É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







4 de jun de 2014

ENTRE RENDAS E RESTOS DE SI

Entre rendas e restos de si, ela abriu a caixinha de costura e buscou descuidadamente o retrós de linha azul. Espetou o dedo na agulha e admirou a gotinha de sangue a despontar reluzente. Feito criança, lambeu o dedo na tentativa de curar a ferida.
Deixou de lado o conserto da meia rasgada, viajou em pensamentos distantes. A vida remendada, o coração trincado, o olhar emoldurado por ruguinhas de preocupação e cores de tristeza. O que se rasgou afinal?
Aterrissou dos pensamentos e voltou à costura, um band- aid no dedo anular. Tratou de correr contra o tempo, faltava pouco para o meio-dia. Manhã fria, a meia costurada calçada no pé. Fechou a caixinha de costura e saiu apressada.
O mundo lá fora a correr ligeiro, indiferente ao seu dedo ferido, ao seu coração partido, ao seu olhar apagado. Não havia tempo a perder, mergulhou na multidão, passos apressados.
Naquele dia não mais pensou na vida, a meia em seu pé voltou a rasgar, no dia seguinte novamente abriria a caixinha de costura para buscar o retrós de linha azul. Retalhos de sua rotina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!