É proibida a reprodução não autorizada dos textos deste blog, de acordo com a Lei nº9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais.

Apresentação

Este blog nasceu no blog Janela das Loucas, onde assinava "Diva Latívia". Ali permaneci durante muito tempo, como autora principal das crônicas do blog. Redescobri que escrever é vital pra mim, guiada e editada por Abílio Manoel, cantor, compositor, cineasta e meu querido amigo. O Janela das Loucas não existe mais, Abílio foi embora pro Céu. Escrevo porque tenho esse dom divino, mas devo ao Abílio este blog, devo ao Abílio a saudade que me acompanha diariamente. Fiz e faço deste blog uma homenagem a aquele que se tornou meu irmão, de alma e coração. Aqui o tema é variado: cotidiano, relacionamentos e comportamento, em prosa e versos.







25 de jul de 2017

DIA DO ESCRITOR: EU PROTESTO!

Hoje é o dia do escritor. Autora do blog Diva Latívia, autora do antigo blog Janela das Loucas, tenho publicações em três coletâneas de contos e crônicas. Escrevi um romance não publicado. E esse fato, a não publicação do romance, passa pela indecorosa proposta de editoras, das menos conhecidas às famosas, com editores carniceiros, que apenas visam o lucro e nada mais. Desisti de publicar o livro, que cá entre nós, é bem melhor que as novelas da Globo, ou poderia ser uma ótima novela das 18 horas da Globo. 
Mas, o que faz essa gente que alcança um lugar estreito ao sol, que faz parte de um rol tão asfixiado e miúdo, com acadêmicos e autores que jogam confetes nas próprias cabeças e nas cabeças uns dos outros? Quais são os critérios para que uma obra seja publicada? 
Ser prostituta, com todo respeito à dita, mas ser Bruna Surfistinha e publicar um livro, isso é um caminho rápido para ter um livro publicado e se tornar campeão de vendas. 
No Brasil não existe uma faculdade de Criação Literária, apenas cursos de extensão, breves. Não há a formação universitária de escritores, como existe em países considerados de primeiro mundo. O que temos aqui é a faculdade de Letras, para a formação de professores, tradutores. E os escritores? Ah, os escritores... Nada para eles, nada para mim!
Abílio Manoel, falecido e querido amigo, abriu para mim o caminho, quando com seu talento e enorme generosidade me fez Diva Latívia, que fazia o público, cada dia maior, rir das desventuras de uma solteira à caça de um grande amor. Uma personagem, que deu origem ao meu blog.
O meu livro se tornou um projeto guardado. No Brasil não temos espaço para crescer. Não temos incentivo paras as artes e, quando há esse incentivo, é para alguns e, dificilmente, para a literatura. Ainda bem, cursei Direito. Ainda bem, tive outra profissão. Senão, quem sabe, estaria eu agora debaixo de alguma ponte, escrevendo poesias anônimas. Essa é a vida do escritor brasileiro. Vida de fome de reconhecimento. 
Este é o meu protesto, neste dia triste para meia dúzia de gatos pingados que podem comemorar!

Cláudia Cavalcanti ( Diva Latívia)