É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







22 de fev de 2013

100 MIL VISITAS AO BLOG. VAMOS CELEBRAR!!!


Para celebrar 100.000 visitas a este blog, escolhi um dos meus textos antigos para ser novamente publicado. Um dos meus textos preferidos, que escrevi em parceria  com o “Quicky”! Aqui está, em homenagem a esta marca que significa muito pra mim e, tenho certeza, significa muito pro Abílio e pra minha Mami, lá no Céu!
Leitora, leitor, muito obrigada por sua ajuda, incentivo, participação. Vamos agora rumo a 200.000 visitas! Vambora!!!

Um beijo,

Diva Latívia ( Cláudia)



SAUDADE NO PRESENTE (Diva Latívia e Quicky , em setembro de 2009).

Desde pequenos aprendemos que saudade é algo que nos remete ao passado. Alguém, algum lugar, alguma coisa, mas descobri outra verdade. Hoje sinto saudade no presente, saudade de um amor que vive dentro do meu coração e perfuma a minha alma. Saudade daquele que me acompanha invisível, ou quase, pouco maior que uma foto 3x4, mas aqui, no meu peito, nas minhas veias, ao meu lado, latente, mas real. Esteve comigo do raiar do dia até o anoitecer. Do dia em que cheguei ao mundo até agora, sempre por perto mesmo não sabendo onde.
A Lua vem e vai e suas fases delimitam um estado de espírito que começo a conhecer. Às vezes ele chega de mansinho pra tocar jazz, blues, uma sinfonia que embriaga meus sentidos.
Dançar, sonhar, cada qual em seu lugar. Meu amor, meu par, meu bem querido é uma saudade presente. Tão perto de mim. Um dia após o outro, passo a passo, se aproxima aos pouquinhos, meu coração diz que sim!
É sutil a afinidade, que se revela na ausência, em silêncio e chega na brisa a esperança de finalmente quebrar a barreira do que nos distancia pra que se torne presente e dancemos felizes sob o luar. Igualdade. É o que há entre nós. Dois corações, duas almas, dois seres que não estão nem longe nem perto, sempre estiveram juntos.
Saudade de um momento do agora, de qualquer momento, de todos eles! Enquanto estou aqui sentada e pensando em você, que pensa em mim e me adora. Eu quero você, agora! Mas fique, não vá embora. Que todos os dias sejam agora. Até o fim, presente, desde o passado até o fim, pra sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!