ficarmos juntos ou nos separamos de vez. Eu gosto muito dele e sei que ele me ama também só que o que eu vejo é que nem eu nem ele estamos tendo maturidade para lidar com a situação.
Estava lendo seu texto e os comentários de outras pessoas, suas respostas são muito esclarecedoras e isso me ajudou a abrir a mente para muitas coisas e além de tudo ver que isso não acontece somente comigo. Parabéns pelo seu trabalho e espero uma resposta sua. Desde já agradeço a atenção, um abraço.

Cláudia Cavalcanti disse...

Kamila,

Olá! É delicada a sua situação. Muito!
Se ele te ama, como você disse aqui, por que ele não aceita se casar com você?
Sabe, querida, quem ama a gente multiplica, adiciona, divide. Jamais subtrai. Você vai abrir mão da cidade onde mora, da proximidade com sua família e, além disso, da sua vontade de se casar.
Idas e vindas, já terminaram o namoro antes, pelo que entendi mais de uma vez. E, pelo que entendi aqui, ele não se dá muito bem com sua família.
Gostei da sua sinceridade, você admite que não tem condições emocionais pra morar sozinha. Agora, pergunte-se com muita firmeza: você tem condições emocionais de se afastar da sua família, para começar a vida longe deles, ao lado de alguém que não quer se casar com você?
Amor, querida, é algo grandioso. Ele te ama mesmo? Será?

Minha sugestâo: não tome agora nenhuma decisão. Não assuma o compromisso de morar com ele por enquanto. Dê um tempo razoável, de pelo menos mais um ano. E vá levando o namoro assim, a cada 15 dias se encontrando com ele. Se o relacionamento sobreviver a essa prova dura, quem sabe nesse tempo vocês dois encontrem uma solução menos dramática, menos agressiva, menos dolorosa? Porque se é para você ir embora com ele, morar junto e sofrer, tudo vai dar errado. Creia nisso!
Estou aqui para você conversar mais comigo sobre o assunto. Escreva quando quiser.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Cláudia,
Bom dia! Obrigada pela resposta me ajudou muito, vou seguir sua sugestão sim dar tempo ao tempo e ver no que vai dar. Uma coisa muito importante que aprendi é que agente nunca perde o que nunca foi nosso. Eu gosto muito dele e sei que ele também gosta muito de mim e ambos querem que o outro seja feliz, tenho certeza que com o tempo vamos saber resolver tudo da melhor forma possível terminando juntos ou separados. É o que sempre falamos um ao outro.
Muito obrigada e parabéns você é uma pessoa muito especial vejo isso pelas palavras de cuidado e carinho que tem com todos que te escrevem aqui.

Beijo,

Kamila

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia, Kamila!

Todos somos muito especiais. Você é muito especial.
Cuidado com aquilo o que deseja pra si. Casamento é resultado, não é meio de se atingir um objetivo. Querer mudar de vida, ou querer estar ao lado do namorado, passar por cima das suas certezas, dos seus valores, deixar para trás o que é positivo. Não faça isso com sua vida, ok?
Nem sempre o amor, por grandioso que seja, é o bastante para que duas pessoas fiquem juntas nesta vida. Muitas coisas acontecem pelo caminho. Mas, viver o amor com a gratidão de quem o recebe de braços e coração aberto, isso dignifica esse amor. Que dure um segundo, um ano, ou uma vida, o amor foi feito para florescer sem cobranças, sem maus tratos, sem que um ofusque a luz solar do outro. Se seu namorado e você decidirem encerrar o relacionamento, comece a criar meios para você ser alguém independente de qualquer pessoa. Independente emocional e materialmente. Se não consegue, se está com medo, dúvidas, insegura, eu sugiro que busque ajuda com um psicólogo, isso costuma ajudar muitíssimo. O autoconhecimento nos conduz a uma vida plena de boas realizações.
Coragem, menina! E venha aqui sempre, gostei muito de falar com você.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Cláudia,

Parece que você já me conhece pelo pouco que falei, me sinto assim mesmo sou muito insegura e sinto medo por tudo. Já pensei em procurar ajuda pra melhorar isso em mim e é isso mesmo que vou fazer, procurar me conhecer e descobrir o que eu quero de verdade.
Obrigada por me ouvir e pelas palavras vou voltar sim com certeza.

Beijo,

Kamila

Cláudia Cavalcanti disse...

Kamila,

Provavelmente, nós não nos conhecemos. Mas, o seu problema é algo que conheço muito bem, já passei por muitas situações parecidas ao longo da vida. Além disso, você deve ter observado isso, quantas pessoas atravessam um drama parecido com o seu? Muita gente!
Busque sim um psicólogo, uma psicóloga. Conversar te ajuda a encontrar o fio da meada. Você precisa se fortalecer!

Beijos, venha sempre!

Cláudia

Anônimo disse...

Oi Cláudia, tenho 30 anos, meu namorado 33 anos, namoramos há 4 anos. Temos uma vida financeira estável, somos estudiosos e trabalhadores, os dois.
Eu sempre tive uma vida confortável, ele não, era muito pobre, mas conseguiu vencer na vida.
Os pais dele são separados, tiveram um casamento difícil, a mãe foi muito maltratada, até que se separaram. Mas aparentemente se dão bem, cada um no seu canto.
Conhecemos a família um do outro, e nos damos bem.
Quando comecei a questionar sobre casamento, ele disse que nunca iria casar, pois não queria viver o que os pais viveram, e isso vem se estendendo...
Eu sempre tive o sonho do conto de fadas, casar (com tudo que tem direito), viver o casamento por um tempo e depois ter filhos...
Mas há um tempo (+-2 anos) ele está irredutível! Não quer casar, nem ter filhos, se eu toco no assunto ele se chateia, até fecha a cara p meu lado, é um assunto que mexe com nós dois.
Por um lado, ele é muito bom p mim, companheiro, fiel que eu saiba, carinhoso, amigo, confidente. Por outro, não quer nada mais que namoro.
E isso está me atormentando, pq o relógio não para de andar!
Ele até já me disse que eu devo decidir pq estou ciente da vontade dele, mas ele tb está ciente da minha e não põe fim a relação.
Quero terminar, mas não consigo, como é doloroso! Tenho medo de perder uma pessoa que me faz bem, mas não quero anular meus sonhos por ele, e viver uma vida frustração no futuro! Isso está me consumindo!

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!

Ele mesmo lhe disse que não quer se casar e que não quer repetir o drama vivido pelos pais. Realmente, a chance de alguém repetir o comportamento dos pais existe. A não ser que essa pessoa busque ajuda, por exemplo ajuda psicológica. Infelizmente, isso é fato. E ele parece ser lúcido e sincero, foi ao ponto que o incomoda e fez a comunicação de modo claro: não quer se casar.
Você diz que isso vem se estendendo. O que você esperava? Que ele amanhecesse tonto de amor, com o coração em chamas apaixonadas e caísse aos seus pés, para te pedir em casamento?
Desculpe meu jeito de falar, mas você passou todo esse tempo, em torno de dois anos, com ele. E ele avisou: não vou me casar!
Resta a você decidir o que quer. E assumir os prós e contras dessa decisão, porque toda escolha equivale a desistir de algo. Escolhe uma coisa, desiste de outra. E é preciso ter muita responsabilidade para assumir as próprias escolhas. Se terminar com ele, para se casar... Casar com quem?... E ter filhos, já que tem um tal de relógio batendo, andando... Se você tomar essa decisão e terminar com ele, saiba que alguém que já sofreu tanto quanto ele, não vai facilitar uma reconciliação. Ele é machucado pela vida. Se você terminar, esqueça que ele existe. É por aí!

