É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







21 de mai de 2012

MINHA VIDA DE CÃO ( sobrevivendo ao Pipi Dog)


Duas horas da manhã, o novo morador de minha casa ainda não tinha resolvido obedecer ao meu comando inócuo, pra ele incompreensível. Bono Latívio, o cãozinho, continuava saltitante e determinado a dormir sobre minha cama. Mãe é mãe. Meu dever é educá-lo. A primeira noite foi um fiasco, depois de três horas chorando sem parar, resolvi deixá-lo dormir no meu quarto, aos pés da minha cama. A segunda noite também foi caótica, ele dormiu um pouquinho, a seguir acordou e chorou baixinho pedindo colo. Zanguei-me, falei qualquer coisa sobre hot-dog com ele que, finalmente,  se convenceu a ir pra sua caminha. Adormeci exausta. No relógio marcava 04h16 quando despertei. Bono estava sentado no tapetinho beira de cama, no lado que dorme Divo. Olhava fixo para nós e chorava baixinho. Assim permaneceu de modo persistente, porque despertei novamente às 05h13 e lá estava ele a choramingar. Novamente às 07h01  ele ainda continuava no mesmo lugar.  Quanta persistência! Senti pena. PENA DE MIM!
Comecei o dia zoadíssima. Preparei o café e, ao mesmo tempo, ofereci água e ração ao pequenino. Agora a novidade é que ele aprendeu a comer a ração em minhas mãos, isso desde que minha cunhada, bondosamente, assim procedeu. Não mais quer saber da ração dentro da vasilha. Era só o que faltava!
Minha cabeça começou a doer. Aquelas gotinhas de analgésico surtem efeito, desde que eu as tome logo no início da crise de enxaqueca. Bono aos meus pés resmungando, ele queria colo. Colo eu também queria, estava cansada, carente, meio demente. Precisava dormir!
Peguei as gotinhas pra “dor de cabeça” e pinguei-as, ao todo dez gotas, em meio copo d´água. O sabor amargo, desagradável. Certamente, eu estava com problema no fígado, afinal o sabor daquelas gotinhas costuma ser adocicado.
Continuei minha tarefa. Peguei o tapetinho higiênico sujo, passei desinfetante em todo chão, troquei o tapetinho por outro limpo e busquei aquelas gotinhas para ajudar o cãozinho filhote a fazer xixi no lugar certo, o tal do Pipi Dog. Não encontrei. Procurei, procurei,  procurei e... Oh! O Pipi Dog estava sobre a pia da cozinha! Pude então compreender que eu tomei 10 gotas de Pipi Dog, ao invés de analgésico pra dor de cabeça. Pensei em telefonar pro meu médico, para perguntar se haveria algum efeito colateral, mas o medo do ridículo falou mais alto. Telefonei pro veterinário, que se matou de rir. Não pude fugir do ridículo, infelizmente.
E assim começa o terceiro dia de mãe de cachorro, essa coisa linda que causa várias confusões na minha vida, mas vale muito a pena. Preciso aprender a educá-lo, por enquanto ele está à frente no placar, uns 10x0 para o cãozinho. Bono está se transformando em meu dono e eu, com profundas olheiras de noites insones, começo a recordar episódios que passei com meu filho ( humano) quando ele veio da maternidade. Bebês, humanos ou de quatro patas, mudam a rotina da gente. Hoje, dia de consulta no veterinário. Penso em pedir  ao doutor um sonífero: pra mim!

4 comentários:

Deusa disse...

Parabéns, muito show sua rotina! Me identifico claramente com isso.

Cláudia Cavalcanti disse...

Deusa,

Bono tem agora 2 anos, ele aprendeu a dormir na minha cama, aos meus pés. De amigo se tornou meu filho, meu companheiro, meu protetor, meu confidente ( sim, eu falo com ele sobre tudo). Pelo jeito, você também é mamãe de um cãozinho. Se estiver ensinando pra ele o lugar de fazer xixi, esqueça isso de pipi dog, não funciona. Obrigada pelo comentário e volte sempre!

Cláudia

Luciana Bordignon disse...

Parabéns.... ri muito com a sua historia e me identifiquei muito com ela. muito bom!!!!!

Cláudia Cavalcanti disse...

Oi, Luciana!

Agora meu filhote cresceu, se tornou um grande amigo, muito carinhoso e muito leal. Que bom que gostou do texto, venha sempre ler as minhas histórias! Beijo.

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!