É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







7 de mar de 2012

RUA SONHOS DE DANDARA

Nós duas nos perdemos no bairro do Alto dos Moinhos. O nome da rua era Sonhos de Dandara. Achei meio esquisito, mas quem inventa nomes de ruas,vez ou outra, padece de falta de imaginação. Saí do trabalho apressada, fui ao encontro da Maria Rita. Há mais de um ano a gente não se encontrava.
Lá fomos as duas, ela dirigindo. Bem que eu poderia ter pesquisado o caminho no guia de ruas. Bem que ela poderia ter um GPS no carro. Chegamos ao bairro sem saber se deveríamos seguir a avenida principal, contornar depois do cemitério, ou se deveríamos fazer a conversão à esquerda.
- Ritinha, acho melhor a gente ir pelo caminho do cemitério.
- Tá doida, Diva? Isso é muito fúnebre. Vamos virar à esquerda.
Paramos em uma praça. Sequer sabíamos onde estávamos. Resolvemos perguntar a quem por ali passava.
- Moço, hei, psiu!
O sujeito fingiu não ouvir e foi adiante.
- Que mal-educado!
- Grosso!
Seguimos mais dois quarteirões.  Novamente paramos quando avistamos um homem de terno e gravata, parado na porta de um empreendimento imobiliário.
- Moço! Conhece a rua Sonhos de Dandara?
Ele se aproximou do carro, chegou pertinho da janela, no lado onde eu estava sentada.
- Sonho de quem?
Depressa repondi: da Dandara!
Ritinha interveio: - Diva! Deixa que eu explico!
- A rua Sonhos de Dandara, por favor.
- Dando o que, senhoras?
Não me contive: - dando nada, não! Tá ruim de dar, moço!
Ritinha, já irritada comigo, deixou o homem falando sozinho e engatou a primeira, saiu com o carro.
- Diva, ele vai pensar que estávamos dando alguma coisa!
- E estávamos mesmo.
- Diva, o que é isso?!
- Ritinha, estávamos dando a ele a oportunidade de nos ajudar a encontrar o caminho!
Rodamos meia hora pra encontrar a tal da rua. Estávamos tontas de tanto virar à esquerda e à direita.
Rua Sonhos de Dandara. Quem terá sido a Dandara? O que será que a Dandara sonhou?  Fiquei imaginando uma rua chamada Diva Latívia. Ah, deixe pra lá. Pelo jeito, somente quem já morreu recebe esse tipo de homenagem, somente quem vai pra terra dos pés juntos tem seu nome estampado em uma placa de rua. Certamente, a Dandara já era e seus sonhos foram pro beleléu.  Coitadinha, será que ela deu alguma coisa antes de morrer? Pois que descanse em paz!

Pra você, Li, com quem dividi mais um momento tão bom de viver!

2 comentários:

eliane k. lutaif disse...

Que bom que vc gostou desta rua de sonhos, os mesmos que Dandara já teve algum dia, que vc tem hoje e que será realidade no futuro. A borra de café não mente jamais!!!

Cláudia disse...

Li,

Obrigada por me inspirar! Voltamos a ser duas garotinhas, rindo e despreocupadas. Quanto ao futuro, esse não pertence a ninguém, senão a Deus. Que fique nas mãos de Deus, portanto!
Adorei seu comentário, viu?
Beijão

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!