É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







10 de fev de 2012

PROMESSA É DÍVIDA!


Sabe aquele antigo dizer: “ só não perco minha cabeça porque ela está colada no meu pescoço”? Sou assim. Perco tudo, esqueço tudo em todos os lugares. As chaves, a bolsa, o casaco, o guarda-chuva, o celular. Difícil é lembrar onde foi mesmo que deixei! Todos os dias perco alguma coisa, geralmente objetos sem grande valor estimativo, do tipo uma caneta esferográfica, ou uma presilha de cabelos. Porém, na quarta-feira perdi algo importantíssimo, o meu cartão de crédito. Virei a casa nova, cheia de lugares inexplorados. Gavetas vazias, prateleiras com objetos ainda embalados. Procurei o danado do cartão dentro de bolsas, bolsos, sob almofadas.
Telefonei para o banco, a gerente já conhece meu defeitinho, sabe que sou um tanto esquecida. Sugeriu que eu procurasse mais um pouquinho e depois telefonasse, avisando se, realmente, havia perdido o cartão por aí.
Imaginei um ladrão comprando roupas de grife com meu cartão de crédito. O mau elemento indo ao shopping e adquirindo tudo aquilo o que meu bom senso me impede de comprar! Quem sabe, um cruzeiro de navio? Uma calça daquela marca que adoro? Talvez, faminto, fosse ao melhor restaurante da cidade e pedisse a carta de vinhos? Sinceramente, surtei!
Eis que lembrei de São Longuinho, aquele santinho que, se você pedir para encontrar um objeto perdido e prometer três pulinhos, o objeto aparecerá. Eu tentei me concentrar, busquei inspiração. “ São Longuinho, se o cartão de crédito aparecer, prometo três pulinhos”. Achei modesta a recompensa, diante da importância do objeto perdido. Reforcei a promessa: “São Longuinho, se eu achar o cartão de crédito, darei três pulinhos e publicarei no meu blog um agradecimento a você”.
Caro leitor, em menos de um minuto encontrei sob a pontinha do tapete da sala o meu cartão de crédito. Aqui está o meu agradecimento, público e notório. Valeu, grande São Longuinho. Ah, sim, já dei os três pulinhos!

2 comentários:

Pópa disse...

Como sou bem desligada, vivo pedindo socorro a São Longuinho. Certa vez, perdí algo importante, também achando modesta a recompensa - acreditem - prometí dar 133 pulinhos. Como não sou tão atlética e com anuência do Santo, levei 3 dias para cumprir o prometido... rsrsrs... Claro que encontrei o que havia perdido. Poderoso esse São Longuinho, hein? Que ele continue ajudando o(a)s estabanados, desligados, distraídos, desastrados... Como Eu, né!!!

Cláudia disse...

Pópa,

São Longuinho é um santinho polivalente. Além de nos ajudar a encontrar tudo aquilo o que perdemos, ele nos mantém em boa forma, vide os pulinhos!
Adorei seu comentário! Volte sempre!
Beijo,
Cláudia

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!