É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







20 de jan de 2012

AT LAST

Era o mês do aniversário dela. Olhou o calendário no momento em que ia saindo pra caminhar no parque. Desistiu de sair, tirou dos pés o par de tênis e da cabeça o boné.
O tempo passava depressa, ela ainda sozinha. Tantos pretendentes, tudo por conta daquele amor mal resolvido, do amor não correspondido. Pra tentar esquecê-lo foi capaz de se atirar em braços e abraços de mais de um alguém.
Sentou-se diante do computador e releu todas as mensagens que um dia ele enviou pra ela. Uma a uma. Da primeira, quando mandou um arquivo mp3 com a música “At Last”, até aquela da noite anterior, quando ela recusou um convite pra dançar. Sem ânimo pra mais nada, escutou a música.
At Last, my love has come alone, my lonely days are over, and life is like a song.
Depois resolveu olhar as fotos todas. Ele pequenininho, usando gravatinha borboleta e calça curta. A outra, diante de um bolo de aniversário, já adolescente. Uma em que parecia um rebelde do final dos anos 70, magro e cabeludo. E a última, já grisalho e usando óculos de grau.
Pegou o telefone e discou os primeiros três números do celular dele. Parou. Lembrou-se das palavras que ele um dia disse, indiferente à dor que ela sentia: “me compreenda ou me espere, tanto faz”. Lembrou dos seus acessos reiterados ao mesmo site de relacionamentos onde se conheceram. Desligou.
Começou, então, a escrever um e-mail que começava com: “At Last”. Achou ridículo, afinal ele jamais iria ler justamente em um final de semana. Se lesse poderia ser irônico, ou fingir que nem leu. Deletou.
Acabou indo parar na barraquinha de pastel, onde os dois já estiveram juntos, rindo e falando da vida. E o resto do dia foi de lembranças do passado recente. Um dia em que ela dimensionou sua falta de sorte no amor. Seus dias de solidão não terminaram.
I found a dream, that I could speak to. A dream that I can call my own.
Pegou o boné, calçou o tênis. Foi fazer a caminhada tentando parar de cantarolar “At Last”. Não foi sozinha, dentro de si estava a solidão e o amor que não podia apagar, deletar ou desligar. At Last!
(Texto de minha autoria, anteriormente publicado no blog Janela das Loucas e também neste blog. Uma homenagem que presto à cantora Etta James, que faleceu nesta data).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!