Entendo que seja doloroso. Espero que faça uma escolha que jamais cause arrependimento futuro. Gostaria de ter a solução, tudo o que posso fazer é continuar a conversar. Volte ao blog e escreva sempre que sentir vontade de falar comigo.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

bom, o post ja faz anos ne. nem sei se receberei algum coment, mas tudo bem. tenho 41 ela 31. namoramos ha quase 4 anos entre idas e vindas. desde que a conheci tive um amor que nunca tive no meu coração. Sempre enfatizei o sentimento que tenho, os sonhos que despertaram em mim depois que a conheci: casamento, filhos (eu ja tenho um do casamento anterior), casa e sonhos a dois. Sou uma pessoa muito romantica que gosta sempre se estar agradando e sei que isso me atrapalha nesse relacionamento, mas infelizmente ou felizmente faço tudo que meu coracao pede pois amo muito essa mulher. Ela de certa forma se aproveita de todo esse meu romantismo, mas confesso que a culpa é minha. Tres dias atras brigamos pq estou construindo uma pequena casa para nós e comentei que o dinheiro nao ia dar p terminar a casa, e ai ela argumentou que eu deveria ter contratado uma empreiteira e não um mestre de obras particular. Eu falei que nao segui a ideia dela porque o dinheiro era pouco para contratar uma contrutora e falei que ela poderia me ajudar nao fosse a individualidade dela de abrir um novo negocio, que a uniao faz a força pois eu acredito que se o sonho da casa é para finalmente termos nosso lar e nosso futuro, entao eu acreditei que ela deveria fazer parte nao só como personagem mas também como uma protagonista ativa dos nossos sonhos. Entao, ao ouvir a palavra individualista ela ficou irada comigo e deslanchou a falar varias coisas me atacando, dizendo que aquilo que eu acabara de falar era muito grave. Eu falei que gostaria de me sentir seguro na relaçao para poder falar esse tipo de coisa grave, mas ela nao parou. Hoje faz 3 dias que nao nos vemos. Eu falo que estou com saudade e ela diz que eu tenho que assumir as consequencias daquilo que falei no dia antenrior, tudo bem. Nao tenho estado bem de saude esses ulimos seis meses e hoje eu tive a coragem de dizer a ela, por mensagem, que eu preciso que ela se resolva comigo, pois desde o inicio ela sabia que eu tinha o sonho de casar com ela, ter casa e ter filhos. Pedi a ela que se ela nao me ve como marido, se nao sonha em me ver todos os dias ese nao me enxerga como pai dos filhos dela, entao que ela me diga. Falei a ela que ia sofrer demais, mas que eu entenderia. Cheguei a esse ponto pois eu nao aguento mais sofrer com duvidas se ela quer ou nao compartilhas do sonho de casamento, casa e filhos. A diferenca sao de 10 anos entre eu ela, nao tenho mais como fingir que sou jovem, pois nao sou. TUdo que eu fiz nesses ultimos 4 anos foi para mostrar a essa mulher que realmente eu quero viver ao lado dela. MAs infelizmente tiveram episodios que balancaram nossa relação (maes se metendo, amiga dela se infiltrando, irma divorciada se metendo, etc). NA verdade eu sempre fui engolido pela mae e irma dela. Na minha casa ela sempre foi bem tratada, mas teve um belo dia que minha mae acabou falando algo p ela que eu nao pedi. isso abalou demais, e outras coisas tambem como ela manter contato com ex marido, ganhar cachorro de presente dele, receber ligacoes dele pedindo favores e etc. DO meu lado eu sempre que brigava com ela saia para beber com os amigos nas festas. Tudo bem que eu so pensanva nela e com o sentimento forte no meu peito, jamais a trai. Mas enfim eu saia e isso poderia parecer que eu estava atras de alguem, mesmo sem estar. Hoje eu escrevo essas linhas esperando alguem dizer que fiz certo ou errado. de certa forma a pressionei para ela me dizer o que ela quer comigo, mas eu nao sabia mais o que fazer. Estou sofrendo demais, muito. Mas finalmente eu consegui ter a coragem de falar a ela que meu sonho é de casar e ter filhos com ela e que se nao for o sonho dela, que ela me diga e sigamos separados. hfnavajo@gmail.com

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Você deixou seu e-mail aí. Um e-mail valioso, afinal um príncipe com um castelo em construção chegou ao blog, finalmente! Não estou ironizando, entenda como um elogio!
Ser romântico, cuidadoso, responsável, sonhador, isso tudo são qualidades fundamentais para edificar um bom relacionamento a dois. Pessoalmente, considero o romantismo requisito básico para relacionar-me. Sem isso, tudo fica muito árido, triste, impossível de ser vivido.
O que está acontecendo com vocês dois, provavelmente, é que o relacionamento chegou ao fim. Isso não significa que você não vá se casar com ela, que não vá ter filhos com ela. Muita gente arrasta um esqueleto atrás de si, se casa com o esqueleto, tem filhos com o esqueleto. E um dia se separa do esqueleto, cheio de mágoas e sofrimento porque o esqueleto foi insensível e cruel.
Você se acha velho, é? Está deprimido! Só pode ser! Não é velho, nem chegou à metade de sua vida!
Todo relacionamento atravessa altos e baixos, mas os baixos precisam ser vividos com respeito e deles ser tirado um proveito positivo para fortalecer a união. Se ela se entende bem com o ex, se dele ganhou um cachorro ( cachorros, sim, grandes amigos!), ou se você vai a festas com amigos, isso tudo faz parte desses baixos do relacionamento que precisam ser utilizados como uma espécie de adubo para alimentar a relação. Há como resolver essas coisas, sem abrir mão dos amigos, nem do cachorro, evidentemente.
Ela não o compreende. É mimada por você. Uma tirana que sabe que se estalar um dedinho, você correrá atrás dela. E sua mãe andou dizendo alguma coisa que pode ter sido inoportuna, mas aposto e ganho que foi bem merecido pra sua namorada, que já considero malvada e enjoada.
O que há com você? Tanta mulher bacana neste mundo! Tanta mulher que busca de modo incansável um homem como você! Nossa, você é romântico, você quer se casar e ter filhos! Se você ler os comentários das leitoras, esses acima do seu comentário, entenderá que 90% das mulheres estão procurando alguém como você! Se sua namorada se acha a última bolachinha do pacote, azar o dela! Ela que dê valor a você, ou vai te perder ( a não ser que você queira se casar e ter filhos com o esqueleto).
Está doente? Podemos falar muito mais sobre isso tudo.
Deixou aqui seu e-mail, não sei se por engano. Por esse motivo, respondi por aqui mesmo. Se desejar continuar a conversa sem publicar, envie para claudiacavalcanti2014@gmail.com
Espero ter ajudado, de alguma forma. Força, seja firme e não se rebaixe ainda mais para alguém que não valoriza qualidades belas e fundamentais em um homem.

