É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







11 de jul de 2012

AMOR, AMOR, AMOR...


Taí, caros leitores do blog. Vocês mesmos, aí do lado de lá do meu computador. A situação está difícil ultimamente? Pois é. Dizem que está mais fácil acertar na Mega Sena acumulada do que encontrar um par que valha a pena. Por falar em pena, da dó quando a gente começa um relacionamento e os amigos começam a colocar defeito na criatura: ele(a) é velho(a), ele(a) é gordo(a), ele(a) é baixo(a), ele(a) é vesgo (a), isso não vai dar certo! Queridos leitores, isso é pura inveja! Reparem no seguinte: amigos felizes não colocam a gente pra baixo, jamais! Infelizes, portanto, eis a explicação pra dor de cotovelo de quem mete a colher no angu da gente.
Pra conhecer um novo par vale quase tudo. Vale andar por aí de olhos bem abertos e sorriso na ponta dos lábios. Vale se produzir dia e noite, como quem vai pra balada. Vale frequentar os lugares mais sensacionais da cidade.
E quem se separou, passou dos 40, 50, 60, 70, 80...90... e está sozinho (a)? E quem está de mal com a balança? E quem já perdeu a fé no amor? Pois é, até mesmo essa turminha sofrida tem toda chance do mundo de encontrar um novo amor! Dizem que nas adversidades encontramos nossas forças. Pois essa é a chave do sucesso amoroso: acreditar na grande virada!
Tem gente que parece ter sorte no amor, casa com o(a) primeiro(a) namorado(a), aquela coisa bonita de igreja, vestido de noiva, fraque, padrinhos, festa, lua de mel e tudo o mais. Casa e fica bem casado (a) até fazer bodas de tudo quanto é coisa. Porém, nem sempre a coisa acontece assim. É comum que os relacionamentos acabem, de um jeito, ou de outro jeito. E começa então a busca, consciente ou não, por um novo amor.
Passa um tempo, dá uma vontade danada de encontrar alguém pra acompanhar a gente. Ter com quem conversar, dançar, rir, beijar, transar, viajar, ir ao cinema, dividir a cama e os muitos momentos da vida. É aquela coisa que tanto li em sites de relacionamentos: “alguém com o coração ardente”. 
Amor à primeira vista é raro. E tem coisa mais gostosa que essa raridade? Apaixonar-se como quem liga um botãozinho: ON! E vai que vai! Pra onde? Ué... Pode ser pra fora da telinha, isso pra aqueles que se conheceram virtualmente.  Pode ser pra um segundo encontro. Pode ser pra algo mais sério, as tais escovas de dente juntinhas e felizes.
Mas, e a demora? Os desencantos, os desenganos, os equívocos amorosos? Se vocês pensarem bem, eles nos tornam mais seletivos. Fácil descobrir o que não mais queremos em nossas vidas. A partir disso, se focarmos bem o nosso alvo, podemos selecionar quem não vai fazer parte do processo seletivo. Por exemplo: quem não suporta cigarro dificilmente vai aturar quem fuma. Quem é ratinho de livraria possivelmente não vai se dar bem com alguém que nunca leu um livro. Mas, há diferenças suportáveis: ele gosta de malhar, ela não. Ele gosta de dançar, ela não. Ele sabe cozinhar, ela não. Pra muita coisa se dá um jeito! Pequenas diferenças, grandes aprendizados!
Quem está sozinho(a) precisa primeiro querer encontrar alguém. Esse é o pontapé inicial para começar uma nova história. Querer é poder! Produzam-se, cuidem bem da saúde, amem-se! Gente feliz atrai pra si coisas boas, atrai pra si o amor! Quem resiste a um lindo sorriso?
Solidão é apenas fase preparatória para o dia de amanhã. Quem aprende a dura lição da solidão se torna mestre no relacionamento amoroso. Não nascemos para a solidão, ao contrário, somos seres que precisam de um par. A busca não deve ser interrompida, ao menos até que alguém mexa pra valer com o coração da gente, entre em nossa vida e nos faça felizes.
O amor é uma busca válida, justa, incansável. E quem dirá que não é gostoso buscar?
Aos que procuram um novo amor desejo boa sorte! Aos que já encontraram seu par desejo que o calor da paixão jamais esmoreça. Amor, amor, amor, esse é o açúcar de nossas vidas!





2 comentários:

Lu Rosário disse...

Para que o outro goste de ti é preciso, primeiramente, que se goste de si. É esse amor próprio que chama a atenção. E desespero é só um atraso de vida, pode ter certeza..rsrs.

Beijos e curti o post!

Cláudia Cavalcanti disse...

Lu,
O desespero de causa já inspirou algumas histórias de Diva Latívia. É triste, porém divertido. Quem não se ama não entende nadica de nada de amor. Gostei do seu comentário!

Beijo!

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!