É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







31 de ago de 2012

INSPIRAÇÃO ESCATOLÓGICA


Recorrer ao dicionário, ou Pai dos Burros, esse foi o meu recurso. Aurélio, o que seria de mim sem você? Meu olhar paralisou sobre aquela palavra esquisita, que não pareceu estranha, mas seu significado fugiu ao meu conhecimento. O que seria escatológico? Ali estava a definição: “nauseabundo, nojento”.  Eca, pensei! Escatológico é algo repulsivo!
Pois voltei à frase que continha o termo anteriormente por mim ignorado. Li e reli aquele comentário ao meu último texto, que chegara há instantes na caixa postal do meu e-mail.  Algo mais ou menos assim:  “Diva, seus textos são ruins e escatológicos”.
Toda crítica é bem-vinda, até mesmo essas críticas nauseabundas, inúteis e anônimas. Digo anônima porque chegou ao meu e-mail e tentei responder, mas voltou a mensagem com aquele “undelivery sei lá do quê”.
Não compreendo como alguém perde o precioso tempo a ler algo que o desagrada. Pior que isso, a entreter-se, divertir-se com o aborrecimento alheio ( no caso, o meu aborrecimento).
Escatológico,  leitor anônimo, é o seu ócio. Que me desculpem os demais leitores, mas esta blogueira não tem lá muita paciência com tamanha falta do que fazer.

Pensei, então, em escrever algo com essa palavra. Um texto com o termo empregado pelo infeliz comentarista anônimo de meus textos. Algo feito por mim, no capricho, para combinar com suas ideias, intenções e palavras escatológicas. Aproveite e obrigada por conduzir-me ao dicionário. Cultura, ainda que nauseabunda, nunca é demais! Eis o texto!

Sinônimo de escatológico. Palavras cruzadas é um ótimo passatempo, um entretenimento simples, que ajuda o tempo a passar e lubrifica as engrenagens do cérebro. Devo ter algum parafuso solto na cabeça, comecei as palavras cruzadas e esqueci completamente do meu afazer anterior: o feijão na panela de pressão. Estava lá, mordendo a tampinha da BIC e tentando encontrar a palavra de sete letras, sinônimo de escatológico. Terminava com a letra O. Escatológico, não sei porquê, lembrou arqueológico. Pensei em algo ligado a ossos, caveiras, esqueletos. Meu pensamento viajou longe, lembrei de Indiana Jones, depois de Harrison Ford. Já estava a recordar a segunda versão do filme Sabrina quando meu olfato deu o alarme: algo escatológico ocorria ao meu redor, que cheiro seria aquele? A cozinha enfumaçada e a panela de pressão surtadíssima sobre o fogo indiferente.  Medo, paralisei. Se me aproximasse, tudo poderia ir pelos ares justamente naquele instante. Porém, como resolver o problema, sem primeiro desligar a chama do fogão? Ah, o fogão! Divo adquiriu em três prestações naquela loja de departamentos e quinquilharias, o tal do fogão cook top, chiquérrimo. Divo, certamente, me ensinaria o significado de “escatológico”, assim que descobrisse o mal feito na cozinha, tudo praticamente zero quilômetros. Chama do fogão apagada, restava a panela de pressão parar de dar “piti”. TXI, TXI, TXI, TXI, TXI, TXI TXIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII.... Saí correndo, carregando meu cãozinho Bono Latívio, vestida de pijama de florzinhas e sandálias Havaiana nos pés. Dei de cara com Samir, aquele personal treiner bonitão que mora no apartamento  166. Agarrei seus formosos bíceps, pendurei-me em seus tríceps, completamente desesperada: - SOCORRO, minha panela vai explodir!
Tem homem que nasceu pra ser salva-vidas. Samir, entrou no apartamento e me fez lembrar Superman, Batman, Homem Aranha e Thor. Um super-herói com barriga tanquinho. Pegou a panela de pressão e a levou para a área de serviço. A panela tri-enlouquecida, chiava escandalosamente. Depois de dois minutos, já dentro do tanque, começou a acalmar-se. Por fim, fez um som mais ou menos assim: PUFFFF. O feijão queimado, totalmente escatológico, grudou na panela de um jeito irreversível. Ah, a panela de pressão elegantíssima, italiana, de inox! Divo jamais me desculparia. 
Assim que me despedi de Samir, meu herói, voltei pra cozinha. Fogão sujo, chão sujo, pia suja, panos de prato sujos e área de serviço em um estado que nem te conto. Fiz o que pude, do jeito que pude. Divo chegou em casa para almoçar e a situação, apesar de controlada, ainda estava escatológica. Expliquei o ocorrido, omiti as palavras cruzadas e a visitinha do saradão Samir.
Hoje, dois dias depois, Divo ainda me olha daquele jeito nauseabundo ( não direi escatológico). Meio de lado, um tanto sisudo. O fogão restou são e salvo, mas a panela de pressão Made in Italy, já era. Um prejuízo relativamente pequeno, pois não fosse Samir e seus poderosos bíceps e tríceps, o cook top também teria ido para o beleléu.

Este texto, por mim escrito, é uma homenagem ao leitor que chamou meu trabalho neste blog de “escatológico”. Obrigada, caro leitor anônimo, pela inspiração.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!