Um beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Passei por uma situação recente. Eu tinha minha casa, separado, ela a casa dela, também separada. Por questões da vida, começamos bem, ela passando na minha casa e vice-versa. Eu já fazendo planos, ela dizendo que já estava se acostumando a dormir com uma pessoa depois de mais de 7 anos, então veio o meu desemprego. No inicio ela me chamou para morar com ela, achei nobre, ela me ajudou e eu fazia planos para morarmos juntos, dividirmos as despesas, ajudava nos afazeres da casa, não sou bom cozinheiro, mas faço reparos e sei lavar bem a louça.
No entanto, quando o pai dela vinha visita-la (ele era de outro Estado), ela pedia para eu ir dormir na casa de minha mãe. No inicio não desconfiei por que havia justificativa de que o pai não poderia saber. Eu não gostava desta justificativa, assim como não gosto de mentiras.
Só que a crise está demorando a passar, tenho mais de 40 anos e faculdade, ela bancando a casa e eu fazendo bico ajudo, porém a ajuda maior era dela. Ela gosta muito de sair e percebi que reclamava que ficando em casa entrava em depressão. Eu dizia que havia meios de diversão sem gastar.
Percebi que a relação estava desgastando por causa disto, mas não brigávamos. Só conversávamos. Notei algumas indiretas e conversei sobre o assunto e de ter que me ausentar por uma semana, esconder-me.
Então ela me disse que o meu desemprego foi um tempo maior que ela esperou, que julga que errou por me chamar a morar na casa dela, afinal a proposta dela é de que cada um morasse em casas separadas e continuássemos levando a um eterno namoro, afinal ela me ama.
Fiquei surpreso por que não esperava esta resposta de morar sempre em casa separadas, afinal já fazia planos de morarmos juntos. Não sei se foi o motivo de desemprego que acelerou, mas ela não quer romper, quer continuar o namoro e passearmos, ir ao cinema, quando eu estiver empregado. E disse ainda que o namoro é para passarmos os tempos bons juntos. Eu disse que amar é viver todo o tempo, os bons e os maus, ela não concordou. Assim não dá para levar a frente, na minha visão. Quero uma compania para sermos unidos nos bons e maus momentos, vencermos juntos as dificuldades.
Muito decepcionado.

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

Entendi perfeitamente bem a sua situação. Espero conseguir ajudá-lo a pensar um pouco mais sobre tudo isso, quem sabe encontrar alguma solução. Vamos lá:
Estamos vivendo, todos nós, brasileiros trabalhadores e honestos, uma crise econômica sem precedentes. Não sabemos se, ou quando, isso vai melhorar. Por isso mesmo, muitos estão desempregados, outros viram seus negócios naufragarem, sonhos tiveram que ser interrompidos. É trágica a situação. Você é uma dessas vítimas do caos. Lamento muito por você! Acho que compreendi bem que saiu de sua casa e foi para a casa dela, devido ao desemprego. E ela passou a assumir as despesas da casa, com as quais você contribui modestamente, fazendo bicos, já que está agora sem trabalho fixo.
A sua decepção, que é mais do que justificada, provém da expectativa enorme que depositou no relacionamento e na sua namorada. A gente somente se decepciona quando espera muito mais de algo, ou de alguém.
Uma das pilastras para que um relacionamento tenha sucesso, hoje em dia ( esqueça o antigamente do tempo da vovó, ou aqueles que vivem em comunidades isoladas dos centros urbanos), é a prosperidade material. Ter casa própria, ter emprego fixo, ter as finanças bem organizadas e poder fazer projetos a médio e longo prazo. Infelizmente, a vida humana hoje é assim. E quando alguém fica desempregado, como é o seu caso, se sente deslocado. Não é raro, além de perder a capacidade financeira de compra, ainda perder o par, ou seja, a namorada, esposa, o marido, esposo. É assim, meu leitor querido. É a vida da gente agora.
Isso é certo? Não, claro que não. O ser humano se tornou materialista demais. Somos avaliados pelo nosso currículo e pelos dígitos em nossas contas bancárias. Se somos honestos, bondosos, generosos, respeitosos, divertidos, nada disso interessa, contato que possamos viajar pelo mundo, usar roupas caras, ter carros caros, casas caras, tudo caro. E o coração fica em último lugar, todo quebrado e sofrido.
O que fazer, meu amigo? Eu sugiro que tenha uma última conversa com ela e exponha a sua fragilidade, a sua insatisfação. Porque ela está agindo de modo frio e imediatista. Amanhã a vida muda, você vai novamente estar trabalhando, vai poder ir ao cinema, morar bem, viajar, passear. E vai saber o que o destino reserva pra ela, não é?
Tenha uma última conversa. Entendo seu desapontamento. Esse é o alto preço que hoje pagamos, por sermos boas pessoas, que apenas querem trabalhar e ter o pão de cada dia.

Um abraço e volte para falarmos mais.

Cláudia

Anônimo disse...

Oi Cláudia, obrigado por me responder. De fato é isto mesmo. Sua resposta vai de encontro a minha percepção, coisa que eu não havia percebido antes, até porque eu vim de uma recuperação de saúde, onde havia rompido o ligamento do pé - ainda está rompido por ter epilepsia de grande mal que está sendo tratada e me obriga a tomar remédios controlados - e deixei claro desde o inicio da relação sobre isto, fui transparente.
Ela por sua vez me disse que iria cuidar de mim, o que me chamou a atenção à época por que eu não falei por pedir auxilio em cuidar de mim, eu mesmo já estava me cuidando, mas para ter paciência devido a minha dificuldade em subir ou descer escadas, dificuldade esta que já superei.
Eu vim de uma geração diferente, lembro da frase do casamento "...prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que a morte nos separe..." e, mais uma vez me decepciono com o fato de quando está tudo bom, está ao lado, na hora que ocorre uma 'dor de barriga', pula fora. Parece-me imaturidade, até por querer esconder do pai que estou desempregado, com mais de 14 milhões de desempregados. Ela tem casa própria, eu tive que devolver a minha que estava pagando, e vem me dizer que eu estou 'abraçando a infelicidade', sem levar em consideração que combato o efeito colateral de meu remédio de epilepsia, que é a depressão, com outro remédio.
Não perdi o foco de procurar emprego, todo dia estou a procura, faço ainda pequenos reparos na casa dela, coisa que ela pagava para outros e ainda economizava dando soluções mais em conta, e ainda fazia trabalhos para ela na rua, para não se ausentar do trabalho, além de acompanhar o trabalho do mecânico do carro dela e as vezes buscá-la no trabalho ou levá-la aonde queria. Fazia as coisas para agradá-la. Mas quando estava na casa de minha mãe, não ia me ver, justificava que era longe e não sabia chegar. E quando eu estava na casa de minha mãe, ela ia no cinema e shopping com a mãe dela ou outras atividades de diversão como se fazia na época de separada, e eu era comunicado só depois.
Dei um tempo para ver se ela iria me procurar por zap, telefone, e não acontecia, só quando sumia por dias, e para ligar, eu que tinha que ligar. Por ai já notei a reciprocidade que no início da relação eu falava.
Agora, quer que eu fique a visitando para ficar namorando na casa dela nos finais de semana quando não tiver dinheiro para pagar minha parte, e quando não puder ir ela sai com amigas ou mãe, sem me visitar. Complicado
Se fosse ao contrário, eu não a mandaria para a casa da mãe dela. Eu ficaria com ela e abriria mão da diversão na rua, como disse anteriormente, tem muita diversão em casa a dois até passar as dificuldades. Com minha outra ex, que também me deixou por causa da doença, eu mantive a relação por mais de 10 anos sem ela trabalhar, isto por que ela abriu mão para cuidar da minha filha, e eu não a coloquei na parede. Mantive o sustento com dois empregos.
Enfim, para a semana vou conversar com ela mesmo e dar um ponto nisto. Não tenho que só eu abrir mão, tenho muito a agradecer pelo que ela já me ajudou, assim como a ajudei, mas tenho princípio e objetivo de morar junto até ficarmos velhinhos, pois caso ela passe mal, como já passou, eu já cuidei dela, e ela sozinha? Hoje pode contar com a mãe, e amanhã?
Esta relação já tem 2 anos, e eu não vou ter paciência para ficar nesta de casas separadas com a justificativa que ao morar junto, os problemas desgastam a relação.
Obrigado por me ouvir.



Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia!
Aceita mais algumas sugestões?
Quando estamos zangados, aborrecidos, tristes, nervosos, danados da vida com alguém, ou com algo, nem sempre o sentimento negativo que nos invade é um bom conselheiro. É nessas horas que, melhor mesmo, é deixar que o coração se aquiete, que a mente fique serena. Daí, então, com clareza e sem tantos pensamentos ruins, tantos sentimentos pesados, a gente consegue tomar decisões certeiras, que irão nos trazer benefícios. De cabeça quente ninguém faz nada que preste!
Não é relevante o fato da sua namorada ir ao cinema com a mãe dela. Pense melhor... O que te magoa é o fato de você estar, neste momento, sem capacidade financeira para ir ao cinema com ela.
Sobre a sua doença, o pé ficará bom. O problema neurológico, esse hoje em dia, mais e mais, existe controle, com medicamentos e até novas descobertas científicas. Relaxar, dormir bem, se alimentar bem, pensar coisas boas! Não te conheço, mas menino, você está carregado de energia que te maltrata. Uma nuvenzinha negra paira sobre sua cabeça! Como você mesmo me disse, há coisas que você pode fazer para se divertir e que não exigem dinheiro em troca. Por exemplo, que tal passear no parque? Um jardim botânico? Que tal ir a uma exposição de artes, um museu ( em SP temos a Pinacoteca, o Masp). Que tal se oferecer para um trabalho voluntário, tantas Ongs de ajuda humana e animal pedem auxílio, gente bacana feito você é quem faz toda a diferença! Quem sabe, tudo isso está acontecendo para você olhar mais adiante, ao seu redor e deixar de lado dores e problemas pessoais, para estender suas mãos para a ajuda do próximo?
Confie na vida, confie no futuro, olhe ao seu redor.

Um abraço, venha aqui sempre que quiser, será bem-vindo!

Cláudia

Anônimo disse...

Estou vivendo isso! Namoro há 3 anos um homem de 33 anos, tenho 27, quando do começo de namoro ele repetia muito que qria se "casar comigo e estava ansioso para que engravidasse", o que impedia de ficarmos juntos nessa época era a situaçao financeira dele que não era estavel, pois ele havia se separado recentemente, a ex continuou a morar no imovel deles e ele voltou para casa dos pais, e não tinha condições de alugar uma casa, há aproximadamente 1 ano ele me declarou que não pensava em se casar tão logo, pois foi casado e não viveu uma boa experiência! (Ele não tem filhos), achei que essa declaração era momentânea, pois antes me afirmava sempre que o sonho era ser pai, ignorei continuamos juntos, ocorre que já foram muitas brigas e ele continua afirmando que não quer se casar, e que pensa somente em morarmos juntos, mas que quando ele providenciar a compra de uma casa pra ele, (obs:nao quer comprar junto comigo), ele fala que quer viajar... ele se comporta como alguem que gosta de namorar, fica varios dias na minha casa (da minha mãe), trabalhamos juntos, e ficamos mto juntos, mas não sei o que fazer!!

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Há algo em comum com vários leitores que chegam aqui e relatam seu sofrimento, suas dúvidas. A importância acentuada da projeção do futuro, das expectativas de futuro. Isso em detrimento, em prejuízo do que existe de bom no momento atual, no presente. Quem te garante que você vai acordar amanhã, ou que o amor vai permanecer vivo em seu coração por muito tempo? Se ele tem dúvidas, aceite isso como um alerta para que o relacionamento no dia de HOJE seja alimentado, bem cuidado, porque a chance de amanhã ser apenas lembranças e mais nada é muito grande. Ele não quer se casar? Veja pelo lado positivo: ele tem maturidade suficiente para compreender que não tem hoje essa necessidade, essa vontade. Não vai se casar com dúvidas, nem vai se casar só pra te prender, ou pra te agradar. Relacionamentos bons são aqueles que cada um conserva a sua identidade, a sua individualidade, sem um prender ou prejudicar a vida do outro. Se ele não quer se casar, aproveite as coisas boas que fazem juntos. E você também providencie a sua casa própria, o que está esperando? Uma mulher do século 21 não fica esperando um príncipe, ela mesma luta por seus sonhos, por sua felicidade, com ou sem namorado, namorada. Ele gosta de namorar? Oba!!! Namorar é a melhor coisa da vida. Não sabe o que fazer? Veja se pra você casar, se vestir de noiva, usar aliança no dedo, ser "esposa" é mais importante do que viver bem, ser feliz. Se for assim, talvez seja preciso escolher um noivo, porque seu namorado quer construir a vida dele, comprar a casa dele, viajar pelo mundo. Eu, se fosse você, já estaria viajando e comprando a minha própria casa.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Olaaa.. queria uma ajuda.
Eu e meu namorado moramos em cidades diferentes. Ele vive falando p eu ir p cidade dele por ter oportunidade de emprego e tudo. E diz p gente morar juntos.. apenas isso.. morar juntos sem se casar. E dessa última vez falei sobre casamento com ele e ele diz que seria cedo pois tenho muitas coisas p melhorar, muitos defeitos como ser ciumenta. Fiquei arrasada. Triste pois parece que ele coloca os defeitos em primeiro lugar. E que temos que sentar p conversar sobre essas brigas bestas e mudar esses comportamentos antes de tomar uma decisão seria como o casamento.
Mas fiquei com uma dúvida. E morar junto com ele também não seria uma decisão seria? Mesmo sem casamento
Agora me diga você.. o que você pensa?
Chorei. Fiquei extremamente triste com tudo. Devo agir assim?

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!

Não se sinta arrasada. Na vida a gente, de vez em quando, encontra umas pedras no caminho. E são essas pedras que nos ensinam a saltar obstáculos. Portanto, tudo vai passar, ainda que seja muito triste, muito ruim, sofrer por "amor".
Sobre a sua dúvida, na minha opinião, morar junto não é a mesma coisa que se casar, apesar de que até mesmo por lei o fato de morar juntos é equiparado a casamento. É união estável. Coisa tão séria que na lei diz que se não fizerem documento ( escritura, contrato) com a cláusula de separação total de bens, então o regime de bens da união estável será a da "comunhão parcial de bens". Meio complicado? É que a lei é mesmo complicadinha, mas isso significa que se nada for feito, apenas forem morar juntos, então o que um dos dois comprar será dos dois, meio a meio. Imóveis, carros, etc. Se houver separação, dependendo do caso, um dos dois terá que pagar pensão alimentícia pro outro ( depende muito do caso). Enfim, por lei é casamento. Mas, eu não acho que seja casamento, não. Porque casamento é algo que vem da alma, com total afinidade, com muito afeto, os mesmos objetivos, uma baita cumplicidade e ambos seguindo juntos pela mesma estrada, um ajudando o outro a chegar juntinhos no mesmo horizonte. Sem brigas, sem desarmonia, sem que um aponte o dedinho pro outro e mostre defeitos.
Casamento é para gente grande: grande de alma e grande de maturidade. Não é brincadeira, não é experimento científico, não é teste para ver se a coisa vai dar certo.
Se há boas oportunidades de trabalho na cidade onde ele mora, se você aceitar morar com ele ( mesmo eu tendo tido a impressão que vocês dois não têm afinidade suficiente), sugiro que primeiro você crie a base individual mínima necessária pra isso: independência financeira. Um bom emprego, uma boa profissão. Sem isso, a chance de tudo ir para o beleléu é de 99,9999%.
Briguinhas? Isso é impedimento para a felicidade presente e futura. Pense melhor no que vai fazer com a sua vida. Parece ser cedo demais tomar uma decisão tão séria quanto essa.
Boa sorte e volte aqui para falarmos mais sobre o assunto.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Que legal!! Você é 1000. Adoro sua atenção e paciência com as pessoas. As vezes é difícil encontrar alguém p desabafar sabe?!!! Ahh.. sou a mesma pessoa que t perguntou recentemente sobre ir morar na cidade do namorado, o que não quer casar agora. Esqueci de t esclarecer que ele ja morou com uma outra pessoa durante quatro anos e no final ela colocou ele p dividir tudo. E até hoje ele paga dívida por conta disso (empréstimos no banco p pagar ela) ao invés de vendar a casa e o carro ele deu em dinheiro e tudo de dentro da casa ela levou também. Complicado né? Então meio que esse assunto ainda existe. Minha mãe diz que ele tem medo pela experiência que já passou. Mas fico pensando que ele deveria ter mais confiança. Namoramos há menos de dois anos. Ele diz p gente aproveitar p se conhecer mais. Que o fds que ficamos juntos (ou eu vou ou ele vem) não quer dizer que nos conhecemos totalmente (até concordo). Em sua grande maioria eu que vou mais pois ele tem a casa dele e aqui moro com toda a família.. o que tira um pouco a privacidade.. não dá p aproveitar tanto. São muitas lutas sabe?!! Namoro a distancia não é fácil. É tanta coisa.
As vezes ele sai com os amigos e fico com ciúmes.. por não estar lá.. mesmo que essas saídas seja p barzinho, p casa de amigos.. mesmo que ele mande fotos. Da um ciúmes danado

