É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







7 de jan de 2012

DIÁRIO DE BORDO: MINHA DESVENTURA NA COZINHA


- Querida, vou preparar o nosso jantar, hoje eu quero que você descanse! Quer que eu te prepare um drink?
Fiquei lisonjeada, finalmente eu teria alguns momentos de folga, Divo assumiria a cozinha! Fui até o quarto, deitei confortavelmente na cama, peguei um creme hidratante, passei nos pés. Liguei o rádio na minha estação preferida, escutei música calma, relaxante. Quase tinha pegado no sono quando ele me chamou:- Diva, preciso que venha aqui!
Zoada, tonta de sono, entrei na cozinha que mais parecia um caos. Tinha cebola picada espalhada pela pia, em cima do fogão tinha pano de prato, em cima da mesa tinha pano de chão. Ele tinha usado o liquidificador, a batedeira, a torradeira, duas frigideiras, a panela de pressão. O pano de prato, tão lindo, com biquinho de crochê, estava todo sujo de molho de tomate!
-Diva, meu bem, eu estava ocupado pra levar seu drink.
Ofereceu uma bebida colorida, muito bonita, caprichada. O sorriso de expectativa parecia o de um garotinho que aguarda um elogio do adulto. Fiz de conta que não queria esganá-lo de tanta raiva, agradeci a bebida e voltei pro quarto.
Demorou mais de uma hora, quando ele me chamou pra jantar. Preferi não entrar de novo na cozinha, aliás, passei direto pela cozinha sem olhar em sua direção. O jantar estava ótimo, tinha bife acebolado, tinha macarronada, tinha bolinho de arroz, tinha salada com molho de mostarda, tinha até sobremesa caramelada. Creio, engordei uns dois quilos, pelo menos. Assim que terminei de comer, ele me disse: - agora, você lava a louça, certo?
Errado! Não lavei a louça. Uma coisa é lavar os pratos, copos e talheres do jantar. Outra coisa é ter que limpar o fogão, a pia, a parede, o chão. Acho que aquela mancha na parede era de molho rosé. Enfim, eu disse pro Divo um sonoro NÃO!
Fomos dormir, ele mal humorado. Quando acordei, a casa estava do mesmo jeito. A cozinha parecia o refeitório do inferno, a sala de jantar estava do jeito que a deixei. Tomei um banho, calcei meu par de tênis e fui caminhar no parque, tentando não pensar na situação, a cada volta na pista de cooper eu tentava exorcizar a ira que se apossava de mim. Quando cheguei em casa, Divo tinha acordado. Estava sentado na varanda da sala, olhando pro horizonte. Arrisquei dizer bom dia, ele me olhou de um jeito cortante e não respondeu.
Tentei começar uma DR ( discussão da relação), para estabelecer os limites do relacionamento, tudo de acordo com o que aprendi em anos a fio de terapia: - Divo, quem cozinhar terá que limpar o que sujou. Não é justo me sobrecarregar com afazeres domésticos, sou uma mulher ocupada com o meu trabalho, minhas atividades sociais, não tenho energia, tempo e nem talento para trabalhos do lar. Além disso, fiz as unhas ontem, não pretendo estragá-las.
Divo se levantou da cadeira, foi pra cozinha, jogou o que tinha em cima do fogão pra cima da pia, resmungou qualquer coisa incompreensível em linguagem civilizada. Achou a cafeteira no armário em cima da geladeira, levou a cafeteira pra área de serviço, ligou a danada sobre a mesa de passar roupa e preparou um café, que bebeu sozinho sem me oferecer. Depois disso, saiu e só voltou duas horas depois, quando eu já tinha limpado toda a bagunça, inclusive lavado o tapete da cozinha e a toalha da mesa de jantar. Ainda perguntou o que teríamos pra almoçar, porque seria a minha vez de cozinhar. Eu, com o aventalzinho cor-de-rosa que ganhei, estava com perfume de Veja multiuso, cândida e pinho sol.
Ah, esses homens. O tempo passa, a tecnologia avança, mas Divo Latívio ainda pensa igualzinho ao meu avô! Pior que isso, acho que o tempo passa, a tecnologia avança, mas Diva Latívia é tão rainha do lar quanto a vovó! Anos a fio de terapia, nada disso adiantou para colocar os limites em Divo Latívio. Vontade de ir ao Procon, pedir meu dinheiro da terapia de volta!
Mais calma, resolvi preparar um chá de camomila. A cada gole, evitava admirar minhas mãos, com o esmalte das unhas descascado na pontinha. Tudo perfeito, não fosse eu ter cismado que meus cabelos estavam com perfume de bife à milanesa.
É o amor, fazer o quê? Amanhã ele irá de novo pra cozinha, domingo é dia de Divo preparar o almoço. Prefiro nem imaginar no que isso vai dar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!