É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







9 de mai de 2013

MÃE ( Dia das Mães)


Quando escutei o chorinho daquele que tinha acabado de sair do melhor lugarzinho do mundo ( o meu útero), eu me senti gigante! Eu, mãe!  Grandiosa sensação! Eu, mãe de um sujeitinho que pesava 3,100kg e que parecia impaciente, parecia querer depressa conhecer aquela que tanto o mimou e ninou durante a gestação, ao acariciar a barriga e a chamá-lo por seu futuro nome: Gabriel. Longos nove meses de espera e ali estava ele, em meus braços. Parecia me reconhecer, tocou meu rosto, segurou meus lábios e olhou fixo dentro dos meus olhos. Ficou ali selado o mais puro, perfeito e infinito de todos os amores que vivenciei neste mundo: eu, mãe do Gabriel.
A vida passa, o mundo dá suas voltas. Impossível controlar o destino, impossível deter o crescimento de uma criança. De garotinho a adolescente, de adolescente a adulto. O tempo correu ligeiro, virou suas páginas. Meu menino é um belo homem. Menino, pra mim sempre um menino que tento proteger com o mesmo calor que o  embalou ainda recém-nascido, protegido junto ao meu peito. Mãe, eu mãe!
A vida é uma espiral sem fim. Eu, mãe e filha. Eu, mãe e neta. A saudade sem alívio, a ausência de minha mãe, de minha avó. O céu estrelado e meu olhar a buscá-las no firmamento. Missão sublime, a maior honra que um ser pode receber nesta existência: ser mãe! E eu, mãe, tudo o que peço neste dia é que meu menino sempre volte pros meus braços e que no meu abraço ele, um homem dono de seu nariz,  volte a ser criança. Saudade dos abraços de minha mãe, de minha avó, saudade de ser menina. Mãe!

Desejo a todas as Mães a alegria de ter seus meninos  e meninas em seus abraços: MÃES! Parabéns pelo seu dia!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!