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Vou começar pelo agradecimento, muito bom saber que meu blog não é apenas voltado para leitores de contos e crônicas. Esta publicação me surpreende mais a cada dia.
Sobre o ciúme: impossível controlar alguém. Impossível! Não podemos amarrar, prender. Então, o jeito é confiar. Deixar livre, para que não fique asfixiado.Afinal, somos todos livres! Não é?
O melhor, penso assim, é você não atropelar os fatos. Deixe o tempo passar, não force a barra. Como pode se casar com alguém que não quer agora se casar? Deixe que a vida siga, quem sabe você mude sua visão, sua perspectiva?
E ouso dizer: quem está insatisfeita nesse relacionamento é você. Pense muito, tente encontrar as respostas que estão aí, dentro de você!

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Olá!
Lendo as postagens anteriores, me identifiquei bastante e vejo que várias pessoas passam por dificuldades em seus relacionamentos e a maioria são mulheres que desabafam aqui, penso que talvez seja pela forma que somos criadas.
Bom estou passando por uma situação parecida com a da moça que namora a distância. Meu namorado mora a 290 km da minha cidade, nos conhecemos a mais ou menos 3 anos e nos vemos em alguns fds, ele é bastante complicado na mesma hora que decide fazer uma coisa ele já muda de ideia e isso me deixa mais insegura do que já sou o que me incomoda muito. Gosto muito dele tenho um carinho muito grande eu o amo de verdade, porque em meio aos defeitos ele tem suas qualidades, só que essa distancia me faz mal e as vezes ele fica estranho distante para de conversar comigo e eu fico sem saber como agir porque me irrito com isso.
Nós somos um pouco diferentes eu sou muito sonhadora como ele mesmo diz eu sou muito certinha e ele é mais prático não se liga muito em planejamento. Ele é trabalhador tem suas ambições e fala sobre ter filhos, sobre casamento ele acha que é uma coisa séria precisamos ter certeza antes de tomar essa decisão.
Então estou me sentindo confusa no momento, porque estamos naquela fase de ele estar estranho não conversa comigo. Eu preciso tomar uma atitude uma decisão e não tenho certeza do que fazer se seria melhor eu terminar ou se devo tentar conversar primeiro mas como chegar nele pra dizer que isso me incomoda.
O que você me aconselha como eu posso tomar essa decisão com mais segurança, mais clareza pra não me arrepender depois.
Obrigada pela atenção com todos os leitores que te escrevem, beijos.

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia!
Talvez o problema seja muito mais com você, seu problema, do que relativo a ele. Porque você se irrita, quer uma definição imediata de seus questionamentos, fica insegura com a distância e atribui ao silêncio dele a sua forte insegurança. Então, veja só o tamanho da encrenca! Você está com problemas aí, dentro da sua cabeça!
Ele andar em silêncio pode significar muitas coisas, entre elas, que ele tem algum problema que sequer consegue detectar. Uma depressão? Um fato que prefere não dividir com você? Como saber? E você já está cismada... Né?
Falar do futuro é bom, mas cuidar do dia de hoje é a garantia de que haverá futuro. Leu os comentários dos leitores, não foi? Quantos estão afobados para se casar, para ter filhos? E quantos, no dia de hoje, têm um relacionamento feliz, satisfatório?
Essa pressa para ter definições, respostas, para que tudo saia como planejou, isso acaba com o relacionamento! Será possível que os leitores que me escrevem não sabem disso?! É bronquinha de leve...
Ser sonhador é essencial nesta vida. Mas, sonhar e não arregaçar as mangas pra realizar, aí é delírio. Espero que você aja pra realizar seus sonhos!
Atitude dele? Aquela fase estranha? Menina, você, somente você pode mudar isso. Se gosta dele, pare de encher a paciência com isso de casamento, filhos. E a distância, se existe, basta pegar a estrada, ou telefonar, mandar whats. Tem que administrar isso, se quer ficar com ele. Um dos piores tipos de gente para se relacionar é gente ciumenta. Grudenta, horrível, tira o ar e a paciência de qualquer um!
Que decisão você quer tomar? Terminar? Ficar com ele? Isso depende de você. Mas, de novo: pare com isso, o rapaz bem pode ter algum problema pessoal, que não divide com você. E bem pode também estar farto de ser pressionado. Que coisa!

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Boa tarde, Cláudia!
Obrigada pelas palavras, eu não estou em um momento bom da minha vida e acho que estou deixando isso refletir em todos os aspectos. Você tem razão me sobram sonhos, mas o mais importante me falta coragem para ir atrás do que quero vou me esforçar pra mudar isso e descobrir o que quero realmente.
Mais uma vez obrigada pela atenção.

Beijo.

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Tente ficar tranquila! A vida tem muitas surpresas. Se você tirar o foco dele, do namoro, olhar mais pra você, sua própria vida, com certeza enxergará boas alternativas.
Venha falar comigo sempre que quiser!
Beijo,
Cláudia

Cecilia disse...

Olá Claudia. Adorei seu texto e seus comentários. Eu tenho 31 anos, moro sozinha há 7 anos. Meu namorado tem 30 e mora com a mãe. Eu sou muito bem sucedida, construi uma boa estabilidade financeira, estou com tudo muito bem ajustado na minha vida. Meu namorado já não, ele tem um subemprego, ganha pouco, está estudando pra concursos mas não se dedica muito. Formou recentemente a custas de muita insistência minha. Bem, o que acontece é que há dois meses quebrei minha clavícula e ele veio pra minha casa me ajudar. Passaram esses dois meses e eu fui muito feliz com ele aqui. A gente se divertiu muito! Falei pra ele que gostaria que ele não fosse embora, que ficasse definitivamente. Ele disse que não dá por causa da questão financeira. Eu mostrei que a estadia dele aqui não teve impacto financeiro pra mim, os custos fixos (aluguel) eu já pago de qualquer jeito, com ele ou sem ele aqui, e a alimentação e compras nos dividimos então foi ótimo! Mas ele disse que não quer ficar, que sente falta da casa da mãe dele e que não tem como ficar aqui sem dividir as despesas. Eu argumentei que nem todos os casais conseguem dividir as despesas igualmente e que a vida é uma só. Que seria gostoso aproveitarmos que está sendo muito bom e deixarmos continuar como está. Quando penso em antes dele vir pra cá, me dá desespero pensar em ele ir embora. Era tão diferente, eu sempre muito sozinha, dormindo sozinha, jantando sozinha. Além disso ele morando com a mãe nos tínhamos vários desentendimentos acusados pela distância e com ele aqui tem sido tão bom, tão leve!! Mas ainda assim ele disse que não é o momento é que não sabe quando será o momento. Perguntei o que ele precisava pra vir morar aqui definitivamente, se era só a questão financeira. E ele disse que não. Que se hoje tivesse como dividir as despesas ainda assim preferiria morar com a mãe.
Eu não sei l que fazer pq que estamos em fases bem diferentes da vida isso é claro. Mas o fato dele dizer que nem se tivesse na mesma situação financeira que a minha iria querer me fez pensar se vale a pena continuarmos juntos.
Me ajuda?

