É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







23 de abr de 2012

AUSÊNCIA


Depois de uma noite mal dormida, picotada por um pesadelo clássico e que, se caísse nos ouvidos de Freud se transformaria em longo estudo, amanheci esquisita. Esquisito pode ser sinônimo de inexplicável, penso assim.  Amanheci inexplicável, do tamanho da ausência daqueles que silenciaram, por um motivo, ou por outro.  Jururu, melancólica.  Admirei a serra, privilégio paulistano daqueles que residem no 16º andar de um edifício na área central da cidade.  Meu olhar pousado no horizonte, meu coração inquieto.  
A mim falta com quem dividir as alegrias e expectativas quanto ao blog, quem compreenda o que escrevo e vibre na mesma sintonia, com o mesmo entusiasmo que procura abraçar o olhar de leitores anônimos. Meu parceiro cibernético, meu webmaster e melhor amigo ( Abílio Manoel) deixou essa lacuna ao partir pro infinito. Ausência física que, pra mim, até aqui, se traduz de modo insuperável e insuportável.  Não há quem dê palpites no rascunho do que escrevi. Não há quem faça uma sugestão aqui, outra ali. Não há quem me diga que errei de novo a concordância verbal. O blog cresce e aparece, na mesma proporção da saudade que sinto, da teimosia ao postar um novo texto. Passos solitários estes meus. Logo passa, sempre passa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!