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia, Cecília!

Vou tentar, com minha opinião, te ajudar.
Você gosta dele, certo? Ele gosta de você. Quando você precisou muito que ele estivesse ao seu lado, durante o seu restabelecimento da fratura, ele esteve pertinho e foi uma companhia agradável. Mas, ele não quer, neste momento se casar com você. Você acha que isso é falta de amor, de interesse por você? Lendo seu relato, sinceramente, acho que não pode ser isso!Ele esteve com você enquanto você se recuperava! Essa é uma demonstração clara de amor, carinho, dedicação. Você sabia que, muitas e muitas vezes, em um casamento, um não cuida do outro? Sério isso! E ele mostrou que é solidário.

Questão financeira é impedimento sombrio, nem sempre visualizado pelas pessoas. Acham que amar é o suficiente. Não é, não! Porque nada se resume simplesmente a pagar aluguel e despesas básicas da casa. Já pensou você morar na casa de alguém, sem ter dinheiro? Isso mexe com o brio e até mesmo com a sagrada liberdade de terminar o relacionamento, se for preciso. Coloque-se no lugar dele! Por favor, tente se colocar no lugar dele, porque ele merece isso!
Ele quer ficar com a mãe dele? Poxa, garota... Mãe é uma delícia na vida da gente. Nem todo mundo tem a mesma experiência, famílias são diferentes umas das outras, a criação de cada um é de um jeito próprio. Mas, meu Deus, quem me dera eu ainda tivesse neste mundinho a minha mãe! Adivinhe, Cecília, com quem morei durante anos e anos e, com quem eu moraria hoje? Sim, com minha mãe. Porque é mesmo maravilhoso! Será que ele tem que escolher, ou a mãe dele, ou você? Cuidado com isso, Cecília! Mãe é mãe, viu?
Se você começar a colocar minhocas na cabeça, elas vão crescer e vão se transformar em problemas gigantescos, tão grandes que irão estragar seu relacionamento com ele. Tire essas minhocas da cabeça!

Se pra você, pra ter um relacionamento amoroso, é preciso casar, ou morar juntos, desde que queira que isso aconteça com ele e você, vai ter que respeitar a decisão dele.

Conversar claramente e dizer que quer casar, não creio que vá adiantar agora. Porque ele não tem um trabalho rentável que permita que ele possa se casar, sem arranjar outros problemas que, certamente, prejudicarão o casamento a curto, médio e longo prazo.

É muito inocente a sua visão de casamento. Não é gostosinho, bonitinho e divertido. Nada disso! É algo muito mais complexo, como uma sociedade comercial, meio a meio, com altos e baixos e chance de falência se algo sair errado.

Deixe a vida te levar. Mostre que quer casar, mas não pegue no pé dele. E curta os bons momentos. Se isso for insuficiente pra você, repense a relação.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Ola Cláudia

Tudo que VC escreveu me fez pensar muito.
Estou passando por algo parecido, eu já falei, conversei, acho q tentei o possível, pra que ele decida-se.
Mas ele não quer.
Na verdade eu tento entender o lado dele, mas custo a acreditar que ele não se impõe, que não toma uma decisão, uma atitude sobre o tal "problema".
Então eu vou ir direto ao ponto, ele tem um filho com a ex mulher.
Ela usa a criança pra atormentar ele.
Proíbe de ver, não deixa falar ao telefone, diz q se ele arranjar outra ele nunca mais ve-rá o filho.
Estamos nessa a 2 anos já, sem que ele me assuma, pra que ela nao saiba. E ele não fique sem ver o filho.
Eu sempre aceitei pq não queria ter q colocar ele contra a parede, fazendo ele ter q decidir entre o filho ou eu, sempre me coloquei no lugar dele, tentei ser paciente e compreensiva.
Ele sempre me disse q gostaria muito de que casassemos,mas q não queria ficar sem o filho. Porem eu descobri a uns 3 meses que estou gravida. E quero que ele tome uma atitude. Conversei com ele, mas ele esta irredutível.
eu não sei oque fazer? Me ajude por favor.

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Começo escrevendo com um pedido: leia e responda. Quero um retorno seu. Sobre o seu relato, vou, não apenas como escritora dessa crônica que faz tanto sucesso, mas como advogada, te dizer o que penso sobre isso.
Ele tem problemas com a ex, ele tem problemas pessoais, afetivos. Nunca - pense bem - nunca esse homem deixou para você a impressão que ele poderia no futuro ser um mau marido, um mau pai? Ele te deixou pistas claras, pelas atitudes dele, pelo relacionamento doente com a família. Mas, isso não é uma condenação, não estou te criticando negativamente e nem seria justo agir assim com você, que está sofrendo muito e bastante aflita. O que fazer?
Saiba, a princípio, que desde agora seu filho, ainda um feto ( jeito horrível de adjetivar uma criança), tem direitos. E através de você ele tem direito a receber alimentos, uma pensão. Busque essa orientação com algum advogado de sua confiança.
Sobre ser mãe: eu sou mãe! E tudo foi um tanto assustador, mas te garanto, lhe dou minha palavra, filho é a vida da gente, é a alegria de viver da gente! Vá em frente, nem pense em abortar, por favor!
Vai ser difícil daqui pra frente? Minha querida, a vida não é fácil. Nunca foi, nem vai ser. Viver é um enfrentamento duro e contínuo. Somente gente sem noção, fraca e fútil não compreende isso e eu sei que você é especial!
Sobre o pai da criança: pau que nasce torno, nunca se endireita! Se ele não assume o relacionamento, se ele não sabe resolver um problema dele quanto a ex e à paternidade anterior ( que currículo horroroso), não creia em mudanças, nem milagres.
Ele está irredutível? Mande-o para aquele lugar onde o sol não bate, procure um advogado. Saiba que quem não paga pensão alimentícia é preso aqui neste país da impunidade. Vai preso MESMO! O filho não é apenas eu, é seu e ele. E agora tente entender o motivo da ex dele agir como age. Vai saber o que houve, o que ele causou?
Seja forte! Tenha seu filho e lute por ele, pelos direitos dele.
Posso estar muito, mas muito enganada mesmo, afinal não os conheço e tudo o que tive foi o seu relato, mas homem frouxo e babaca não serve para ser pai do filho da gente.
Pedi que retorne e continue a conversa, vou esperar que você faça isso. Eu e todos nós, que bem entendemos o quanto é difícil viver as adversidades enormes que podem surgir ao longo de um relacionamento.

Beijo e carinho ( não está sozinha!),

Cláudia


Anônimo disse...

Oi Cláudia , amo seu blog e queria tomar a liberdade para saber se tem algum rapaz alto acima de 1.85 pelo mesmo solteiro por aqui para eu conhecer moro em Osasco Sp sou branca cabelos lisos olhos castanhos . Quero um parceiro tenho 33 anos. Não sei se aqui é o local ideal , mas tanta gente terminando estou aqui para conhecer alguém beijos

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Volte a escrever e deixe aqui o seu contato, um e-mail. Quem sabe esse moço com mais de 1,85 apareça. Afinal, aqui ou qualquer outro lugar é o ideal para que as pessoas se encontrem.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Oi Cláudia, boa tarde!

Há um tempo atrás escrevi aqui e relatei sobre meu caso, um namoro a distância onde ele não queria se casar apenas morar junto. Minha decisão foi de me preparar mais e esperar um tempo antes de me comprometer a apenas morar junto e a 2 meses atrás ele decidiu terminar comigo dizendo que sou indecisa e que não podemos continuar juntos à distância. Bem estou escrevendo em busca de algumas palavras de ânimo nesses últimos dias venho sofrendo muito e isso tem me atrapalhado a seguir minha vida, perdi totalmente o sentido de tudo meu trabalho, não parei nada mas estou sem vontade de fazer qualquer coisa.
Acho que perdi a fé nas pessoas a maioria não se importa com seu sentimento, me iludi muito com nossas conversas nossos planos e agora não sei o que fazer sozinha me sinto despedaçada.
Obrigada pela atenção um abraço!

Cláudia Cavalcanti disse...

Olá!
Você está triste, isso afeta sua vida pessoal, seu trabalho, seu ânimo. E a vida não para, a vida não te coloca no colo, não é mesmo?
Já imaginou, se além do fim do relacionamento, você perder o emprego, por exemplo? Melhor nem imaginar isso, né?
O sentido da vida não pode estar em uma pessoa que não seja você mesma! Essa é a questão! Você, VOCÊ, é a pessoa mais importante da sua vida, moça!!! Como buscar o amor do lado de fora de si, se você mesma se arrasta, sofre, chora, dolorosa, dolorida, arrasada, sem ânimo, nublada... Tudo na vida é energia. Coloque-se nesse patamar sombrio e a vida vai responder com mais tristeza, mais motivos pra você chorar, sofrer, se desanimar.
E tudo por causa de um sujeito que não te ama. Fala sério... Há quanto tempo essa história aguardava um desfecho desses? Ele não te compreende, não te respeita, nem te admira. Um babaca! Agora, sua vida está assim, você em um tipo de limbo, por causa do babaca.
Vamos lá, comece a se cuidar. A se produzir, a se alimentar bem, volte a encontrar amigas, amigos, a trabalhar com coragem e determinação. Evite: redes sociais onde ele e pessoas ligadas a ele estão. Evite: fotos dele, ou com ele. Evite: lugares pra onde viajaram, que costumavam frequentar. Isso é profilático. No começo é questão de preservar-se, poupar-se. Você precisa disso.
Ele decidiu terminar? Que seja feliz e não volte atrás de você, quando tudo der errado. Porque ele é capaz disso. E você, pelo amor de tudo, reaja. É muito indigno se acabar porque alguém rompeu o relacionamento com você. Mas nem que fosse um casamento com 30 anos de duração! Nem que fosse isso!

Estou aqui para conversarmos quando desejar.

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Claúdia, muito obrigada você é maravilhosa!
Na verdade ele já fez isso antes essa é a terceira vez, sofri muito mas dessa vez a dor veio em triplo, só quero me fortalecer pra não deixar entrar na minha vida quem quer apenas brincar com meus sentimentos.
Obrigada mesmo suas palavras me deram forças eu sei que vou superar tudo isso.

Beijo,

Cláudia Cavalcanti disse...

Não deixe que ninguém estrague sua vida, a sua chance de viver em paz. Ok? Seja forte!
Beijo,

Cláudia

Alessandra disse...

Olá....gostaria de conselhos...
tenho 31 e meu "namorado" tem 38...namoramos a 4 anos.
acredito que já somos maduros suficientes....temos um ótimo tempo de namoro...pra mim...já deu...eu falo em casamento...ele sempre fala que ainda não é a hr...e tals..
Ele sempre justifica com a parte financeira...ele acha que problemas financeiros são um problema no casamento. Ok...também concordo, mas isso pra mim é uma enorme desculpa...temos uma renda de 3.500, o que podemos sim viver de uma forma modesta e felizes juntos... mas ele na vdd eu acredito..não consegue abrir mão dos confortos dele... acho sim que podemos conquistar as coisas juntos...que ao longo dos anos...poderemos ir progredindo e melhorando a situação financeira... eu e ele estudamos para concurso e isso é um processo demorado...mas que ao longo d mais uns 2...3...anos colheremos os frutos... mas...2....3 anos...não é um tempo que quero continuar a esperar o casamento e continuar a namorar... Eu falei isso com ele...e deixei ele pensar 1 semana. Passado o tempo o questionei e ele veio com as mesmas palavras e coloquei fim no nosso relacionamento. Estou imensamente chateada. Eu penso: Se ele não esta pronto agora...será que um dia ele estará? Ele diz que temos que ir mais de vagar....que ele quer um casamento com excelencia... enfim... não sei se agi certo ou errado pq eu o amo...e admiro muitas qualidades dele...como por ex.. eu acho que ele é uma pessoa maravilhosa...com um coração incrivel... mas ao mesmo tempo....eu não tenho mais paciencia de esperar por algo que nunca acontece....

Cláudia Cavalcanti disse...

Alessandra,

Sempre respondo com sinceridade a todas as dúvidas dos meus leitores. E assim o farei novamente com você, espero que reflita sobre o que vou dizer, ainda que possa não ser algo que esperava ler.
Discordo muito de você. Compreendo que teve um sonho, mas entendo que agiu de forma intempestiva, sem pensar no futuro e sem respeitar a vontade de seu ex-namorado. Tentou impor a própria vontade e, como ele realmente não cedeu, terminou o relacionamento.
O que você espera agora, que ele a procure e decida se casar com você, para viver na pobreza material, como se amor pudesse encher barriga, pagar contas, resolver uma série de problemas? Um casal que tem a renda de 3.500,00 ( reais!) tem que prosperar materialmente primeiro, para depois sonhar com um compromisso mais sério. Sim, é isso aí o que você leu! Ele está certíssimo, espero que seja aprovado em um concurso que, no mínimo, triplique a renda que ele tem. Espero que, isoladamente, você faça o mesmo.
Desculpe a minha sinceridade, mas é tão sem cabimento alguém querer casar a todo custo, que não pude dizer outra coisa.

Estude, passe no concurso, crie uma base sólida, compre um imóvel, não tenha dívida alguma jamais. E aí sim, quem sabe seja possível falar em casamento?

Não acredito naquele papo de "um amor e uma cabana". Eu acredito é em tranquilidade para colocar a cabeça no travesseiro e dormir ( bom travesseiro, bela cama, muito conforto).

Volte aqui pra gente conversar mais um pouco!

Beijo,

Cláudia

Anônimo disse...

Oi Cláudia,

Eu namoro a pouco tempo, 9 meses, tenho 25 anos e ele 27. Com cerca de 6 meses de namoro um dos amigos dele iria casar e ele detesta casamentos, acha a maior besteira, me disse que tentaria conversar com o amigo, pois achava que estava cometendo um erro. Eu lhe disse que se o amigo estava disposto a casar, conselhos não adiantariam e que casar é um caminho natural para relacionamentos, quando vc encontra alguém que realmente ama. O tempo passou, o amigo casou, ele não foi, minha prima casou e eu quase o arrastei pra ir comigo, chegamos a brigar bastante. Depois que fizemos as pazes, ele me disse que não eramos um casal convencional, que não usavamos alianças e que não deveríamos ficar só nos preocupando com o futuro, eu disse que gostaria de usar alianças, mas tudo bem. É algo que eu gostaria, mas não é algo tão importante a ponto de brigar. Cerca de um mês depois estávamos passando por umas lojas e ele para numa vitrine de alianças e começa o olhar. Agora, no meu aniversário ele simplesmente diz, do nada que estava conversando com não sei sobre casamento e ele chegou a conclusão que nunca da certo, que não serve para nada, eu disse que gostaria de casar e tive a resposta de que procurasse outro então.
Gostaria de um conselho sobre essa situação, devo continuar com essa relação?
Observação 1: Tirando esse detalhe temos uma relação ótima, nos damos muito bem.
Observação 2: O problema dele não é em relação apenas ao casamento, pq se fosse apenas isso, td bem, não ligo de apenas morar juntos, mas ele não quer isso, não quer casar e nem morar junto.
Obsevação3: Sei q é pouco tempo de namoro e que somos jovens, não tenho pressa de casar e não planejo isso pra agora, o meu problema é que ele não quer isso pra hoje, não quer pra amanhã, não quer nunca.

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi!
Vou começar a resposta falando sobre o que você escreveu em um dos trechos de seu relato: " Tirando esses detalhe temos uma relação ótima, nos damos muito bem".
O que você espera desse relacionamento? É importante pra você que ele, apesar de ainda ser cedo pra isso, queira um dia se casar com você?
O que é um bom relacionamento? Pra isso é preciso alguns "ingredientes" fundamentais: respeito, tolerância, muito carinho e OS MESMOS OBJETIVOS. Vocês dois têm os mesmos objetivos?
Você não tem pressa. Mas, o tempo passa muito rápido. Hoje você tem vinte e poucos anos, amanhã terá trinta anos. E ele não quer se casar, não suporta sequer comparecer ao casamento de amigos, parentes.
O que você pode fazer? Sugiro que tente descobrir a causa disso. Será que ele sofreu algum trauma, seja pessoal, seja algo que ocorreu com alguém próximo a ele? Se a resposta for sim, ele precisa de ajuda psicológica, porque está espelhando algo externo em si mesmo e prejudicando o relacionamento com você.
Mas, se isso vem dele mesmo, de uma forte convicção que tem, nada poderá ser feito. Nada mesmo. Você terá que ficar com ele sem esperar um compromisso mais sério.
Pra você, um dia, será importante ter alguém que a queira pra sempre, que queira se casar com você? Talvez, a relação não seja ótima. Talvez, seja apenas algo presente, sem futuro. Pense nisso.
Mas, se quer continuar com ele, vão ter que conversar mais e você vai ter que expor o quanto isso a entristece.

Beijo,

Cláudia

Waléria Augusto disse...

Tenho 21 anos e tenho um filho com meu companheiro e as vezes tbm penso a mesma coisas , e bate muito desânimo, as vezes penso em jogar tudo pro ar e refazer minha vida

Cláudia Cavalcanti disse...

Waléria,

Acho que qualquer pessoa, com um pinguinho de bom senso, avalia o relacionamento de tempos em tempos. Pensar em jogar a toalha, desistir, isso é algo normal. Mas, se o relacionamento estiver te fazendo mal, fale mais sobre isso. Ter um filho é algo importante e também delicado. Criar uma criança é algo muito sério mesmo! Mas, ser infeliz em um relacionamento, isso em qualquer idade mina a energia de uma pessoa, e fonte inesgotável de tristeza, frustração, infelicidade. Todos fomos feitos para amar e sermos amados, seja no relacionamento romântico, familiar, entre amigos. Não fique sofrendo, não! Primeiro olhe pra si, em seguida pro seu filhinho. E tudo o mais, certamente, virá pra você com paciência, sabedoria e tempo. Volte pra gente conversar mais, ok?
Um beijo,
Cláudia

Maria disse...

Olá eu sou casada a mais de 10 anos tenho dois filhos e ele um de outra casamento. Ele devia pra justiça e não podia casar mas a um ano atrás ele pagou tudo mas não quer casar, sempre que falo pra ele, ele diz que vai casar mas calma tudo tem seu tempo, e nada não sei o que fazer mais. Ele sempre coloca empecilhos sempre”sou um pouquinho além da conta de ciumenta “ rars

Cláudia Cavalcanti disse...

Maria,

Olá! Não a conheço, apenas tenho esse seu breve relato. Pelo que você disse, vocês dois são casados. Mas, ele não quer se casar. Entendo que você deve esperar dele um casamento civil, algo diferente da convivência que agora possuem. Mas, ele não quer.
Disse que é preciso calma.
Por que sente ciúme além da conta? Os motivos disso, talvez, sejam a resposta para essa divergência de vontades. Brigam? Vocês discutem? Houve motivo para o ciúme?
Quando um não quer, o jeito é esperar. Mas, ciúme é um ácido que destrói qualquer relacionamento. É horrível, venenoso, nocivo. Se eu fosse você, tentaria com urgência mudar isso.

Boa sorte!

Cláudia

Anônimo disse...

Sou solteira e moro com minha mãe idosa. Namoro a 3 anos com um homem que já me pediu em casamento várias vezes e quer que eu more com ele. Minha mãe não quer sair da casa dela, não posso abandona lá. Não sei o que fazer. Estou sendo pressionada dos dois lados.Tenho sonho de casar mas não posso abandonar minha mae.

Cláudia Cavalcanti disse...

Bom dia, solteira!
Li atentamente e estou aqui buscando palavras que sejam brandas, porém eficazes e, com sorte, a belisquem e a façam acordar.

Cuidar de alguém idoso, no seu caso: cuidar da própria mãe, isso é louvável. Mas, sua mãe a pressiona ( pressionada dos dois lados). Onde está o restante da família? Onde está o quórum desse plenário familiar? Porque uma andorinha sozinha não faz absolutamente nada, tadinha da andorinha. Para que você possa viver relativamente em paz ( namorar, casar, ter filhos, viajar, trabalhar, estudar, dormir, ir à academia, ao cinema, etc e etc e etc) é preciso haver equilíbrio em sua vida. Seu texto breve está carregado de um emaranhado imenso, cheio de nós difíceis de desfazer.
Casamento é algo bom e natural, DESDE QUE EXISTA AMOR. Ama essa pobre criatura que ofereceu a você o que há de mais bonito no coração de alguém? Parece que NÃO! Porque você se esconde. Sim, claro que sim. Você se esconde atrás de uma mãe doente. E não vive, você não vive. Sobrevive cuidando de uma mãe idosa.
Sugestâo: não quer casar, não case. Mas termine esse relacionamento, não segure alguém que bem pode conhecer outra pessoa e ir ser bem feliz em outro lugar, sem limitações e negativas associadas à sua mãe doente.
Outra sugestão: busque ajuda psicológica, porque cuidar de alguém idoso desgasta totalmente as emoções e causa esse emaranhado onde você agora se meteu.
Mais uma sugestão: convoque sua família para dividir o tempo e espaço cuidando de sua mãe idosa. Ninguém, NINGUÉM tem que cuidar de alguém full time, dia e noite, em detrimento da própria vida.

Agora, pense: quer ficar sem a pessoa que gostaria de se casar com você? Porque ela já captou a sua mensagem, ainda que por sinais... E vai uma hora dessas evaporar de sua vida. Depois, você ficará vendo TV com sua mãe idosa, ou no futuro você mesma vendo TV sozinha e lembrará que jogou fora uma chance bem bacana de ser feliz e ir cuidar de si, longe desse rolo todo.
Pais envelhecem, naturalmente. Cuidar deles é necessário. Mas, deixar de viver por isso, é absurdo. Cuidadores, clínicas de qualidade e o restante da família. Tudo isso existe para que a vida siga em frente com dignidade e qualidade.

Estou aqui à disposição para voltarmos a conversar. Pense bem no que está fazendo com essa pessoa e com você mesma. Certamente, um dia você vai se arrepender de suas atitudes atuais e será muito tarde.

Cláudia

«Mais antigas ‹Antigas   201 – 282 de 282   Recentes› Mais recentes»

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!